Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

(#5) O homem que só sabe seis coisas: “Wayward Pines”, a série que ia ter uma única temporada

  • 333

“Ethan Burke acorda sem saber onde se encontra. Só sabe seis coisas: o nome do atual Presidente dos Estados Unidos, a aparência do rosto da mãe, que é capaz de tocar piano e de pilotar helicópteros, que tem 37 anos e que precisa de encontrar um hospital tão rápido quanto possível.” A trama abre assim e esta premissa virou fenómeno - e uma série de temporada única viu-se forçada a quebrar a própria regra. Nesta semana de Natal e depois na de ano novo, escrevemos sobre as séries que mexeram com 2015 e as que vão abanar com 2016

Entrou-nos pelo ecrã ao mesmo tempo que assaltava as livrarias. Era forte, capaz de viciar, tinha uma trama fora do comum. A aura era a de “Twin Peaks”, série preferida de Blake Crouch (o criador), mas ele sempre recusou as comparações — e tentativas de colagem. “Wayward Pines”, o nosso #5 do top de 2015, chegou e cativou. Deixa saudades, mas... Bem, lá chegaremos.

Falar da produção que David Lynch e Mark Frost levaram aos ecrãs na década de 90 é invocar algo sagrado. Esta produção sem igual (incluída no livro “Mais de 350 Livros, Discos, Filmes, Obras de Arte e Séries de TV”) inspirou Crouch desde os 12 anos e o resultado está à vista. Numa obra de estreia em três volumes, o autor construiu uma realidade paralela que a FOX abraçou desde o primeiro momento.

“Ethan Burke acorda sem saber onde se encontra. A memória prega-lhe partidas, sente-se dorido e os seus ferimentos parecem-se com os que sofreu durante a Segunda Guerra do Golfo. Terá sido vítima de um acidente. Ao caminhar, descobre que nada lhe é familiar, talvez nem mesmo a própria existência. Só sabe seis coisas: o nome do atual Presidente dos Estados Unidos, a aparência do rosto da mãe, que é capaz de tocar piano e de pilotar helicópteros, que tem 37 anos e que precisa de encontrar um hospital tão rápido quanto possível.” Foi assim que o Expresso introduziu a série, mas não esperávamos que o fenómeno tomasse estas proporções.

Alerta spoilers! A vida aqui tem uma consistência diferente e tudo se passa com outro ritmo. Ethan Burke passou por diversos estádios — da ignorância à resignação, passando pela revolta — e chegou ao cargo de xerife. A administração de Wayward Pines é difícil e gerir as histórias de todas aquelas pessoas é um desafio apenas à altura dos melhores.

A chegada da mulher e do filho à cidade veio mudar tudo e era preciso protegê-los dos estranhos eventos. O filho será criado segundo as regras do local e o seu cérebro foi programado à medida da realidade. Ele pertence à geração que conhece a verdadeira história de Wayward Pines e as consequências não se farão esperar.

A somar a tudo o resto, há também um amor do passado (com uma nova identidade) a dar-lhe voltas à cabeça, mas a principal dificuldade reside em separar o bem do mal e perceber em quem se pode confiar. Será possível ter confiança total em alguém? Possivelmente não.

Ethan Burke regressa em 2016

Era uma série-evento e não havia qualquer possibilidade de regressar para uma nova temporada. Os três livros (editados em Portugal pela Suma de Letras) deram origem à primeira temporada da série e esperava-se que a cidade de Wayward Pines ficasse perdida no tempo. Não será assim.

“A segunda temporada vai levar o suspense, a visão do futuro, e o drama de personagens perturbadas para novos níveis” afirmou David Madden, diretor de conteúdos da FOX Broadcasting Company, quebrando o silêncio que se instalara e dando uma nova esperança aos fãs. “Mal podemos esperar para que os fãs possam continuar esta jornada no próximo ano”, concluiu. “Wayward Pines regressa no verão de 2016. Será que continua a viciar e vai permanecer no top? É esperar para ver.