Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Homenagem a António Variações algures “Entre Braga e Nova Iorque”

  • 333

Durante dois dias, esta quinta e sexta-feira, será reconstruído o retrato artístico do homem que completaria agora 71 anos

André M. Correia

Arquivo Expresso

A 3 de dezembro de 1944, no lugar de Fiscal, em Amares, nascia António Joaquim Rodrigues Ribeiro, que mais tarde se transformaria no barbeiro mais famoso de Portugal, não pela qualidade ou originalidade dos cortes, mas pela música que o eternizou como António Variações. Se ainda fosse vivo, completaria esta quinta-feira 71 anos, data que a terra que o viu nascer não esquece.

Em homenagem ao cantautor, falecido a 13 de junho de 1984, realiza-se, esta quinta e sexta-feira, a iniciativa “Entre Braga e Nova Iorque”, nome que surge da biografia do artista redigida pela jornalista Manuela Gonzaga. “As letras das suas músicas, com raízes na sua terra natal, contam essa viagem, entre Braga e Nova Iorque”, assim como manifestam as “interrogações pessoais” do artista e a sua vontade de mudança, “num país a mudar devagar”, explicam, em comunicado, os promotores deste tributo

Este ato comemorativo pretende apresentar ao público contemporâneo “desenhos, palavras, imagens e sons “que servem para pintar” o retrato artístico de António Variações “no presente coletivo que nos define”, reunindo trabalhos de diversos autores que se associam a esta homenagem, acrescenta a organização.

Na quinta-feira, a Galeria de Artes e Ofícios de Amares recebe, pelas 21h30, duas iniciativas: António Variações e o poder do sonho, uma apresentação que fica a cargo de Manuela Gonzaga, complementada com uma exposição de mais de 30 trabalhos fotográficos – muitos deles inéditos – da autoria de Teresa Couto Pinto.

Na sexta-feira, esta viagem celebrativa prossegue e desloca-se até Braga, onde no Theatro Circo se realiza, também pelas 21h30, um concerto “especial” a cargo do coletivo ‘BragaNY’, pensado e dirigido por Samuel Úria. Deste projeto fazem igualmente parte Tiago Cavaco (conhecido artisticamente por Tiago Guillul, pastor da Igreja Batista e compositor de ‘panque-roque’), a cantora moçambicana Selma Uamusse e Rui Pregal da Cunha, antigo vocalista e membro fundador da banda Heróis do Mar.

O concerto é feito de “diferentes momentos musicais, em que se imagina Variações como habitante de uma cidade ou espaço imaginário”, algures entre Braga e Nova Iorque ou mesmo um lugar que constitua “uma espécie de junção desses dois espaços reais”, explica a organização na nota informativa.

O espetáculo vai contar com projeções de imagens dessa cidade hipotética, BragaNY, e apresenta um repertório musical onde coabitam originais tocados pelo “espírito” de António Variações e versões de Samuel Úria a partir do legado e do imaginário pop do homenageado.

Após o concerto, a festa prossegue no foyer do Theatro Circo com um dj set a cargo de Rui Miguel Abreu.