19
Anterior
Furacão Gordon causa prejuízos na agricultura
Seguinte
"Cinco erros crassos que estão a destruir o emprego em Portugal"
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Corpos que contam histórias

Corpos que contam histórias

corpos que inspiram, que espantam, que provocam, que marcam sociedades e épocas. Homens e mulheres que moldam o físico para atingirem objetivos. Eis oito mundos debaixo da pele.
|

Ana Sofia, manequim, 25 anos A modelo que inspira jovens

É uma das nossas modelos de topo. O seu cabelo afro e a figura exótica valeram-lhe um contrato com a famosa marca de lingerie americana Victoria's Secret - que já teve a desfilar deusas como Gisele Bündchen, Naomi Campbell ou Heidi Klum. Com um corpo de deusa (82 de peito, 62 de cintura e 92 de anca), o seu novo desafio é a caixinha mágica. Acaba de ser escolhida como a nova apresentadora da MTV Portugal e espera inspirar milhares de africanas. "Os adolescentes afro precisam de heróis."

Carla, prostituta, 31 anos A mulher que se vende por prazer

Há cinco anos despediu-se da família em Minas Gerais, no Brasil, para se instalar num apartamento em Lisboa onde passou três meses na cama de corpo disponível. Veio para dar prazer e enriquecer. Chegou a atender 20 homens num só dia. Foi a vertigem do dinheiro fácil e a atração por uma nova vida de luxúria que a trouxe a Portugal. O incentivo veio da irmã que largara o balcão para cobrar por serviços íntimos. "Dei-me bem. Tenho o dom da sem-vergonhice".

Jorge Cunha, culturista, 36 anos O Mr. Músculos português

Jorge está em baixo de forma. Tem quase mais vinte quilos em cima do que tinha no ano passado, quando subiu ao pódio para receber a Taça de Portugal de culturismo. O grande título português que distingue anualmente o homem com o corpo musculado mais harmonioso do país, atribuído pela Federação Lusa de Cultura Física. Um concurso de beleza para durões. Em que não é o mais forte ou que levanta mais pesos que ganha, mas aquele que com os seus músculos enche mais os olhos do júri.

Alexandre Fernandes, bailarino, 42 anos Um corpo que se eleva ao limite 

Há três anos colocou uma prótese de titânio na anca. Por desgaste. Vinte e três anos a dançar, saltar e sofrer impacto na receção ao solo. Fez parte do elenco do European Ballet, em Londres, e é bailarino principal da Companhia Nacional de Bailado (CNB) desde 1995. Durante os seis anos anteriores à operação, Alexandre dançou com a dor. Agora é um bailarino em reconversão. Não pode continuar a dançar ballet. Tem limitações. Dança hip hop e negoceia a hipótese de ser professor da CNB. Uma passagem de testemunho que não encara como trágica. "Vejo-me no futuro a coreografar e a ensinar."

Betty Grafsteins, empresária, 79 anos A lady das plásticas

Ela é uma criação dele. Uma musa retocada e repuxada em todos os lugares possíveis do corpo para tentar iludir as rugas, as manchas e a flacidez da idade e corresponder aos ideais de beleza de José Castelo Branco. O marchand de arte quer sempre fazer mais algum retoque nela. Só mais um. Aqui e ali. Para que fique "estupendo", para a maquilhagem brilhar mais, os fatos das melhores marcas assentarem como numa manequim e o rosto ficar (quase) perfeito, sem a mácula do tempo. Não dá para contabilizar o número de intervenções a que lady Betty já se submeteu. Nenhum dos dois, o casal mais excêntrico e exuberante do jet set português, sabe ao certo. Muitas. Talvez demasiadas. À beira dos 80 anos, Betty é uma senhora charmosa com uma pele de pêssego num rosto sem idade, mas o esqueleto não consegue esconder o que a pele disfarça. 

Jorge Pina, atleta paralímpico, 36 anos O corredor que não vê

Do olho esquerdo não vê rigorosamente nada. Do direito, vê vultos e algumas cores. Com apenas 10% da visão vai participar este ano nos Jogos Paralímpicos de Londres e, por cá, é instrutor de aulas de RPM, boxe e corrida num ginásio. É um herói. Um bravo. Continua com a mesma forma física que fez dele tricampeão nacional de boxe em três categorias: 67 kg, 71 kg e 75 kg. Há três anos, criou uma associação com o seu nome para ajudar jovens em risco de exclusão. E, com dois outros treinadores, passou a dar aulas de boxe no bairro dos Lóios, em Chelas, para criar pugilistas e homens preparados para a vida. "Quero que se inspirem em mim e fujam dos problemas do bairro."

