Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Morreu um revolucionário da música clássica contemporânea

  • 333

MATE NANDORFI / EPA

Em 2001, Pierre Boulez foi condecorado em Portugal com a Grã-Cruz da Ordem de Santiago, pelo então Presidente da Repúbllica Jorge Sampaio

O compositor e maestro francês Pierre Boulez morreu esta terça-feira, aos 90 anos, em Baden-Baden, na Alemanha, revelou esta manhã a Philhamornie de Paris, citando a família.

Pierre Boulez, que em 2012 esteve em destaque na programação da Casa da Música, no Porto, era considerado um dos maiores nomes da música clássica contemporânea, pelo desenvolvimento de técnicas e métodos de composição assentes, muitos deles, em princípios matemáticos.

O maestro, que se apresentou várias vezes em Portugal, dirigiu grandes orquestras, entre as quais a Filarmónica de Nova Iorque, Chicago e Viena e Sinfónica da BBC, tendo sido também o fundador do Instituto de Pesquisa e Coordenação Acústica/Música, do Centro Georges Pompidou, e do Ensemble Intercomtemporain (1976).

Em 2001, o premiado compositor foi condecorado em Portugal com a Grã-Cruz da Ordem de Santiago, pelo então Presidente da Repúbllica Jorge Sampaio.