Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Morreu o compositor da "música feliz"

  • 333

BRITTA PEDERSEN / EPA

O compositor alemão James Last faleceu esta terça-feira, nos Estados Unidos, aos 86 anos. Foram 50 anos de carreira dedicada à música ligeira, de entretenimento, uma variante do "easy listening"

A "música feliz" de James Last chegou ao fim. O compositor e maestro alemão, que se tornou conhecido pela sua música ligeira (com arranjos de êxitos de pop, ao estilo das "big band"), faleceu esta terça-feira em sua casa na Flórida, nos Estados Unidos, aos 86 anos, vítima de uma doença não divulgada.  

"O distinto e proeminente artista viveu para a música e escreveu a história da música", adianta a Semmel Concerts, em comunicado. "James Last foi o mais bem-sucedido líder de orquestra alemão de todos os tempos".  

Nascido em 1929 em Bremen, na Alemanha, Hans Last aprendeu música durante a Segunda Guerra Mundial. Ficaria mais tarde associado ao seu estilo de "happy sound" ("música ligeira"), uma variante do "easy listening", capaz de chegar a uma audiência alargada não só na Alemanha, mas também no mundo. A sua atitude e música descontraída conquistariam a população no rescaldo da guerra e Last tornar-se-ia o líder da "big band" alemã de maior sucesso no período do pós-guerra. O seu primeiro sucesso viria com "Non stop dancing", em 1965 - o mesmo nome que daria à sua última digressão. 

Entre 1959 e 2011, Last lançou mais de 200 álbuns, vendendo milhões de discos e realizando cerca de 2 500 concertos. Os sons e arranjos das suas composições iam do swing ao jazz, pop e música clássica e, ao longo da sua carreira, destacam-se álbuns dedicados à música dos Abba, Adrew Lloyd Webber, Bach, Vivaldi, entre outros.  

James Last surgiria pela última vez, publicamente, num concerto no Royal Albert Hall, em Londres, na primavera do ano passado. No final do ano, o maestro da "big band" seria confrontado com uma doença, o que o levaria então a afirmar: "Um homem cheio de planos, precisa não apenas de abrandar, mas também de desistir de viver a sua vida em constante digressão".