Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Nobel de Literatura para Svetlana Alexievich

  • 333

STRINGER/REUTERS

A jornalista e escritora bielorrussa venceu a mais prestigiada distinção literária do mundo, ultrapassando outro favoritos como Philip Roth ou Joyce Carol Oates

O Nobel de Literatura foi este ano para Svetlana Alexievich, uma investigadora, jornalista, escritora e também ornitologista bielorrussa.

Nascida na Ucránia em 1948, de pai bielorrusso e mãe ucraniana, começou a carreira de jornalista entrevistando testemunhas de acontecimentos marcantes do país onde cresceu, a Bielorrússia, como a II Guerra Mundial ou a guerra soviética-afegã.

Segundo o comunicado oficial da Academia Sueca, o prémio deste ano distingue Aleksievitch pelos seus "escritos polifónicos, um monumento ao sofrimento e à coragem no nosso tempo". Escritos que se enquadram num amplo trabalho de investigação jornalística sobre a sociedade soviética e pós-soviética.

Sara Danius, porta-voz da Academia, sublinhou que a obra de Aleksievitch, embora parta da descrição de factos reais, explora o carácter emocional das personagens sobre as quais se detém, com um estilo poderoso que converte a reportagem jornalística num género literário.

Entre as obras mais significativas da escritora bielorrussa estão investigações de fundo sobre a participação das mulheres soviéticas na II Guerra Mundial ou sobre as consequências do desastre nuclear na central de Tchernobyl, em 1986. Em Portugal, está publicado apenas um livro de Svetlana Aleksievitch: "O Fim do Homem Soviético - Um tempo de desencanto", editado este ano pela Porto Editora.

Embora não seja uma autora muito conhecida, a vitória de Aleksievitch esteve longe de constituir uma surpresa absoluta, uma vez que esta quarta-feira liderava a lista de favoritos das principais casas de apostas na Europa e Estados Unidos.

Décima quarta mulher a vencer o Nobel de Literatura em 112 edições (a última fora a canadiana Alice Munro, em 2013), Aleksievitch recebeu a notícia por telefone e reagiu com uma única palavra: "Fantástico!"

[Texto atualizado às 12h45]