Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

O novo herói do streaming

  • 333

Myles Aronowitz/Netflix

A força de Luke Cage é uma das grandes apostas da Marvel e da Netflix para o novo ano. Mike Colter dá vida ao novo herói do streaming. Nesta semana de ano novo, escrevemos sobre as séries que vão abanar com 2016

Depois do género, a cor. A Marvel e a Netflix estão empenhadas em mudar a forma como o grande público vê os super-heróis e 2016 será marcado pelo lançamento de uma nova série. "Luke Cage" é o nome da mais recente aposta (ainda em segredo e cujos pormenores são avançados a conta gotas). Por enquanto sabe-se apenas que Mike Colter (o Lemond Bishop de "The Good Wife") será o protagonista e que as filmagens já começaram.

Bem, talvez não seja tanto assim, uma vez que Luke já é conhecido de "Jessica Jones" (série estreada este ano, a par com "Demolidor"). A personagem é misteriosa e a série com o seu nome também o será. Sem poder adiantar muitos detalhes, Mike Colter diz que a produção será "completamente diferente de "Jessica Jones", assim como "Demolidor" é completamente diferente das duas [que depois lhe sucederam]”.

Se o argumento para a série é ainda um dos segredos mais bem guardados do mundo Marvel (embora Luke Cage já existisse em banda desenhada), o ator norte-americano levantou a ponta do véu e confirmou o que os fãs ansiavam. ""Luke Cage" vai começar logo após os eventos da primeira temporada de "Jessica Jones", com Luke "a lamber as feridas, enquanto tenta descobrir qual será o seu próximo passo, algo difícil de antever uma vez que ele não sabe o que fazer a partir de agora".

De acordo com as informações divulgadas pela Netflix, a primeira temporada de "Luke Cage" vai ter 13 episódios. O objetivo é explorar em pormenor a história desta "personagem da Marvel com uma superforça e pele indestrutível, que é preso por um crime que não cometeu e depois escapa para se tornar um super-herói que vende os seus serviços". A data de estreia no serviço de streaming ainda não é conhecida.

  • (#5) O homem que só sabe seis coisas: “Wayward Pines”, a série que ia ter uma única temporada

    “Ethan Burke acorda sem saber onde se encontra. Só sabe seis coisas: o nome do atual Presidente dos Estados Unidos, a aparência do rosto da mãe, que é capaz de tocar piano e de pilotar helicópteros, que tem 37 anos e que precisa de encontrar um hospital tão rápido quanto possível.” A trama abre assim e esta premissa virou fenómeno - e uma série de temporada única viu-se forçada a quebrar a própria regra. Nesta semana de Natal e depois na de ano novo, escrevemos sobre as séries que mexeram com 2015 e as que vão abanar com 2016

  • (#3) “Mr. Robot”: Que se lixe a sociedade

    Elliot Alderson sabe de programação como ninguém, mas tem contra si as fracas capacidades sociais. É entre a luz e a sombra, ou o mal e o bem (exatamente por esta ordem), que tudo acontece em “Mr.Robot”. Nesta semana de Natal e depois na de ano novo, escrevemos sobre as séries que mexeram com 2015 e as que vão abanar com 2016

  • (#2) Uma família ainda mais moderna: os Pfefferman de "Transparent"

    Esta é uma série que nos abre os olhos e nos prepara para um mundo melhor (sem preconceitos de uns e medos de outros). "Transparent" é assim, uma lição de vida em duas temporadas — mas com muito humor à mistura. Nesta semana de Natal e depois na de ano novo, escrevemos sobre as séries que mexeram com 2015 e as que vão abanar com 2016

  • Tempo de voltar a estalar o verniz

    Claire Foy vai interpretar o papel de rainha Isabel II durante a primeira temporada de “The Crown”. Com um orçamento de 135 milhões de euros, a biossérie é a maior produção de sempre para a Netflix. Nesta semana de ano novo, escrevemos sobre as séries que vão abanar com 2016

  • Ele não vê o futuro, ele ouve-o

    Mick Jagger pensou e Martin Scorcese concordou. A história e o mundo da música serão revelados a partir de fevereiro. Nesta semana de ano novo, escrevemos sobre as séries que vão abanar com 2016