Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

A luz do dia ou o negrume da noite: “Outcast”, do criador de “Walking Dead”

  • 333

© 2015. FOX International Studios. All rights reserved. Photographer: Niko Tavernise

Nesta semana de ano novo, escrevemos sobre as séries que vão abanar com 2016

Robert Kirkman não sabe estar parado e essa vontade incessante de criar está na génese de um dos maiores sucessos da televisão nos últimos anos. Depois de “The Walking Dead” (emitido em Portugal pela FOX) e de “Fear The Walking Dead” (transmitido pelo AMC), é a vez de “Outcast” ver a luz do dia. Ou o negrume da noite.

Kyle Barnes (interpretado por Patrick Fugit) é o homem no centro da trama e o seu passado mal resolvido é trazido para o presente. Há uma força demoníaca que o atormenta desde a infância e será com a ajuda de um padre, o Reverendo Anderson, que pegará nas suas memórias para ajudar os que hoje sofrem dos mesmos males.

O mundo negro de Kyle Barnes

A fotografia de “Outcast” será mais negra que a que nos habituámos a ver em “The Walking Dead”, mas, à partida, a construção das cenas não dará espaço aos sustos que todos nos habituámos a ver nos filmes de terror comerciais. Aqui tudo será pensado de uma forma mais profunda e o ambiente tomará conta das salas dos que sintonizarem a televisão na FOX.

À semelhança do que aconteceu em 2015, o ano que se avizinha promete muitas horas de boas séries e as exceção não acontecerá aqui. O projeto de “Outcast” já começou há muito tempo e a história já está traçada. Exato, a sina de Kyle Barnes já é conhecida.

Paul Azaceta é o criador dos desenhos do “Outcast” original

Paul Azaceta é o criador dos desenhos do “Outcast” original

Para aqueles a quem o trailer soube a pouco e não conseguem esperar pelo primeiro episódio — realizado por Adam Wingard, responsável pelos filmes “The Guest” e “You Are Next” —, podem começar pela leitura. À semelhança de “The Walking Dead”, também “Outcast” existe de forma física em banda desenhada, mas desta vez os textos de Kirkman surgem associados aos desenhos de Paul Azaceta.

  • (#5) O homem que só sabe seis coisas: “Wayward Pines”, a série que ia ter uma única temporada

    “Ethan Burke acorda sem saber onde se encontra. Só sabe seis coisas: o nome do atual Presidente dos Estados Unidos, a aparência do rosto da mãe, que é capaz de tocar piano e de pilotar helicópteros, que tem 37 anos e que precisa de encontrar um hospital tão rápido quanto possível.” A trama abre assim e esta premissa virou fenómeno - e uma série de temporada única viu-se forçada a quebrar a própria regra. Nesta semana de Natal e depois na de ano novo, escrevemos sobre as séries que mexeram com 2015 e as que vão abanar com 2016

  • (#3) “Mr. Robot”: Que se lixe a sociedade

    Elliot Alderson sabe de programação como ninguém, mas tem contra si as fracas capacidades sociais. É entre a luz e a sombra, ou o mal e o bem (exatamente por esta ordem), que tudo acontece em “Mr.Robot”. Nesta semana de Natal e depois na de ano novo, escrevemos sobre as séries que mexeram com 2015 e as que vão abanar com 2016

  • (#2) Uma família ainda mais moderna: os Pfefferman de "Transparent"

    Esta é uma série que nos abre os olhos e nos prepara para um mundo melhor (sem preconceitos de uns e medos de outros). "Transparent" é assim, uma lição de vida em duas temporadas — mas com muito humor à mistura. Nesta semana de Natal e depois na de ano novo, escrevemos sobre as séries que mexeram com 2015 e as que vão abanar com 2016