Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

O óscar que foi vendido por €70 mil e que um tribunal permitiu que seja recomprado por €9

  • 333

Lucy Nicholson/Reuters

Em causa está uma cláusula que a Academia de Hollywood contempla nos seus contratos e que foi validada por um juiz norte-americano

Nem sempre as estatuetas douradas dos óscares ficam na posse dos seus donos. Por vezes, estes ou os seus herdeiros decidem vendê-las. Foi o que aconteceu em junho de 2014, quando a família de Joseph C Wright decidiu vender o seu óscar de 1942 - conquistado em a “Namorada” - por uma quantia que chegou a €70 mil euros.

O negócio foi entretanto invalidado por um tribunal de Los Angeles, nos EUA, que validou a cláusula que a Academia contempla nos seus contratos: antes de se tentar vender qualquer óscar, o dono ou herdeiro deverá vendê-lo à Academia por €9. Se a Academia não quiser ficar com a estatueta, então os donos podem vendê-la pela quantia que acharem certa.

A decisão do tribunal deverá impedir que negócios semelhantes sejam realizados no futuro, afastando as estatuetas do comércio de memorabilia - em 2012, por exemplo, um óscar chegou a ser vendido por €2,7 milhões.