Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Artista iraniana vence Grande Prémio do PortoCartoon World Festival

  • 333

D.R.

Mahboobech Pakdel conquistou hoje o Grande Prémio da 18.ª edição do PortoCartoon World Festival, com um trabalho que apresenta um olhar crítico sobre a forma como a Europa lida com o problema dos refugiados

André Correia

Com a obra “Emigration”, a iraniana Mahboobech Pakdel venceu a mais recente edição A do PortoCartoon World Festival, anunciou hoje a organização numa conferência de imprensa realizada no Museu Nacional da Imprensa (MNI).

A obra apresenta um barco com refugiados à deriva num mar tempestuoso e preso a um enorme sino com a bandeira da União Europeia. Para o diretor do MNI, Luís Humberto Marcos, esta caricatura “pega no drama dos refugiados, mas dá um sentido que se pode ler com uma esperança”.

O concurso teve como tema principal “o entendimento global” e os artistas debruçaram-se sobre questões como a problemática dos refugiados, o terrorismo e o ativismo nas redes sociais. A organização destacou a forte presença de cartoonistas iranianos e o Grande Prémio acabou mesmo por ser atribuído a uma artista com aquela nacionalidade.

Luís Humberto acrescenta ainda que “é preciso tocar à grande campainha, ao grande sino da Europa”, porque, sustenta, é no velho continente que está “a solução para grande parte dos problemas do mundo, nomeadamente este que aflige uma quantidade significativa de países”.

Vencedor em 2003, este ano o turco Muhittin Koroglu ficou em 2.º lugar

Vencedor em 2003, este ano o turco Muhittin Koroglu ficou em 2.º lugar

DR

O segundo prémio foi atribuído a Muhittin Koroglu, da Turquia, que já havia vencido o festival na edição de 2003. Nas palavras de Roberto Merino, encenador chileno e um dos membros do júri, o cartoon do artista turco apresenta a forma como “a morte joga e trava um braço de ferro com o ser humano”.

“Utopia” valeu o 3.º lugar ex-aequo ao francês Plantu

“Utopia” valeu o 3.º lugar ex-aequo ao francês Plantu

DR

O romeno Mihai Ignat foi 3.º este ano, depois de já ter ganho o concurso em 2009

O romeno Mihai Ignat foi 3.º este ano, depois de já ter ganho o concurso em 2009

DR

O terceiro prémio foi dividido entre o desenho da caricaturista francês Plantu, com a obra intitulada “Utopia”, e o romeno Mihai Ignat, vencedor do concurso em 2009. De salientar que a obra de Plantu tem todo o texto em português e nela encontram-se representadas bandeiras de vários países hasteadas nos lápis dos cartoonistas.

A edição deste ano contemplou dois prémios especiais de caricatura, em homenagem ao ícone do cinema Charlie Chaplin e à modelo portuguesa Sara Sampaio. Os vencedores foram, respetivamente, Cau Gomez, do Brasil, e o italiano Marzio L. Mariani.

Ao todo estiveram a concurso perto de 1800 obras, de quase 500 artistas, e foram atribuídas 12 menções honrosas a cartoonistas dos mais variados países: Portugal, Brasil, Espanha, Irão (2), Israel, Itália, México (2), Rússia, Turquia e Ucrânia.

Durante a apresentação, o diretor do Museu Nacional da Imprensa reforçou a ideia de que este festival ocupa um lugar no “pódio” dos grandes concursos internacionais de desenho de humor. Na opinião daquele responsável, o humor tem essa “grande particularidade” de nos ajudar a pensar. “É a arte que é capaz de nos levar à essência dos problemas. Muitas vezes antes de qualquer outra notícia, eles [os cartoonistas] mostram que há qualquer coisa que está aí a acontecer”, frisou.

Os vencedores do 18.º Porto Cartoon receberão os troféus, desenhados pelo arquiteto Siza Vieira, e os prémios durante a cerimónia de abertura da exposição que decorrerá no Museu Nacional da Imprensa e noutros locais da cidade do Porto, durante o mês de junho.

O Museu Nacional da Imprensa comemora esta terça-feira o seu 19.º aniversário.