Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Coleção do milionário norte-americano Christopher Forbes vai a leilão... em Paris

  • 333

ESPÓLIO. O milionário norte-americano Christopher Forbes num 'preview' da sua coleção de arte do Segundo Império, em Paris

CHARLES PLATIAU/REUTERS

No próximo fim de semana, dias 5 e 6 de março, em Fontainebleau, Christopher Forbes vai leiloar a sua coleção de arte do Segundo Império francês. São mais de 3000 obras, avaliadas (por baixo) em cerca de 4 milhões de euros

Foi o pai, Malcolm Forbes, quem começou a coleção de arte, há mais de 40 anos. O filho do fundador da revista Forbes, B.C Forbes (que criou a revista norte-americana de economia e finança em 1917), passou a coleção para as mãos do filho do meio, Christopher. "É a maior e mais importante coleção de arte do Segundo Império no mundo", afiança o leiloeiro de arte Jean-Pierre Osenat, que irá conduzir o leilão no próximo dia 6, no Castelo de Fontainebleau, a 50 km de Paris. O Segundo Império foi o regime monárquico bonapartista que Napoleão III, sobrinho e herdeiro de Napoleão Bonaparte, implantou em França de 1832 a 1870.

A coleção, avaliada, de forma conservadora, em 3 a 4 milhões de euros, será dividida em 2000 lotes, podendo atingir valores bem mais elevados. Entre estes, encontram-se 500 quadros e pinturas, retratos e desenhos de batalhas grandiosas, esboços de Degas e de Gustave Doré, esculturas, livros raros, e mais de 1300 cartas e manuscritos escritos por Napoleão I, Napoleão III, a Imperatriz Eugénia e o Príncipe Imperial. Uma das peças mais "badaladas" é o certificado religioso do casamento entre Napoleão Bonaparte e Josefina de Beauharnais, datado de 1804. Na coleção há ainda trocas de correspondência de segredos diplomáticos e outras pérolas históricas.

MONUMENTAL. Um dos 500 quadros do Segundo Império da coleção privada Forbes

MONUMENTAL. Um dos 500 quadros do Segundo Império da coleção privada Forbes

CHARLES PLATIAU/REUTERS

Começou aos 16 anos

Christopher Forbes, vice-presidente da empresa Forbes, começou esta coleção de arte aos 16 anos, quando o seu pai lhe ofereceu um retrato de Napoleão III. A partir daí, não mais parou de reunir peças relacionadas com Napoleão III, o primeiro Presidente da República francês. Nos próximos sábado e domingo, ele próprio estará presente no leilão em Fontainebleau.

A decisão de vender a coleção em França prende-se com vários fatores: a leiloeira Osenat tem protagonizado vários recordes nos últimos tempos: vendeu o sabre de Napoleão, por quase 5 milhões de euros, uma carta manuscrita de Napoleão, por €187 000 e o chapéu do Imperador, por €1,88 milhões. Christopher "Kip" Forbes tem um gosto assumido pela cultura francesa: além desta coleção, comprou uma das garrafas de vinho mais caras do mundo – um Château Laffite de 1787, que custou €140.000 -, e o Castelo de Balleroy, na Normandia.

Esta não é a primeira coleção que a família Forbes vende: em 2001, desfizeram-se de parte da coleção de pintura americana; em 2002, de parte de uma "holding" de documentos históricos americanos; e em 2003, da coleção de arte vitoriana, descrita como a terceira mais importante do mundo.