Anterior
Há cada vez mais bebés em risco
Seguinte
Assassinadas 36 mulheres este ano
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Crato poupa mais de 136 milhões com revisão curricular

Crato poupa mais de 136 milhões com revisão curricular

Estudo revela impacto dos cortes salariais na Função Pública e dos novos currículos nos custos do ensino para o Estado.
|

Não foram só os cortes salariais na Função Pública e a retirada de dois subsídios que tornaram o ensino público mais barato. Também a revisão curricular de Nuno Crato, em vigor nas escolas desde setembro e que se traduziu na eliminação de algumas disciplinas e redistribuição das cargas letivas dos professores, fez baixar, e muito, o custo por turma.

Contas feitas por baixo indicam uma poupança superior a 136 milhões de euros.

Estas são pelo menos as estimativas do grupo de trabalho nomeado pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC) para calcular quanto custa ao Estado um aluno numa escola pública.

O Ministério da Educação mantém que o objetivo da revisão foi reduzir a dispersão curricular e reforçar o ensino de disciplinas estruturantes, como o Português. Mas lembra que também é sua obrigação gerir os recursos de forma eficaz.

Escolha uma das opções para ler o artigo inteiro


Compre o Expresso na banca
Assine o Expresso no site
Aceda ao Expresso no iPad

Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.


Comentários 36 Comentar
ordenar por:
mais votados
Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
É bom poupar dinheiro especialmente nos desperdícios.

Mas na Escola há muito a fazer:

Conseguir que os professores sejam eficiente (quem não serve, sai!);

Conseguir que haja autoridade. Um professor que não consegue impor autoridade construtiva numa aula, não serve para professor, sai!

O responsável pela escola, deve saber do 'oficio', saber gerir e impor regras construtivas.

Os pais devem ser responsabilizados pelos actos dos filhos.

Se um aluno estraga seja o que for, cabe ao professor descobrir o que se passou, e imputar ao aluno e respectivos pais, o pagamento do prejuízo.

Alunos violentos e não interessados nas aulas, não podem estar numa escola normal.

Quem é animal, deve ser tratado como tal. E até deve ser estendida tal atitude aos pais.

Os pais desinteressados e violentos, que prejudicam a escola, não pode andar à vontade dentro da escola como hoje, e devem ser proibidos de entrar no portão da escola.

E se recebem subsídios, devem ser imediatamente chamados à Segurança Social para serem repreendidos ou até presos se for o caso.

A violência, a destruição do equipamento, o desinteresse dos alunos, a atitude descuidada dos pais, a indiferença dos professores, a falta de autoridade nas escolas, a não responsabilização dos professores, são o que mais prejudicam o País.

Há muito a mudar na Escola.

Alguém tem de fazer isso, antes de tudo se desmoronar!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
Re: Escola: Tratar os vândalos como eles merecem!
O ensino
À muito que precisava de ser remodelado, mas o mestre das greves escolares não deve estar muito satisfeito com esta avaliação.
É certo que estamos a passar muitas privações, mas não esqueço que tudo isto foi graças aos socráticos criminosos que continuam impunes.
Re: O ensino
Re: O ensino
Crato-poupa-mais-de-136-milhoes-com-revisao-curric
É claro que estou convencido que há muito a fazer na redução de custos no ensino. No entanto ter uma turma com 30 alunos não será o mesmo em relação aos efeitos de aprendizagem, que ter uma turma com 15 ou 20. Por mais que se diga o contrário só pode baixar a qualidade. Os custos serão ainda menores se fecharem as escolas e mandarem os professores para casa. Ninguém tem dúvida ou pelo menos a percepção de que há gente a mais em toda a Função Pública. O ensino segundo consta não foge à regra. Aliás também por isso existem muitos Sindicatos e Sócrates retirou deles salvo erro 500 professores. O executivo anterior nesse campo não foi nem mais nem menos que São João Baptista. Este governo ao acabar com as Novas Oportunidades acabou com mais uns quantos lugares.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/11/educacao-ha-professores-mais-em-portugal.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/09/nuno-crato-e-os-computadores.html
Assim também eu! Até consigo fazer melhor!

Basta acabar com o Ensino Público e arranjo logo forma de poupar milhares de milhões de euros ao Estado.

