Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

O primeiro beijo com um homem e 9 outras curiosidades sobre Leonardo DiCaprio

  • 333

MARIO ANZUONI / Reuters

Considerado por muitos o melhor ator da sua geração, Leonardo DiCaprio chegou ao óscar à quinta tentativa. Eis dez factos sobre a vida do ator para enriquecer a sua cultura de bolso

Em criança, era um "anão com a maior boca do mundo" e jeito para o breakdance. Cresceu, tornou-se estrela de cinema, objeto de desejo de milhões de mulheres em todo o mundo, ator respeitado e, por fim, oscarizado. Coleciona supermodelos com a mesma facilidade com que abre a carteira para financiar causas ambientais. Conheça melhor Leonardo DiCaprio, a quem um dia um agente sugeriu que mudasse o nome para Lenny Williams.

1. Nasceu em Hollywood, rodeado de droga e de prostitutas

Leonardo Wilhem DiCaprio nasceu a 11 de novembro de 1974 em Hollywood, Los Angeles, num edifício que, dois anos depois, foi adquirido pela Igreja da Cientologia como sede da organização na Costa Oeste dos EUA. Passou boa parte da infância numa casa modesta em Echo Park, então um bairro multirracial pobre, rodeado de droga e prostitutas, longe do glamour das estrelas de cinema. Por causa do ambiente perigoso, passava muito tempo em casa. "Saímos para ir comprar um doce e esbarrávamos num tipo com todas as drogas possíveis no casaco. E depois havia todas aquelas prostitutas a sair dos hotéis", contou numa entrevista à "Rolling Stone".

2. Leonardo por causa do génio renascentista

A mãe do ator decidiu chamar-lhe Leonardo durante uma viagem a Florença, quando olhava para um quadro de Leonardo da Vinci na famosa Galeria Uffizi. Sentiu um violento pontapé na barriga e achou que era um sinal. O segundo nome do ator, Wilhem, era o do avô materno. Ainda uma criança, quando tentava a sua sorte em anúncios de TV, um agente propôs-lhe que adotasse um nome mais americano: Lenny Williams. O ator e os pais rejeitaram.

3. Os pais de DiCaprio separaram-se quando ele tinha um ano

Leonardo é filho de George DiCaprio, um excêntrico artista de BD descendente de italianos e alemães, e da alemã Irmelin Inderbirken, que se divorciaram quando ele tinha ainda um ano de vida. Passou então a viver sobretudo com a mãe, tendo na infância visitado várias vezes os avós na Alemanha. Tem um meio-irmão, Adam Farrar, fruto de outro relacionamento do pai.

4. Era um miúdo hiperativo, com jeito para o breakdance

Com cinco anos, Leo convenceu os pais a levá-lo a uma audição para o popular programa infantil "Romper Room", mas revelou-se tão hiperativo que o realizador o expulsou antes de ter oportunidade de ir para o ar. Foi também assim como aluno. Tinha dificuldade em concentrar-se nas aulas, especialmente nas de matemática, copiando nos testes para conseguir passar. Fora das aulas, dava nas vistas: era um exímio breakdancer, que se alimentava da atenção dos colegas, apesar de ser dos mais baixos da escola (só deu o "salto" aos 16 anos). "Era essencialmente um anão com a maior boca do mundo", confessou anos mais tarde.

5. Um pequeno gangster à procura de fama

Leonardo convenceu os pais a tentarem inscrevê-lo numa agência de talentos especializada em anúncios de TV depois de ver o meio-irmão, Adam Farrar, num anúncio para cereais de pequeno-almoço. Durante anos, foi a dezenas de audições, mas sempre sem sucesso. A primeira oportunidade no pequeno ecrã surgiu só aos 14 anos, num anúncio da marca de brinquedos Matchbox, onde interpreta o papel de um pequeno gangster. A partir daí, não teve dúvidas que era ator que queria ser.

6. Coleccionador de supermodelos

Durante a cerimónia dos globos de ouro em 2014 ficou famosa a tirada da apresentadora Tina Fey, quando exortou a audiência a dar-lhe "uma receção calorosa como a vagina de uma supermodelo". A lista de conquistas do ator inclui a brasileira Gisele Bündchen, a israelita Bar Refaeli, a americana Erin Heatherton e a alemã Toni Garm, ambas anjos da Victoria's Secret, entre muitas outras.

A brasileira Gisele Bündchen foi uma das conquistas do ator: estiveram juntos cinco anos, entre 2000 e 2005

A brasileira Gisele Bündchen foi uma das conquistas do ator: estiveram juntos cinco anos, entre 2000 e 2005

7. O primeiro beijo num filme foi com... um homem

Apesar da fama de mulherengo, o primeiro beijo de DiCaprio no cinema foi com um homem. Em "1995", o ator participou em "Eclipse de uma Paixão", onde aparece a beijar David Thewlis (o professor Remus Lupin de "Harry Potter"). Dois anos antes, tinha-se revelado em "Gilbert Grape", que lhe valeu a nomeação para o óscar de melhor ator secundário quando tinha 19 anos (foi o sétimo ator mais novo de sempre candidato a um óscar).

8. Partilha nomeações com Cate Blanchett

O ator recebeu a primeira nomeação para um óscar de melhor ator em 2005, pelo papel em "O Aviador", que lhe valeu um globo de ouro, e viu Cate Blanchett ganhar a estatueta de Melhor Atriz pelo papel no mesmo filme. Desde então, os dois atores partilham nomeações: sempre que ele esteve nomeado para melhor ator, ela também esteve para melhor atriz secundária. Foi assim em 2007, quando ele recebeu uma nomeação por "Diamante de Sangue" e ela por "Diário de um Escândalo"; em 2014, ele em "O Lobo de Wall Street", ela em "Blue Jasmine"; e novamente este ano, quando ele venceu o óscar com "Renascido" e ela esteve nomeada por "Carol". Além disso, sempre que esteve nomeado para um óscar de melhor ator, um dos atores que contracenou com ele também esteve nomeado na categoria de ator secundário: foi assim com Alan Alda ("Aviador", 2005), Djimon Hounsou ("Diamante de Sangue", 2007), Jonah Hill ("O Lobo de Wall Street", 2014) e Tom Hardy ("O Renascido", 2016).

9. O "padrinho" Scorsese

Em 2002, em "Os Gangues de Nova Iorque", DiCaprio iniciou uma muito bem-sucedida colaboração com o realizador Martin Scorsese, com quem viria a colaborar em quatro outros filmes: "O Aviador" (2004), "Entre Inimigos" (2006), "Shutter Island" (2010) e "O Lobo de Wall Street" (2013). Quem aconselhou DiCaprio ao realizador foi Robert De Niro, em 1993, quando o ator só tinha 19 anos. DiCaprio e Scorcese vão juntar forças pela sexta vez na adaptação do livro "O Diabo na Cidade Branca", de Erik Larson.

10. Um jogo para ajudá-lo a ganhar o óscar

A demora de DiCaprio em chegar ao óscar, apesar de ser para muitos o ator mais talentoso da sua geração, animou a Internet nos dias que antecederam a cerimónia deste ano. Foi até criado um jogo online chamado "Leo's Red Carpet Rampage", onde os jogadores têm de ajudar o ator a ganhar o óscar, saltando por cima de fotógrafos, correndo mais rápido do que os outros candidatos e até desviando Lady Gaga do caminho. Mesmo que não o consiga no jogo, o objetivo de DiCaprio já está alcançado.