Português nega ser o carrasco no vídeo do Estado Islâmico

Anterior
Vítor Constâncio diz que Espanha tem que decidir rápido se pede ajuda
Seguinte
Fitch corta rating de várias empresas espanholas
Página Inicial   >  Economia  >   Constâncio: "Era impossível saber custo da nacionalização do BPN"

Constâncio: "Era impossível saber custo da nacionalização do BPN"

Antigo governador do Banco de Portugal reitera na comissão de inquérito parlamentar que a nacionalização do BPN era a única saída possível para assegurar a estabilidade do sistema bancário português.
Lusa |
O ex-Governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, explicou hoje que quando foi tomada a decisão de nacionalização do BPN, em 2008, era impossível calcular o seu custo para os cofres públicos, considerando que isso acontece em qualquer nacionalização.

"Na altura não era possível fazer qualquer cálculo sobre quanto é que a nacionalização iria custar no fim", afirmou o atual vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), acrescentando que "em nenhuma nacionalização isso é possível".

Vítor Constâncio defendeu ainda a decisão da nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN), salientando que era a única possível para assegurar a estabilidade do sistema bancário português.

"Esperámos até final de outubro para que surgisse um parceiro capaz. Houve contactos com bancos portugueses para que entrassem no banco evitando o risco de contágio. Apareceu a hipótese da CGD comprar o BPN, mas as negociações foram rejeitadas pela administração do BPN", revelou.


Plano de Cadilhe era "irrealizável"


"Não havia parceiro estratégico, as negociações para a CGD comprar falharam, os acionistas adiaram o aumento de capital, e continuava a hemorragia dos depósitos, num momento complicadíssimo para a banca. Não havia outra solução senão a nacionalização", reforçou.

Sobre a proposta apresentada pela administração de Miguel Cadilhe para recuperar o banco, Constâncio afirmou: "Não teria nenhum problema em deixar Cadilhe à frente do banco, tinha uma equipa de gestão integra e competente. Mas o plano que tinham para salvar o banco era irrealizável".

Constâncio explicou que as premissas que constavam do 'plano Cadilhe' eram demasiado otimistas face ao ambiente altamente negativo que envolvia o sector bancário, após a falência do banco de investimento norte-americano Lehman Brothers, no auge da crise financeira.

Opinião


Multimédia

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 21 Comentar
ordenar por:
mais votados
Pelos vistos tbfoi impossível fazer uma supervisão
competente e responsável. Passou por debaixo do nariz de Vitor Constâncio e da sua equipa quando foi governador do BdP.
Os auditores do BdP que estiveram no BPN por várias vezes, passaram o tempo pelos vistos a "coçar a micose".
Como prémio de consolação e seguindo o principio de Peter Constâncio foi premiado com uma vice-presidência do BCE.
Nada mau como prémio de consolação !
Enquanto isso os contribuintes portugueses ficaram com uma factura na "módica" quantia de 5,6 mil milhões de euros, fora as outras facturas que ainda não foram apuradas!
Re: Pelos vistos tbfoi impossível fazer uma superv
!
Sim, grande palhaço, incompetente e ladrão. Fácil, mesmo fácil foi calcular o défice em 2005 até à centésima para logo depois o teu dodo aumentar impostos. E a tua ladainha era sempre: "CUIDADO COM O AUMENTO DOS SALÁRIOS", porque quanto aos ordenados chorudos dos gajos do BP não havia problema. A Históri te condenará a ti e aos da tua pandilha. Mas nessa altura já estará a fazer tijolo e lá inferno a pagares pelas pulhices e aldrabices que fizeste cá na terra. O dinheiro que me está a ser roubado por tua causa.
O SILÊNCIO ... NÃO ...
Sabendo da existência de um protesto sobre censura e injustiça ... permitam-me discordar da forma de luta ...
A censura e a injustiça não se combatem com o silêncio ... é precisamente ao contrário ... insistindo ... escrevendo ... gritando ... inventando ... com o silêncio nunca ...

A censura e a injustiça ... convivem bem com o silêncio ... e mal com a opinião não comprometida ... com as palavras ... do mais erudito ao mais popular ...

