Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

James Cameron filma os próximos “Avatar” como uma minissérie

  • 333

NA'VI. Os humanoides de Pandora e os colonizadores humanos regressam em quatro novos filmes

d.r.

Depois de revelar que o sucesso de bilheteiras “Avatar” terá quatro sequelas (em vez de uma), James Cameron levantou a ponta do véu sobre como decorrerão as filmagens dos próximos filmes da saga de ficção científica tridimensional e qual a agenda de estreias. “Vai ser uma única grande produção, como se se tratasse de uma minissérie”, explicou o realizador à “Famous Monsters of Filmland”, uma revista dedicada ao universo dos monstros no cinema.

Quanto ao processo de rodagem, Cameron explicou que as cenas não serão filmadas de forma sequencial ou sequer separadas por filmes e que esse trabalho apenas virá depois. “Na segunda-feira poderei estar a fazer uma cena para o quarto filme [o quinto da saga] e na terça a filmar uma cena para o primeiro [que na realidade é o segundo]” disse Cameron à publicação especializada, revelando a sua nova visão do cinema.

De acordo com o próprio, os novos filmes terão a duração total de oito horas, o que fará da rodagem “um grande desafio”. O principal problema será “manter tudo em ordem e ter a certeza do ponto da história em que estamos”. Habituado a conceber alguns dos mais caros filmes de Hollywood (e os mais rentáveis), Cameron considera que este “é provavelmente o maior desafio de sempre na sua carreira” e tem a certeza de que também o será para os atores. O realizador vai mais longe e usa a comparação para ilustrar o problema. “É como filmar três filmes de “O Padrinho” em simultâneo”, conclui, comparando a sua história espacial — sobre seres extraterrestres que vivem num planeta distante — a um dos filmes mais aclamados de sempre.

A DOIS ANOS DA ESTREIA

Sobre os seus planos para a chegada das sequelas ao cinema, James Cameron sabe o que evitar e não quer “Avatar 2” a estrear em simultâneo com outros sucessos de bilheteira. O principal entrave será mesmo outra saga interplanetária. “O meu plano original era estrear um a cada ano, mas estamos abertos a mudanças”, explica o cineasta canadiano, referindo mesmo que não quer “estrear ao mesmo tempo que as sequelas de “Star Wars”. Não é medo, é fair play. “Não seria justo para eles”, ri-se, acabando por deixar cair a máscara e explicar que tomar essa decisão, a de estreias simultâneas, “seria estúpida”. “Avatar” não quer “competir taco a taco” com “Star Wars” e James Cameron espera que também a Disney tome a mesma decisão quanto à sua saga.

Certo é que “Avatar 2” vai chegar aos cinemas em 2018 e que “Avatar 5” está programado para 2023. Pelo meio estrearão os restantes, ainda sem agenda definida. O primeiro filme da saga de Cameron, que nos apresentou a Pandora — uma das luas de Polifemo, no sistema solar Alpha Centauri — e se passa no ano de 2154, foi o filme mais rentável de sempre, com 2,79 mil milhões de dólares (2,46 mil milhões de euros).

O argumento dos novos filmes ainda não é conhecido, mas deverá começar exatamente onde o último terminou, ainda com a guerra entre os colonizadores humanos e os nativos Na'vi pelos recursos do planeta a marcar a ação. Quando James Cameron falou pela primeira vez numa sequela de “Avatar”, falou da possibilidade de o filme se passar debaixo de água, mas a informação não foi tornada oficial.