Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Três mulheres deste país perderam o juízo

  • 333

O trailer começa com um bandido irrelevante a perguntar a uma mulher prudente se ela é um anjo. Basta aquele momento para querer ver o filme inteiro. Nesta semana de Natal escrevemos sobre cinco filmes que fizeram 2015 prosperar - e depois haverá tempo, mas somente na próxima semana, para prosar sobre cinco filmes que vão agitar com o 2016 que há de vir

“The Homesman – Uma Dívida de Honra”

Realização: Tommy Lee Jones
Com: Hilary Swank, Tommy Lee Jones, Grace Gummer, Miranda Otto, Sonja Richter, Jo Harvey Allen
122 min

2015 foi o ano em que o ator Tommy Lee Jones tomou as rédeas de um filme que nos levou de regresso ao velho oeste americano e que trouxe algo de novo a um género já longamente explorado por Hollywood, o western. “The Homesman – Uma Dívida de Honra” deixa de lado os cowboys para colocar no centro da história os mais fracos, aqueles que sucumbiam perante a dureza do território que se situava nos limites das fronteiras americanas de então.

Com argumento e realização de Jones, o filme decorre na década de 1830, no Estado do Nebraska, o mais a oeste dos Estados Unidos de então. Hilary Swank surge como Mary Bee Cuddy, uma dura agricultora que trata sozinha da sua propriedade isolada. Tommy Lee Jones é George Briggs, um pequeno marginal de meia-idade que ela salva da morte para o obrigar a acompanhá-la na espinhosa missão de levar três mulheres loucas até ao vizinho Estado do Iowa.

A viagem representa a única possibilidade de salvação daquelas mulheres, face à incapacidade tanto dos seus maridos como da restante comunidade de tomarem conta delas. Dada a recusa de todos os outros, acaba por ser Marry a assumir a tarefa, eventualmente suicida, de as transportar.

As três mulheres, loucas e em rutura, surgem como uma espécie de personagens passivas, transportadas enjauladas numa carroça que havia sido construída para levar prisioneiros, alheadas de todos os perigos que as rodeiam, aos quais Mary terá de fazer frente com o auxílio forçado de George. O filme é desenvolvido em torno da dinâmica estabelecida entre os dois (com grandes desempenhos de ambos os atores), dentro de um território que irá testar as suas diferentes motivações na luta pela sobrevivência.

  • Sabes qual é o teu problema? Para não sofreres, preferes iludir-te

    As relações humanas, as desigualdades sociais, os jogos de poder e a irascibilidade: um grande filme turco, vindo das Montanhas da Anatólia. Nesta semana de Natal escrevemos sobre cinco filmes que fizeram 2015 prosperar - e depois haverá tempo, mas somente na próxima semana, para prosar sobre cinco filmes que vão agitar com o 2016 que há de vir

  • Uma pequena e simples lição de psicologia

    Há alegria, medo, raiva, repulsa e tristeza: “Divertida-Mente”, um filme para relembrar, explicar e sugerir. Nesta semana de Natal escrevemos sobre cinco filmes que fizeram 2015 prosperar - e depois haverá tempo, mas somente na próxima semana, para prosar sobre cinco filmes que vão agitar com o 2016 que há de vir