7
Anterior
Portugal com 10 empresas de Rótulo Ecológico
Seguinte
Cocaína destrói selva amazónica
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Crianças algarvias já têm Magalhães

350 computadores distribuídos no Algarve

Crianças algarvias já têm Magalhães

Portimão, Albufeira e Faro fazem parte da lista de privilegiados que receberam hoje os primeiros computadores portáteis Magalhães. Com um custo máximo de 50 euros, os pequenos 'laptops' não são (só) para brincadeiras... (Veja o vídeo no fim do texto)
|
A escola EB1 Coca-Maravilhas recebeu 200 mini computadores
A escola EB1 Coca-Maravilhas recebeu 200 mini computadores / Mário Lino

Tem o Windows, 1 Gigabyte de RAM, 30 Gigas de disco, câmara de vídeo, folha de cálculo, processador de texto, Powerpoint e até o Messenger. Por incrível que pareça e a um preço máximo de 50 euros, o Magalhães tem tudo.

Com uma autonomia de seis horas, o novo computador começou hoje a ser distribuído também no Algarve. "Fomos a única região do país a conseguir ter três escolas com computadores logo no dia do arranque", diz orgulhoso Luís Correia, director regional de Educação do Algarve.

A primeira delas foi a EB1 Coca-Maravilhas, em Portimão, que esta manhã recebeu perto de 200 mini-computadores portáteis. No Algarve, a tarefa de distribuição ficou a cargo do secretário de Estado da Administração Local, Eduardo Cabrita.

"Vocês sabem quem foi Magalhães? Deu a volta ao mundo, não foi?", pergunta a uma plateia de crianças que não largam os PC miniatura que têm ao colo. "Vocês, com este Magalhães, vão navegar muito mais, vão chegar a toda a informação, para aprenderem mais e melhor", assegura.

"Nós às vezes trabalhamos no Governo em coisas muito abstractas, mas aqui sentimos mesmo que estamos a mudar o Mundo", confidencia, fazendo a defesa do programa do Governo. "No 1.º ciclo, terem um computador é um mundo completamente novo e isso quer dizer que as prioridades que estabelecemos há quatro anos estão a ser realizadas", declara perante as crianças, embora algumas estejam mais atentas aos jogos do portátil.

"Ah, é verdade! E com este computador, só podem jogar se fizerem os trabalhos de casa - "mo work, no play", diz satisfeito o governante, revelando uma das funções do pequeno portátil.

O salto tecnológico que faz as delícias dos mais novos, deixa aliás o Governo tão ou mais contente do que as próprias crianças. "Esta é uma prioridade que vale a pena" - enfatiza o secretário de Estado - "que vai produzir efeitos daqui a 15 ou 20 anos, para estarem ao nível dos melhores em qualquer parte do mundo", diz Eduardo Cabrita.

Só no Algarve, durante o dia de hoje, foram distribuídos perto de 350 computadores, já que para além de Portimão (que tem o 1º ciclo e jardim de infância), também Albufeira (escola de Vale Carro) recebeu 130 e Faro 22 (escola da Ilha do Ancão).

Os Magalhães destinam-se a todas as crianças do 1.º ao 4.º anos, entre os 6 e os 10 anos, e deverão chegar a todos os estabelecimentos de ensino até ao final de Dezembro, segundo as estimativas do Governo.

"Está dependente, sobretudo, da capacidade de produção da fábrica, não é uma questão orçamental", esclarece o secretário de Estado. Sem desvendar qual o modelo de negócio, ou a parte que cabe ao Estado suportar nos custos de produção, Eduardo Cabrita adianta apenas que no projecto 'e-escolinhas' também as operadoras de telecomunicações têm um forte papel a desempenhar.

Optimus, Vodafone, TMN e Zon são os quatro fornecedores de acesso à Internet que comparticipam no custo do Magalhães, mas ao contrário dos outros computadores do programa 'e-escolas', aqui os preços dos computadores não estão dependentes do acesso ou fidelização à Internet.

Em Portimão, o município decidiu, para já, cobrir os custos - cerca de 500 mil euros -, para que todos os alunos do 1.º ciclo tenham acesso grátis à Internet durante nove meses.

Dependendo dos escalões de acção social, os computadores portáteis Magalhães podem custar entre 50 e 20 euros, e no escalão mais baixo são totalmente grátis. Segundo as estimativas do Governo, até ao final do ano deverão ser colocados nas escolas perto de 500 mil Magalhães, dando assim a volta, se não ao Mundo, pelo menos a todos os alunos do 1.º ciclo do ensino básico.



Opinião


Multimédia

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.


Comentários 7 Comentar
ordenar por:
mais votados
Parabens
ao que me parece ser uma excelente iniciativa por parte do nosso governo. Na escola dos meus filhos ainda não chegaram, nem a escola a tempo inteiro, mas a esperança é a ultima a morrer... pelo menos até Dezembro...
Portugal é um colosso; está tudo grosso!!!
Acesso grátis à Internet durante nove meses?
E, já agora, podem os pais proibir os filhos de aceder à internet, como há alguns que os proibem - a meu ver bem, dado o lixo exibido na televisão - de ver a pequena caixa mágica?
Ou para os meninos não se sentirem diferentes uns dos outros vão todos que comer da Floribela, dos Morangos com Açúcar e de toda a espécie de sites que prolifera na Internet?
E quem não o fizer está infoexcluído! "Então tu não tens um perfil no hi5 com mais de 400 amigos? És mesmo tótó! Olhó tótó, olhó tóto!" E quando os meninos sem pais com instrução suficiente lhes perguntarem dúvidas relacionadas com "fazer os trabalhos de casa no computador", em vez de ser no caderno, quem vai dar as respostas? Serão os pais quase analfabetos? Ou serão os pais ricos, com instrução? Isso não vai aumentar as diferenças sociais no "domínio das competências informáticas", em vez de as diminuir? O Sócrates e a cambada pensaram nisto ou andaram a drogar-se?
Eu se fosse pai de uma criança do 1º ciclo dizia-lhe já: "Vais mas é devolver isso imediatamente! Computadores há cá em casa! A professora que te mande TPC e que sejam por escrito no caderno!".
É impressionante! Mas é mesmo verdade que estão a dar, ou a vender a um preço razoável, seja lá o que for, computadores a alunos da escola primária??? Não, Portugal é um colosso; está tudo grosso!!!
Que cheiro a Microsoft...
Esta seria uma oportunidade soberana para apostar no software livre.

Mas em vez disso, o nosso 1º decidiu dar um empurrão ao seu velhos companheiro do clube, o Abílio Portões. A Microsoft vem, desde à muito, apostando na estupidificação do utilizador. Quanto menos ele entender o que está por detrás do software, menos capacidade terá para mudar para uma solução alternativa, Linux, OsX (que não é gratuito), openoffice, etc.

Mas o nosso Sócrates decidiu alargar a estupidificação às nossas crianças. E ainda com o apoio dos contribuintes.

Só faltava enfiar-los dentro de sacos do PS, ao estilo do Alberto João Jardim.
Controlo parental... eheheheh
Fartei-me de rir quando a SIC na escola dos 'magalhães' - que deviam ter controlo parental ad extremis... - ao clicar 'gatas' no Google... apareceram umas moçoilas todas muito roliças que, do animal em questão não tinham nada!!!!
tudo ao contrário neste triste país
computador para quê? Quando começarem os assaltos nas imediações das escolas vai ser fantástico... os pais que se cuidem!
blue o profeta da desgraça
Re: Blue
Comentários 7 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub