Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Bons Sons e Sol da Caparica. A festa da música em português

  • 333

Carlão vai atuar nos dois festivais

DR

Tanto no festival de música da Caparica como no Bons Sons, que decorre na aldeia Cem Soldos, perto de Tomar, este ano investe-se na programação para o público mais novo

Com quase oitenta concertos, quase todos de música portuguesa, começam esta quinta-feira os festivais Bons Sons e Sol da Caparica, um no interior centro do país e outro junto ao mar.

Separados por cerca de 150 quilómetros, os dois festivais - que terminam no domingo - propõem experiências distintas tendo por matéria a música que se faz em Portugal e no espaço da lusofonia.

O Sol da Caparica cumpre a segunda edição no parque urbano da Costa de Caparica (Almada) e a organização espera superar os 65.000 espectadores de 2014 com as onze horas diárias de concertos. Por lá vão passar nomes mais recentes como Agir e DJ Marfox, mas também Linda Martini, Jorge Palma, Xutos & Pontapés, Brigada Victor Jara ou o brasileiro Marcelo D2.

Ao Sol da Caparica juntam-se ainda o fadista Camané e o músico Carlão, os dois artistas que também estarão no Bons Sons, o festival que ocupa a pequena aldeia de Cem Soldos, perto de Tomar.

Aqui, os concertos acontecerão em oito palcos espalhados pela aldeia, dentro e fora de portas, e com uma programação definida, seja mais virada para a música tradicional seja para as linguagens mais recentes.

Quem lá for encontrará os Clã, Manel Cruz, Ana Moura, Camané, Bruno Pernadas, o guitarrista Tó Trips, o pianista Júlio Resende, os Riding Pânico, os Penicos de Prata, Xinobi, DJ Nigga Fox e DJ Firmeza.

Depois de ter sido um festival bienal, o Bons Sons transita agora para anual, mobilizando os habitantes da aldeia em torno destes quatro dias de música, mas também de cinema e artes urbanas. Em 2014, o festival contou com 38.000 espectadores.

Tanto no Sol da Caparica como no Bons Sons este ano investe-se na programação para o público mais novo. Na Costa de Caparica, o domingo é dedicado às crianças, com concertos de Luísa Sobral e Avô Cantigas e várias atividades lúdicas.

Em Cem Soldos, as manhãs do festival foram guardadas para as crianças até aos dez anos, com ateliês de música tradicional e sessões de música para bebés.

Em cada um destes festivais o bilhete diário custa 15 euros e o passe 35 euros.