Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Já está preparado para os Óscares desta noite?

  • 333

Na rua em frente ao Dolby Theatre, em Los Angeles, já está estendida a passadeira vermelha que será pisada no domingo pelas estrelas do cinema

Reuters

Saiba tudo o que muda nos Óscares deste ano e relembre o que se mantém. Será que Chris Rock, que apresenta o espetáculo, vai perder a oportunidade de criticar as escolhas da Academia? O combate #OscarSoChrisRock vs. #OscarSoWhite começa à meia-noite, com transmissão em direto na SIC e na SIC Caras

Polémico, divertido e de raça negra. Chris Rock vai comandar as hostes na gala de entrega dos Óscares deste ano e o repetente — que apresentou a 77ª edição em 2005 —não vai perder a oportunidade para mostrar o que pensa sobre o atual panorama na indústria. As críticas são muitas e o comediante não fará vista grossa aos acontecimentos dos últimos meses, marcados pela hashtag #OscarSoWhite.

Munido da sua capacidade criativa e sem qualquer problema em encurtar o pavio da dinamitada gala, Chris Rock — que é comediante, ator, escritor, produtor, realizador e documentarista — foi o escolhido pelos produtores da noite para dar um ar refrescado ao programa, cujas audiências baixaram 16% no ano passado (apresentado por Neil Patrick Harris).

David Hill e Reginald Hudlin, produtores da gala, não têm dúvidas e não lhe poupam elogios. Para a dupla, o cicerone é o “MVP [most valuable player, ou mais valioso ativo] da indústria de entretenimento”. Palavras de quem sabe, mesmo que Rock não tenha tanta fé em si próprio. O apresentador disse, em entrevista, que nunca seria a primeira escolha e que apenas foi escolhido porque “Ellen DeGeneres recusou o convite, oito vezes”.

O ator-escritor-produtor-realizador-documentarista Chris Rock

O ator-escritor-produtor-realizador-documentarista Chris Rock

Reuters

Parece que o mundo é outro desde 2005, mas os números mostram-nos que houve até uma regressão. Quando conduziu a gala pela última vez, Chris Rock contava com Sophie Okonedo, Don Cheadle, Morgan Freeman e Jamie Foxx, quatro negros, entre os nomeados, mas agora nada disto acontecerá. 11 anos depois, não veremos Foxx a receber o Óscar de Melhor Ator, por “Ray”, nem Morgan Freeman a subir ao palco por “Million Dollar Baby” (Melhor Ator Secundário).

MUDANÇAS NA ELITE DA ACADEMIA

Tempos passados à parte, que o que interessa é construir futuro, o recente escândalo criado pela inexistência de qualquer ator ou realizador negro não será mesmo esquecido. Nem por quem decide os nomeados de cada ano. A Academia sabe disso e revelou que serão tomadas medidas “históricas” para combater a falta de diversidade nos nomeados. A “votação unânime” permitirá “aumentar a visibilidade” de mulheres e pessoas de outras raças que não a branca nos nomeados, ”visando uma duplicação até 2020 dos seus membros femininos ou provenientes" das minorias étnicas. Será que alguma coisa vai mudar numa elite composta 6291 pessoas (77% homens e 93% brancos)? Parece que sim, até porque a presidente do órgão, Cheryl Boone Isaac (também ela negra) acredita que “a Academia vai liderar o movimento e não vai esperar que o setor supere o atraso”. Cheryl sente-se de “coração partido e muito frustrada” pela lentidão das mudanças.

O anúncio dos nomeados não caiu bem a muita gente, que ameaçou boicotar a gala, mas há quem não possa estar mais feliz. É o caso de DiCaprio. Este pode mesmo ser o seu ano e o “patinho feio” de Hollywood mal pode esperar para boicotar (ou modificar) um ditado bem português. Se “à terceira é de vez”, o explorador de “The Revenant: O Renascido” teve de esperar até à quinta nomeação. O filme que protagoniza é um dos favoritos (com 12 nomeações) e a crítica aposta em DiCaprio para a vitória.

Leonardo DiCaprio: à terceira é de vez?

Leonardo DiCaprio: à terceira é de vez?

Justin Tellis/Getty Images

Se for mesmo esta a sua vez, o ator terá também de contar com alterações. É a vida. Com o intuito de tornar os discursos mais apelativos para o público — os Óscares são o programa mais visto do mundo —, a Academia decidiu que era tempo de inovar. Calma, os premiados vão continuar a ter 45 segundos para falar, antes que a orquestra lhes tome o protagonismo, mas poderão optar por exibir num ecrã os nomes daqueles a quem querem agradecer. A lista de nomes passará nos ecrãs quando ganharem o Óscar, permitindo-lhes usar o tempo para expressar ideias e pensamentos que vão além do mero agradecimento a colegas, amigos ou familiares. Cheryl Boone Isaacs, a presidente da Academia, quer evitar acusações de censura, até porque “este ano, todos sabemos que há um elefante na sala.” Ele vai soltar-se e não haverá como fugir a uma das galas mais politizadas de sempre.

A RED CARPET MAIS FAMOSA

Para terminar, vale sempre a pena falar de um assunto menos sério, mas que toma sempre grandes proporções. Poucos o admitem no meio cinematográfico, mas a ‘red carpet’ é O MOMENTO. Não há gala que se preze que não tenha uma passadeira vermelha a decorar a entrada, mas os Óscares da Academia têm uma aura diferente. É ali, em frente ao Dolby Theatre, que as últimas criações de alta costura vão desfilar, criando tendências e alimentando o sonho de milhões de pessoas. O número 6801 da Hollywood Boulevard enche-se de estrelas e são muitos os que anseiam no local a passagem dos grandes atores. Faltam pouco mais de dois dias para que a magia de Hollywood tome o mundo.

