Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Professora do Português ganha prémio Aquilino Ribeiro

  • 333

Em ano de estreia, o prémio literário, de âmbito nacional, resulta de um concurso realizado sobre obras inéditas de ensaio em torno do universo de Aquilino Ribeiro

A investigadora e professora de Português do ensino secundário Maria da Nazaré de Matos venceu a primeira edição do prémio Aquilino Ribeiro, ao apresentar um ensaio inédito sobre o mestre das "Terras do Demo".

O prémio literário, de âmbito nacional, resulta de um concurso realizado em 2015 sobre obras inéditas de ensaio em torno do universo de Aquilino Ribeiro, promovido pelo Centro de Estudos Aquilino Ribeiro (CEAR), com o alto patrocínio do município de Viseu.

Na sessão pública do anúncio e entrega do prémio, no valor de 10 mil euros, que decorreu ao final da manhã desta quarta-feira em Viseu, o representante do júri, Henrique Almeida, sublinhou que o ensaio de Maria da Nazaré de Matos se distanciou dos outros sete, de vários pontos do país, que estiveram a concurso.

"Foi consensual a opção por este trabalho, que se espera que venha a ser editado, depois de reconfigurado para um público mais alargado. Distanciou-se dos restantes logo numa primeira linha, quer pela sua estrutura, qualidade de linguagem, rigor de análise à temática e abertura, que possibilita aos leitores uma maior acessibilidade e paixão à obra de Aquilino", sustentou.

De acordo com Henrique Almeida, o ensaio premiado debruça-se sobre uma das componentes fundamentais da obra de Aquilino, que é a categoria do espaço. "A forma como aborda essa categoria faz com que saia de uma dimensão meramente territorial, física e rural e analise as componentes do espaço social, psicológico, mítico e lendário. Há aqui uma visão muito subliminar da capacidade que Aquilino mostrou na sua obra de reverter uma categoria, embora inspirada pela terra, mas que permite abertura a uma cosmovisão e pluralidade dessa dimensão do espaço, que de facto surpreende", justificou.

Ao longo da sua intervenção, o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, manifestou a disponibilidade do município em renovar o apoio à reedição do prémio, com vista a promover "a criação literária ficcional em torno do universo e das paisagens de Aquilino e da cidade-região de Viseu".

"A organização deste prémio é mais um passo no desígnio de 'desengavetar' a obra de Aquilino Ribeiro, trazendo-a à luz do dia e para junto das pessoas. As obras de Aquilino são um património universal de forte inspiração regional e Viseu é uma cidade que acolhe a memória de Aquilino Ribeiro", acrescentou.

No final da entrega do prémio, a professora de 59 anos, natural de Ílhavo, explicou aos jornalistas que o seu ensaio aborda o espaço nos contos de Aquilino Ribeiro.

"Iniciei esse estudo nos contos, na narrativa breve, porque considero que é uma forma de chegar primeiramente aos alunos. São narrativas curtas e é uma forma de os cativar para Aquilino Ribeiro", frisou.

Maria da Nazaré de Matos lamenta que Aquilino Ribeiro esteja "um bocadinho arredado da escola e dos programas", sendo ele "uma figura maior", contemporânea de Fernando Pessoa, que é "estudado ao longo de meio ano no 12.º ano". "Aquilino é uma figura da época e podia dar uma outra perspetiva de Portugal no mesmo período", reforça.

A investigadora ainda não sabe o que vai fazer com os 10 mil euros do prémio, esperando, para já, que o seu ensaio venha a ser publicado, com alguns arranjos, "para conseguir chegar aos alunos do ensino secundário".

"Será muito enriquecedor voltar a ler textos de Aquilino na escola, não que seja estudado na dimensão em que hoje é estudado Fernando Pessoa, mas, pelo menos, que faça parte do programa com pequenos textos e que comecemos por aí", conclui.