Júlia Pereira, estudante, 22 anos A rapariga que nasceu rapaz

Há melancolia nos olhos de Júlia melancolia. Nasceu no corpo errado e é hoje legalmente uma rapariga, mas ainda com sexo de rapaz. O conflito começou aos nove anos quando na escola percebeu a razão de brincar como as meninas e de ter por hábito urinar sentada.  Aos 16 foi diagnosticada como transexual e o ano passado alcançou uma nova vitória: a 16 de março de 2011 entrou em vigor em Portugal a nova lei que legaliza a mudança de sexo e de nome próprio. E Júlia passou a ser considerada mulher no BI. Só falta a derradeira transformação: a operação de mudança de sexo. Mas por má sorte o único médico do Serviço Nacional de Saúde que realizava essas operações reformou-se e deixou Júlia e mais 19 transexuais sem cirurgia. Até agora nenhum médico o substituiu. Júlia continua a adiar uma parte importante da sua vida. A não viver a sua sexualidade e a resistir aos seus impulsos. A meio do curso de Artes e Humanidades na Faculdade de Letras de Lisboa, estuda as hipóteses de conseguir fazer a operação no privado, que ronda os 15 mil euros. Para ser a Júlia em pleno.

Ana Malhoa, cantora, 33 anos A coelhinha da "Playboy"

É a pimenta latina da nossa cultura pimba. Ana Malhoa fez esquecer de vez a menina do programa infantil "Buéréré" (que animou as manhãs de sábado e de domingo da SIC, nos anos 90) quando se mostrou em poses sensuais para a revista "FHM" e tirou a roupa para a "Playboy". Desde aí, os seios da cantora permaneceram um tema à solta na Internet. Pela ousadia e pelo novo formato mamário desde que optou por colocar próteses de silicone aos 21 anos, após ser mãe. Como muitas estrelas americanas, tem cada vez menos espaço na pele sem tatuagens. É como se fosse o seu diário de bordo. No braço esquerdo, do lado do coração, tem gravado o nome da filha, do marido e o rosto da mãe (falecida este ano). Nas costas, o rosto de uma pin-up com o dedo na boca. Chama-lhe amuleto. "Não fales mal nas minhas costas, é o que quer dizer." No dedo anelar um "J" de Jorge, o marido, faz a vez da aliança, que deixou de usar. E não se ficará por aqui. "Será um processo ao longo da vida. Que contará a minha história."

Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 19 Comentar
ordenar por:
mais votados
Minha nossa!!!
De profundo mau gosto. Rio Grande
Re: Minha nossa!!!
Re: Minha nossa!!!
Sim, senhor...
Re: Sim, senhor...
Re: Sim, senhor...
Re: Sim, senhor...
Isto está mesmo em crise...
Nenhuma dessas mulheres mostradas me fascinam. Ha mulheres tão belas........
Re: Isto está mesmo em crise...
Aberrações
Da sociedade-
QUE SELECÇÃO!
" No mei caixote do lixo" tenho muito melhor! LOL
Coisas da "Revista"
"Corpos que contam histórias" é matéria de muito mau gosto e não vale a pena falar mais nisso.
O que mais me chocou foi a crónica da última página da "Revista". Sou leitor habitual - e grande apreciador - da crónica do Comendador Marques de Correia que tem sempre espírito quanto baste (acho eu) para fazer sorrir qualquer pessoa, seja de esquerda ou de direita, devido às situações que apresenta, as quais, sendo humorísticas, não deixam de conter realidades.
Porém, esta semana a última página da "Revista" foi emporcalhada por um indivíduo que diz chamar-se "Gervásio, o bisneto que substitui o Comendador nas férias deste". Não acredito que o Comendador "himself" tenha encarregado o seu bisneto Gervásio de fazer aquela bosta. Se a croniqueta pelo menos tivesse algum humor ainda poderíamos perdoar o "descuido" do infante Gervásio. Mas não, aquilo é apenas um chorrilho de
insultos gratuitos, que só deveriam ser debitados num sanitário e descarregados por um bom autoclismo.
Espero que o Comendador venha de férias em breve, para não termos que aturar mais o menino Gervásio (jotinha?)
e para que a crónica semanal volte a provocar-nos uns sorrisos.
hum...
isto é o que se pode chamar.. uma mixordia de temáticas...
Tristeza...
Quem te viu Ana... quem te viu...
Corpo com história
No dia que conheci a minha mulher, foi nua como o dia em que nascera. Fitei-a de boca aberta. Ali, no cimo das escadas, estava a mulher que eu amava. Vestida seria esplêndida. Nua era uma perfeição. Peitos grandes, estômago saliente, coxas magnificas, ela tinha tudo com que sempre sonhei e, o que era melhor, estava nitidamente em perigo, se alguém a visse naquele estado: volumoso.
Re: Corpo com história
Outros corpos.
Querem mesmos histórias de corpos ou corpos com histórias ?Então tem de ser muito mais criativos.Isto é puro lixo.
Parabéns ao Expresso por perpetuar preconceitos
Fascinante o Expresso, para o caso de uma prostituta, ter-se dads ao trabalho de escolher uma brasileira...
Convém a imprensa ajudar a perpetuar esterotipos e preconceitos. Continuem o bom trabalho...
As disfunções do ser humano.
Quantos casos para a psiquiatria!
Comentários 19 Comentar

Últimas


Pub