Às vezes pergunto-me se a vontade de certos políticos não é mesmo essa.
Parabéns.
Aqui está um dos muito bons ministros deste governo. E com certeza não será só ele. Os restantes membros do seu ministério estão também a contribuir para estes resultados.
Algo me diz que este governo, em não se deixando adormecer, terá muitas, e válidas, hipóteses de ganhar as próximas eleições legislativas.
Re: Parabéns.
Re: Parabéns.
Re: Parabéns.
Re: Parabéns.
Já diziam o mesmo da anterior (ai como ela era bes
Re: Já diziam o mesmo da anterior (ai como ela era
Ainda mais...
Se acabar com todas as disciplinas e so deixar matemática e português ainda consegue poupar mais... Se aumentar o número de alunos para 50 por turma também poupa mais uns milhões... Se fechar todas as escolas em localidades pequenas e transferir os alunos para centros a 40 km de distancia das suas casas ainda poupa mais...
Parabéns sr. Crato e restantes e seus solidários. Num pais com o nível mais baixo de qualificações na Europa poupe mais uns milhões na educação. Mas continue a andar de Bmw serie 7 ou 5 do estado que isso sim e importante... Depois aproveite para lançar aquelas muito circunstancias notícias no publico e expresso do custo do ensino e do número de alunos por professor ... 7, salvo erro afirmado pelo sr. Rui Moreira... Se os alunos noEB chegaram a ter 16 disciplinas... E claro que a media tem de ser baixa... Mas a real e de 11 por professor, e a realidade e que cada turma tem em media cerca de 30 alunos...
Corro o risco de ficar desempregado, mas
Porque não acabam com o M.E?

Assim como assim não há empregos para os jovens com habilitações, e se é para emigrarem, então do ponto de vista emrpesarial nãof az sentido gastarmos dinheiro em educação para outros lucrarem.

Por outro lado, eu até gosto do trabalho e da resposta dos meus alunos na minha escola, mas lendo a maioria dos comentadores do expresso, pergunto-me se a educação serviu para pôr gente desta a dizer o que dizem, para quê então ensinar as pessoas?

Acresce ainda que me desilude muito, depois de uma vida a incentivar os jovens a estudarem para aumentar as suas perspectivas de uma vida feliz e produtiva, e ver gajos miseráveis como o relvas, sem mais estudos do que equivalências do rancho folclórico chegarem ao top enquanto muitos dos meus alunos mais esforçados andam aos caídos.

Acabe-se com o M.E. e com a educação pública e os miúdos que entrem aos 6 anos directamente para a JSD, que se safam bem melhor na vida.
Re: Corro o risco de ficar desempregado, mas
Os professores...
...antes de crato e depois...antes desfilaram pela avenida da liberdade, porque não queriam ser avaliados...depois de crato...vão para o desemprego, os que pertecem ao quadro das escolas, estão na corda bamba, sobre a continuação de trabalho...mas tudo está sereno...afinal como é a reacção de uma das classes profissionais com mais massa cinzenta...utilizem-na e ajudem a derrubar estes predadores....
Ó Tempo, Volta Para Trás
Em minha opinião (presumo que, tenho conhecimento de causa), não poupou. Apenas, retrocedeu no tempo. A verdade, é como o azeite. Assim, tenho receio que, o tempo me dará razão.
Re: Ó Tempo, Volta Para Trás
Re: Ó Tempo, Volta Para Trás
Poupança


Para a pseudo esquerda Portuguesa a questão da poupança provoca-lhes arrepios, ao ponto de os deixar com os cabelos em pé.

Ainda não interiorizaram uma questão básica que é a inexistencia de dinheiro, uma vez que os governos pós 25 de abril a unica coisa que têm feito é esbanjar culminando na falência do País pelo sr Socrates.

De uma forma geral os canhotos ( sem ofensa aos que o são de facto) estão habituados a no final do mês terem o cheque depositado nas suas contas, muitas vezes sem saberem o porquê da coisa.Será que de alguma vez fizeram contas ao que produzem e por conseguinte ao que recebem?

Como entendem que o Estado é uma coisa abstrata, até tem maquinas de fazer notas, acham que o dito é uma fonte inesgotavel e que existe sempre dinheiro.Então criticam tudo o que seja poupança como se fossem ricos.
E viva a poupança!
Tenho 33 anos de serviço, 56 de idade. Este ano lectivo, tenho mais uma turma. 3 turmas de 30 alunos. 2 turmas de 29. Não sei bem em que planeta vive o Sr. ministro. Já agora, também não sei em que planeta vivem alguns dos caros comentadores. No meu planeta, apenas uma minoria de alunos gosta de aprender e percebe a importância da escola nas suas vidas, no seu futuro. A maioria acha tudo uma "seca". É preciso obrigá-los a concentrar-se, a não conversar uns com os outros durante as actividades das aulas, a não fazerem disparates, a cumprir as regras da sala de aula; é preciso obrigá-los a trazer o material necessário, a tomar notas. 148 alunos. Cada aula é uma luta. Ainda não acabou o 1º período e estou exausta.
Comentários 36 Comentar

Últimas


Pub