Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Mr. Robot chegou. Que se lixe a sociedade

  • 333

USA Network

Fsociety é o nome de um grupo que pretende pôr termo à ditadura económica instalada e Elliot Alderson é o homem no centro desta série de sucesso nos Estados Unidos. "Mr.Robot" estreia esta sexta-feira em Portugal

O sistema está criado. É impossível mudá-lo, recriá-lo, recuperá-lo. A única forma de não sermos engolidos por ele é destruindo-o. É assim que “Mr. Robot” nos apresenta ao mundo. A uma verdade à qual por vezes fugimos, tomando-a como mera ficção.

Numa sociedade em que a informação é tudo — mesmo que nem sempre notemos a sua importância —, esta série transporta-nos para a realidade das grandes empresas, do poder económico como forma de controlar as vidas dos menos afortunados e da existência de uma pequena janela digital capaz de virar a tudo do avesso. Tudo é rastreado, tudo é controlado. Ninguém está sozinho. A privacidade é hoje um mito que nos remete para a solidão confortável de outros tempos.

Assistimos ao nascimento de movimentos como os Anonymous e descobrimos o escândalo das escutas da Agência de Segurança Nacional (NSA), mas agora é tempo de a verdade vir à tona. Até podemos conhecer a ponta gelada do icebergue, mas tudo o que acontece abaixo da linha de água é terreno desconhecido.

A expedição será liderada por Elliot Alderson (Rami Malek), um hacker brilhante com fracas capacidades sociais. Soturno, triste, necessita de drogas para fugir de si próprio, daquilo que é. A trabalhar como engenheiro de cibersegurança na Allsafe Security, este jovem programador tem as ferramentas necessárias ao seu alcance. Quando tudo ameaça desmoronar-se, com a E Corp. a ser vítima de um ataque, ele é chamado a intervir. Percebe que o ataque estava pensado para que fosse ele a resolvê-lo e decide deixar uma porta aberta para futuras intrusões.

Embora os seus traços psicológicos apontassem para alguém fraco, sem possibilidade de agir, ele é um dos escolhidos por esta nova força secreta, a Fsociety. Elliot passa a trabalhar dos dois lados da barricada: de dia certifica-se de que a segurança informática não sofre ataques de piratas, de noite junta-se à equipa contrária de forma a destruir o sistema a partir do topo. A E Corp. é um dos maiores grupos económicos. O seu fim é um passo rumo ao estabelecimento de uma sociedade com padrões mais justos.

Este hacker até pode conseguir entrar nos computadores mais protegidos, ultrapassando os protocolos de segurança mais rígidos, mas também nós estamos dentro dele. Os pensamentos de Elliot são muitas vezes expostos em voz alta (ou pelo menos através de uma voz interior audível), dando pistas sobre as suas inseguranças e os seus futuros passos.


Para entrar neste mundo paralelo (em que ainda é possível lutar contra a realidade que nos vai tomando) o melhor é visitar e explorar este site. Aqui, o secretismo é regra e será ele a testar as capacidades de quem entrar na sua página. Entre linhas de código, charadas e armadilhas, são revelados alguns dos argumentos e reivindicações da Fsociety. (Aviso: se o tema lhe interessa, ficará ainda mais colado a este misterioso personagem interpretado por Christian Slater).

O fim de algumas personagens pode acontecer a qualquer momento, mas o da série tem um limite imposto pelo próprio criador. “Eu tenho um final [pensado] e estamos a quatro ou cinco temporadas dele”, revelou Sam Esmail, em resposta a um fã no Twitter. Por enquanto, sabe-se que “Mr. Robot” terá uma segunda temporada.

Em Portugal, a estreia acontece na noite desta sexta-feira, 6, a partir das 23 horas, no canal TVSéries. Que se lixe a sociedade (tal como a conhecemos).