Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

O regresso esperado depois do espetacular desaparecimento

  • 333

Os Radiohead estiveram cerca de 48 horas sem dar cavaco a ninguém. Apagaram-se da internet. Imediatamente começaram a surgir teorias de que seria uma estratégia de marketing para promover o novo álbum. Agora apareceram e, talvez não tão surpreendentemente, lançaram um novo single... nas plataformas que o vocalista da banda já muito criticou

Os Radiohead conseguiram desaparecer totalmente da internet, um feito que quase poderia ser atribuído a um mágico como Houdini ou Copperfield. Esta terça-feira, cerca de 48 horas depois, eles estão de volta. Abacadabra!

O site ficou em branco, o Facebook e o Twitter sem publicações. Mas esta terça-feira, pelas 6h (hora de Lisboa), a banda britânica ressurgiu, publicando um pequeno vídeo nas redes sociais. As imagens deram força às teorias que nos últimos dias se ouviram e lerem um pouco por todo o mundo: um novo trabalho dos Radiohead estaria prestes a sair.

Instagram

Há novo albúm? Quanto a isso ainda não existem confirmação. Mas há, sem dúvida, novo single. “Burn the Witch” foi divulgado ao começo da tarde no YouTube e, pouco tempo depois, ficou disponível nos serviços de streaming Spotify e Tidal, bem como na loja do iTunes (com um preço de 1,29€).

A escolha das plataformas para o lançamento, foi um pouco contraditória. Há que relembrar que tanto o YouTube como o Spotify já foram alvos de duras críticas de Thom Yorke, vocalista da banda britânica. A plataforma de divulgação de vídeos foi comparada aos nazis e o serviço de streaming foi considerado como “the last desperate fart of a dying corpse”.

“Sinto que os músicos têm de lutar contra esta coisa do Spotify. De certa forma, parece-me que o mainstream é o último suspiro da velha indústria. Quando morre, o que irá acontecer, outra coisa qualquer acontece”, disse York, em 2013, em entrevista ao portal mexicano “Sopitas”.

“O YouTube apropriou-se do controlo [da arte] - é como os Nazis durante a Segunda Guerra Mundial. Não uso o YouTube, isso é certo. Colocam anúncios em tudo, ganham muito dinheiro e os artistas não são pagos – ou pelo manos não o suficiente – e, aparentemente, isso está correto. Insistem em dizer que é uma era em que a música e o cinema são gratuitos. Isso não é verdade”, afirmou Thom Yorke, em 2015, ao jornal italiano “La Repubblica”.

Os fãs têm agora o primeiro cheirinho do que pode estar mesmo a chegar. Não se sabe ao certo quando haverá mais novidades, mas o jornal britânico “The Guardian” adianta que a banda irá tocar músicas do novo álbum no Primavera Sound de Barcelona, no dia 3 de junho, mas ninguém sabe se nessa altura o álbum já estará disponível.

A nova digressão dos Radiohead vai para a estrada a 20 de maio, em Amesterdão, na Holanda, e chega a Lisboa a 8 de julho, no palco principal do Alive.

  • O espetacular desaparecimento dos Radiohead

    A banda de Thom Yorke está em “blackout” desde domingo: o website está em branco, no Facebook deixou de haver posts, no Twitter lê-se que os “Radiohead ainda não tweetaram nada”. Os músicos britânicos até podem estar a precisar de fazer um retiro espiritual, mas é muito mais provável que tudo não passe de um grande golpe de marketing para lançar o próximo álbum - nós explicamos todas as pistas