Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Áustria vai ter Manoel de Oliveira

  • 333

Manoel de Oliveira vai receber as insígnias de Grande Oficial da Legião de Honra, a mais alta condecoração francesa.

Rui Duarte Silva

Os filmes que vão estar em exibição no Festival Internacional de Cinema de Viena foram selecionados pelo realizador português Pedro Costa. São 25 filmes de Manoel de Oliveira

Mais de vinte filmes do realizador Manoel de Oliveira serão exibidos entre outubro e novembro na Áustria, numa parceria entre o Festival Internacional de Cinema de Viena e as cinematecas austríaca e portuguesa.

O cineasta português, que morreu em abril aos 106 anos, será recordado no festival austríaco, que começa no dia 22, com sete filmes escolhidos pelo realizador Pedro Costa, num tributo intitulado "How green was my valley", lê-se na programação oficial.

Em novembro será a Cinemateca austríaca a homenagear Manoel de Oliveira, com 25 curtas e longas-metragens, também elas selecionadas por Pedro Costa. Nos dias 13 e 14 de novembro, o diretor da Cinemateca Portuguesa, José Manuel Costa, falará sobre o cinema de Oliveira.

Tanto no festival como na Cinemateca serão exibidos, por exemplo, a curta-metragem “Douro, Fainal Fluvial” (1931), primeiro filme de Manoel de Oliveira, de 1931, e “Visita ou memórias e confissões”, que o realizador rodou nos anos 1980 e que só foi exibido depois de morrer, por expressa vontade do autor.

“Aniki Bobó” (1942, a primeira longa-metragem, “Acto da Primavera” (1963), “Amor de Perdição” (1979), “Francisca” (1981), “Vale Abraão” (1993) e “Singularidades de uma Rapariga Loura” (2009) são outros filmes de Manoel de Oliveira que serão mostrados na Cinemateca.

O festival de Viena junta-se, assim, a outros festivais de cinema, nomeadamente em Espanha, Estados Unidos, Alemanha, Cabo Verde e Taiwan, que têm recordado e enaltecido o cinema de Manoel de Oliveira.