Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Onda Bienal garante cultura para todos os gostos em Vila Nova de Gaia

  • 333

Seia, Gondomar, Cerveira, Tabuaço, Viana do Castelo e Barcelos também receberão exposições de artes plásticas

Cláudia Lopes

A exposição 25 de Abril a Norte, uma exibição de fotografias de Pereira de Sousa que decorrerá em Abril na Câmara Municipal de Gaia, e a mostra antológica de Nadir Afonso, a ter lugar na Casa Museu Teixeira Lopes e no convento Corpus Christi em Julho, são os destaques da programação da Onda Bienal, uma iniciativa destinada a dar continuidade à I Bienal de Arte de Gaia de 2015.

O objetivo da Onda centra-se na divulgação da arte nos anos intercalares às bienais. O programa foi agora apresentado pelo Presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, e por Agostinho Santos, diretor da Onda Bienal e presidente da direção da Cooperativa Cultural Artistas de Gaia, que classificou esta iniciativa como “um projeto artístico forte, de qualidade, que reafirma Vila Nova de Gaia como a cidade das artes”.

De momento, está patente no edifício da Câmara Municipal de Gaia a exposição Trabalhos Recentes, um conjunto de esculturas de metal e madeira do artista Joaquim Pires, a primeira de várias iniciativas que decorrerão ao longo dos próximos meses.

Março trará Memórias da Bienal, uma mostra de fotografia de Isilda Patrocínio sobre a I Bienal de Arte de Gaia de 2015, visitada por mais de 35 mil pessoas, e a exposição Gaiarte/Onda Bienal, um evento solidário que contará com a participação de 120 artistas. Em abril, as artes plásticas abandonam as salas de exposição tradicionais para se instalarem nos Hospitais e Centros de Saúde de Gaia e Espinho, contexto que estabelece uma dinâmica diferente ao fazer com que a arte vá ao encontro das pessoas e não o contrário.

A escultura contemporânea tem lugar no mês de maio. Em junho realiza-se a exposição anual de Sócios da Cooperativa Artistas de Gaia, na Biblioteca Municipal da cidade, e Julho conta com uma apresentação de arte religiosa no Mosteiro de Grijó.

Quanto à II Bienal de Arte de Gaia, que acontecerá em 2017, Agostinho Santos revela que o planeamento já está a decorrer e que até ao momento a maior novidade se prende com a realização de um protocolo de colaboração com a Bienal de Cerveira, o que resultará numa permuta de artistas e exposições entre as duas localidades.