Todos anseiam os Óscares e será preciso ter ficado “Perdido em Marte” ou adormecido numa carcaça animal como a de “The Revenant: O Renascido” (a piada não é nossa) para ainda não saber onde e quando passa a gala. Se for o caso, não faz mal. Fica aqui toda a informação.

Os Óscares são transmitidos em direto hoje à noite, a partir das 24h, na SIC e na SIC Caras. No canal por subscrição, disponível nos principais operadores de televisão, a emissão especial começa mais cedo, pelas 20h, com convidados. Os Óscares serão também acompanhados em direto aqui no site do Expresso.

Foto D.R.

A LISTA DE NOMEADOS

Melhor Filme
“Ponte dos Espiões”,
“Perdido em Marte”,
“Brooklyn”,
“Quarto”,
“O Caso Spotlight”,
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“The Revenant: O Renascido”,
“A Queda de Wall Street”

Melhor Realizador
Adam McKay – “A Queda de Wall Street”,
George Miller – “Mad Max: Estrada da Fúria”,
Alejandro G. Iñárritu – “The Revenant: O Renascido”,
Lenny Abrahamson – “Quarto”,
Tom McCarthy – “O Caso Spotlight”

Melhor Atriz
Cate Blanchett – “Carol”,
Brie Larson – “Quarto”,
Jennifer Lawrence – “Joy”,
Charlotte Rampling – “45 Anos”,
Saoirse Ronan – “Brooklyn”

Melhor Ator
Bryan Cranston – “Trumbo”,
Matt Damon – “Perdido em Marte”,
Leonardo DiCaprio – “The Revenant: O Renascido”,
Michael Fassbender – “Steve Jobs”,
Eddie Redmayne – “A Rapariga Dinamarquesa”

Melhor Atriz Secundária
Jennifer Jason Leigh – “Os Oito Odiados”,
Rooney Mara – “Carol”,
Alicia Vikander – “A Rapariga Dinamarquesa”,
Kate Winslet – “Steve Jobs”,
Rachel McAdams – “O Caso Spotlight”

Melhor Ator Secundário
Christian Bale – “A Queda de Wall Street”,
Tom Hardy – “The Revenant: O Renascido”,
Mark Ruffalo – “O Caso Spotlight”,
Mark Rylance – “Ponte dos Espiões”,
Sylvester Stallone – “Creed: O Legado de Rocky”

Melhor Argumento Original
“Ponte dos Espiões”,
“Ex Machina”,
“Divertida-mente”,
“O Caso Spotlight”, “Straight Outta Compton”

Melhor Argumento Adaptado
“A Queda de Wall Street”,
“Brooklyn”,
“Carol”,
“Perdido em Marte”,
“Quarto”

Melhor Filme Estrangeiro
“Embrace of the Serpent” (Colômbia),
“Mustang” (França),
“Son of Saul” (Hungria),
“Theeb" (Jordânia),
“A War” (Dinamarca)

Melhor Filme de Animação (Longa-Metragem)
“Anomalisa”,
“Divertida-mente”,
“A Ovelha Choné – O Filme”,
“Memórias de Marnie”,
“O Menino e o Mundo”

Melhor Filme de Animação (Curta-Metragem)
“Bear Story”,
“Prologue”,
“Sanjay’s Superteam”,
“We Can’t Live Without Cosmos”,
“World of Tomorrow”

Melhor Documentário (Longa-Metragem)
“Amy”,
“Cartel Land”,
“The Look of Silence”,
“What Happened, Miss Simone?”,
“Winter on Fire: Ukraine’s Fight for Freedom”

Melhor Documentário (Curta-Metragem)
“Body Team 12”,
“Chau Beyond the Lines”,
“Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah”,
“A Girl in the River: The price of forgiveness”,
“Last Day of Freedom”

Melhor Curta-Metragem (Live Action)
“Avé Maria”,
“Day One”,
“Everything Will Be Okay (Alles wird gut)”,
“Shok”,
“Stutterer”

Melhor Fotografia
“Carol”,
“Os Oito Odiados”,
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“The Revenant: O Renascido”,
“Sicario”

Melhor Montagem
“A Queda de Wall Street”,
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“The Revenant: O Renascido”,
“Star Wars: O Despertar da Força”,
“O Caso Spotlight”

Melhor Banda Sonora Original
“Ponte dos Espiões”,
“Carol”, “Os Oito Odiados”,
“Sicario”,
“Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Canção Original
‘Earned It’ – 50 Sombras de Grey,
’Til It Happens To You’ – The Hunting Ground,
‘Writings On The Wall’ – 007 Spectre,
‘Manta Ray’ – Racing Extinction,
‘Simple Song’ – Youth

Melhor Edição de Som
“Sicario”, “Mad Max: Estrada da Fúria”,
“Perdido em Marte”,
“The Revenant: O Renascido”,
“Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Mistura Sonora
“Ponte dos Espiões”,
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“Perdido em Marte”,
“The Revenant: O Renascido”,
“Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Direção Artística
“Ponte dos Espiões”,
“A Rapariga Dinamarquesa”,
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“Perdido em Marte”, “The Revenant: O Renascido”

Melhores Efeitos Visuais
“Ex Machina”,
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“Perdido em Marte”, “The Revenant: O Renascido”,
“Star Wars: O Despertar da Força”

Melhor Guarda-Roupa
“Carol”,
“Cinderela”,
“A Rapariga Dinamarquesa”,
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“The Revenant: O Renascido”

Melhor Caracterização
“Mad Max: Estrada da Fúria”,
“The Revenant: O Renascido”,
“O Centenário Que Fugiu Pela Janela e Desapareceu”