Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Viola Davis diz-nos “Como Defender um Assassino”

  • 333

Mitchell Haaseth

É uma das atrizes do momento e regressa agora ao papel que lhe valeu o primeiro Emmy. A segunda temporada de “Como Defender Um Assassino” estreia-se esta quinta-feira no AXN e quem perdeu a primeira terá de dar uma espreitadela no Netflix (ou ler o que se passou). Alerta: há spoilers

Há perguntas que ficaram sem resposta. Há respostas que poderão não corresponder à verdade. Se a primeira temporada terminou com a morte de Rebecca (Katie Findlay), agora é preciso descobrir quem terá posto termo a esta vida. Enquanto todas as personagens se questionam sobre o desaparecimento, há quem já saiba que a jovem não vai regressar. Annalise (Viola Davis) e Frank (Charlie Weber) são os seus nomes e tudo poderá mudar quando o destinatário de uma última mensagem de Rebecca for conhecido.

Embora esteja morta, Rebecca não será esquecida. O assassino terá de ser revelado. É preciso deixar claro que também Sam (Tom Verica), marido de Annalise, foi morto, mas que a sua personagem poderá voltar à trama. Não, não se trata de uma ressurreição ou de algo sobrenatural. Faz parte da estratégia adotada pela equipa de argumentistas. Os saltos temporais são frequentes e essa dinâmica ajuda a contar a história criada por Peter Nowalk, criativo que já provou o seu talento na televisão norte-americana.

Voltamos à história com o cuidado de não desvendar nada do que será descoberto. O segredo é a alma da série e aqui nada é o que parece. Nem o ser humano. O bem e o mal andam de mãos dadas e uma mão lava a outra. É assim o mundo de Annalise, que não olha a limites no exercício da sua profissão. Entre o ensino e a prática da advocacia, considera (sempre) que os fins a alcançar justificam os meios utilizados. Ela é carismática e a melhor naquilo que faz, mas é também uma manipuladora nata.

Os Keating 5 continuam a desempenhar um papel de relevo e voltarão a tratar do trabalho sujo

Os Keating 5 continuam a desempenhar um papel de relevo e voltarão a tratar do trabalho sujo

Richard Cartwright

A segunda temporada de “Como Defender Um Assassino”, com estreia marcada para esta quinta-feira, às 22h15, no AXN, traz novas emoções para a trama e novos casos para desvendar (ou esconder). Os Keating 5 — grupo de alunos brilhantes escolhidos por Annalise para a ajudarem no escritório — continuam a desempenhar um papel de relevo e voltarão a tratar do trabalho sujo. Esquecem os seus valores, põem em causa quem são e seguem as ordens da professora à risca. Se for preciso, seduzem alguém para ter acesso privilegiado a dados da acusação. Se necessário for, revolvem a vida de uma testemunha de acusação para a desacreditar. A tão falada idoneidade pode ser destruída com um pequeno passo de bastidores. Para conhecer alguns deles (ou relembrar as suas facetas), o melhor é conhecer as personagens no final do artigo.

Há um novo cliente para defender. Se na primeira temporada a história dos arguidos não interferia na narrativa principal, isso está prestes a mudar. Há dois gémeos acusados de duplo homicídio e Annalise aceita o caso. As vítimas são os próprios pais adotivos e os irmãos Hapstall poderão ter um papel mais importante na série do que qualquer outro assassino. A advogada entrará a fundo na vida deles e também ela poderá sofrer as consequências de saber demasiado. Calma. Viola Davis continua no centro dos acontecimentos e os Keating 5 estarão lá para o que for necessário.

A mulher do momento

Tudo gira à sua volta. A personagem de Viola Davis é o centro da trama e sem ela nada seria possível. Estudou, lutou, esteve em todo o lado. Da Broadway ao cinema, passando pela televisão. Nomeada por diversas vezes, nunca havia vencido nenhum dos grandes prémios norte-americanos. A personagem de Aibileen Clark em “As Serviçais” valeu-lhe a nomeação para Melhor Atriz nos Óscares e nos Globos de Ouro. O mesmo se sucedeu com Mrs. Miller em “Dúvida”, desta vez na categoria de Melhor Atriz Secundária. Nunca ganhou.

“Como Defender Um Assassino” veio mudar o rumo da sua carreira. Annalise Keating assenta-lhe como uma luva e a crítica aplaudiu-a. Venceu o Emmy para Melhor Atriz de Drama este ano e os próximos tempos pertencem-lhe. O famoso discurso de agradecimento pode não ter caído bem a muita gente, mas a mensagem ficou. “A única coisa que diferencia as mulheres negras das outras é a oportunidade”, disse.

Este é o caminho e são várias as séries que agora apostam em negros para figuras centrais. Inclusão ou estratégia? Podem ser ambas e talvez nem haja qualquer problema. Shonda Rhimes — responsável por sucessos como “Scandal” ou “Anatomia de Grey” e que desempenha o papel de produtora executiva na série — é uma das principais impulsionadoras deste movimento disruptivo. A tendência está para ficar e a Shondaland, produtora que mantém um acordo com o canal norte-americano ABC, luta também pelo fim dos estereótipos raciais na televisão.

AS PERSONAGENS

Wes Gibbins

Bob D'Amico

É um dos protegidos de Annalise e a ligação da personagem interpretada por Alfred Enoch à sua mentora poderá ainda crescer. Wes entrou em Middleton Law School como um jovem inocente, mas essa inocência acabará perdida. Os colegas desconfiam de que poderá haver um segredo a selar o acordo entre o estudante e a advogada.

Michaela Pratt

Bob D'Amico

Do grupo dos Keating 5, Michaela (Aja Naomi King) é a mais parecida com a mentora. A sua ambição é grande e a estudante faz tudo o que está ao seu alcance para sobressair, sendo sempre a primeira da sala a participar. Chegará o tempo em que tentará ultrapassar a mestre, mas não sabemos se vai conseguir atingir os seus objetivos.

Connor Walsh

Bob D'Amico

Considera-se o mais inteligente do grupo (mesmo que não seja) e está em constante competição com Michaela. Connor (Jack Falahee) é um executante nato e não nega pedidos à sua mentora, mas será que vai conseguir corresponder às exigências de Annalise? O caminho é cada vez mais negro e a ética mais distante.

COMO DEFENDER UM ASSASSINO
De Peter Nowalk
Com Viola Davis, Charlie Weber, Alfred Enoch, Aja Naomi King, Alfred Enoch, Karla Souza, Matt McGorry, Jack Falaheel (EUA)
AXN, estreia esta quinta-feira, 22h15