Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

O segundo “mais estridente espetáculo americano” vivido ao minuto

  • 333

O “mais estridente espetáculo americano a seguir às primárias republicanas” (palavras de Pedro Mexia, que esteve no live blog do Expresso que acompanhou os óscares ao minuto) está concluído: o óscar principal, de melhor filme, foi para “O Caso Spotlight”, que venceu ainda o de melhor argumento original. “O Renascido”, o grande favorito (12 nomeações), ficou com três estatuetas: melhor realizador (Alejandro Iñárritu), melhor ator (DiCaprio), melhor fotografia. “Mad Max” esmaga nas categorias técnicas e é o filme com mais óscares (seis no total): melhor edição, melhor edição de som, melhor mistura de som, melhor cenografia, melhor guarda-roupa e melhor caracterização. O Expresso acompanhoi tudo em direto: Pedro Mexia, Pedro Santos Guerreiro, Miguel Cadete, Katya Delimbeuf e João Miguel Salvador descreveram, criticaram, elogiaram, observaram. Foi assim o minuto a minuto

  • As categorias invisíveis dos óscares que andamos a menosprezar (mas não devíamos)

    Há um certo desapreço por algumas categorias dos óscares – a começar pela própria Academia, que as anuncia aceleradamente e sem afeto durante a cerimónia. Sabe a diferença entre mistura e edição de som? Compreende a relevância da cenografia? Já ponderou nos mistérios da caracterização? Entende a sensibilidade da fotografia de um filme? É aí e em categorias identicamente desconsideradas dos óscares que habitam tantos dos mistérios do ofício de construir um filme. Foi o que aprendemos a elaborar este trabalho que agora partilhamos consigo: fomos ter com profissionais destas áreas do cinema em Portugal e descobrimos os segredos e as astúcias da gente invisível em que raramente pensamos quando contemplamos um filme. Venha daí: é provável que fique a estimar ainda mais o cinema

  • Dez histórias reais mais ou menos conhecidas que chegaram aos óscares

    “Baseado em factos verídicos”: esta é a referência que ilumina qualquer sequência de créditos de um filme, ou pelo menos é nisso que Hollywood acredita (e depois de vermos os nomeados para os óscares deste ano, nós também). São várias as histórias reais que davam um filme que Hollywood agarrou e a Academia nomeou, mostrando mais uma vez que a arte tem razões para continuar a imitar-reinventar-interpretar a vida. Fomos ver dez histórias reais que chegaram aos óscares deste ano (algumas delas levaram mesmo a estatueta) – e falámos mesmo com alguns dos intervenientes. Há lições de vida, relatos de coragem e inteligências visionárias (e lucrativas)

  • Como Hollywood olha para Portugal

    Portugal raramente é protagonista nos filmes de Hollywood, mas, nos anos 30, Spencer Tracy ganhou um Oscar de Melhor Ator graças à interpretação de um pescador português. A tradição pesqueira entre as comunidades lusas nos Estados Unidos, a neutralidade portuguesa durante a II Guerra Mundial ou a qualidade dos vinhos nacionais levaram alguns guiões a puxar para o grande ecrã pormenores alusivos a Portugal. John Travolta e Colin Firth já se viram e desejaram para falar português. Richard Gere apaixonou-se pela “Canção do Mar”, na voz de Dulce Pontes. Julia Roberts chegou a sentir-se humilhada por ter origens portuguesas. O Expresso selecionou 40 filmes — nenhum deles rodado em território nacional — onde, com maior ou menor destaque, surgem referências a Portugal