Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

“Amem sempre os atores enquanto eles estão vivos!” As reações à morte do Nico

  • 333

António Pedro Ferreira

Extraordinário. Generoso. Um grande amigo. Estas foram algumas das palavras que mais se escutaram esta tarde nas reações à morte do ator e realizador Nicolau Breyner.

Ruy de Carvalho, por exemplo, disse que tinha sido apanhado de surpresa pela notícia durante uma visita ao Santuário de Fátima e descreveu-o como “um diretor e um ator extraordinário” e “um homem muito generoso”, com quem tinha estado há apenas quatro dias. “É uma notícia tremenda. Estou completamente desamparado. Vou rezar uma oração por ele.”

Em declarações à SIC Notícias, a atriz Glória de Matos lembrou que este “homem extraordinário cantava lindamente, representava, fazia televisão e foi o impulsionador da telenovela em Portugal” e que “estava quase sempre de bom humor”.

“Era um inconformado. Estava a fazer uma coisa e punha-se logo a pensar noutra”, recordou ainda Glória de Matos, descrevendo como “um homem muito generoso para os mais novos”.

É precisamente por aí que começou Rita Blanco: “O Nico [com] era conhecido por todos os seus amigos] era um homem profundamente generoso”. “Era o chefe dos palhaços”, e explicou porquê: “Nós, os atores, somos todos um bocado infantis. Estamos sempre a brincar. E o Nico era o chefe dos palhaços”.

“Amem sempre os atores enquanto eles estão vivos!”, rematou Rita Blanco.