Continuarei a escrever ... o que me der na real gana ... solidário ...
Mas em silêncio ... nem pensar ... só se por razões muito fortes a isso fosse obrigado ... razões muito muito fortes ...

E depois ouviria os Constânçio's e outros e nada dizia ? ...

O silêncio não ...
Mas sei eu
O que está a custar ao país o seu grande profissionalismo e responsabilidade.
O Zé Povinho... E o seu Criador

O Zé Povinho e o seu criador Rafael Bordalo Pinheiro :

“Cá pelo país está tudo diferente e tudo na mesma. As lutas pelo poder continuam. Os partidos sucedem-se. Ainda há algum tempo em conversa com Rafael falámos sobre isso. E que a política é como uma “grande porca”, ambos concordamos. É na política que todos mamam. E como não chega para todos, parecem bacorinhos que se empurram para ver o que consegue apanhar uma teta."

À dessa conversa o que resta, então, ao Zé Povinho?

É ele mesmo quem diz:

"Tá na hora de partir
pois não posso cá ficar.
Quando de mim precisarem
estou em qualquer lugar.”
Correção: À vista dessa conversa o que resta...
O maior "roubo legal"
Não sabia quanto custava?!

Sabia, pelo menos fazia uma ideia. E se não soubesse era mais uma razão para estarem quietos...

Os subsídios que agora são retirados, provavelmente, não serão suficientes para cobrir essa nacionalização... A diferença é que esses mesmos direitos que nos tiraram significavam para mim uma parte importante das minhas poupanças! Assim, para assegurar as poupanças de muitos "amigos" do sistema que perderiam muito dinheiro no BPN, tiram a mim e a outros o direito de receber e constituir uma melhor poupança para o meu futuro e dos meus filhos. "Roubo" é eufemismo... No fundo tiram milhares de euros a milhares de pessoas para distribuir por dezenas de ricos que não podem perder os seus investimentos...

E um presidente da republica silencioso... e um novo 1º ministro silencioso... porquê? Tanto criticaram o passado e mantêm um estranho silêncio a este caso?! Ou é algo onde muitos tinham interesses, para lá da cor partidária? Rosa ou laranja... afinal são muito próximos do verde do dinheiro.

Não foi o que disse Teixeira dos Santos:
A nacionalização do BPN não vai custar um cêntimo aos contribuintes portugueses, Grande aldrabão.
E COMO ERA IMPOSSÍVEL DE SABER...
Nacionaliza-se na mesma! Não deixa de ser espantoso. Fossem eles 200 ou 300 mil milhões, nacionalizava-se na mesma porque o povo pagaria. Mas sua excelência estava à cabeça do Banco de Portugal, sabia o que se estava a passar, sabia da organização de malfeitores que era a SLN e tinha a obrigação de, mesmo não tendo um número certo, saber uma verba aproximada. Ou não era assim? Mais, o plano Cadille não lhe agradou porque já tinha os números certos ou foi apenas porque sim? Eu, tal como a grande maioria dos portugueses, temos que pagar a sua falta de conhecimento, a sua falta de honestidade, as suas incertezas e a sua incompetência para podermos explicar aos nossos filhos qual o verdadeiro papel do presidente do Banco de Portugal que ainda por cima é pago principescamente por todos nós. Merecemos melhores respostas E merecemos acima de tudo que apague dessa cara esse sorriso idiota trocando-o por um semblante de circunstância, bem mais sério e mais consentâneo com este caso. A humildade, tão cultivada neste pobre país, devia obrigá-lo a outra atitude já que, enfrentar esses sujeitos ditos representantes do povo, parece ser para si uma tarefa fácil e, tal como mostrou no Banco de Portugal, sem qualquer responsabilidade. Passe bem e mantenha-se lá por fora( já que na cadeia não o querem meter..) por muitos e bons tempos e já agora, longe dos assuntos que a Portugal digam respeito.
Para prever, só M. Carreira? Mata-te filho!
Esta jente são o explendor de Portugal, razão por que a decisão tomada é sempre a mais vantajosa para o país, para a Europa e para o mundo; lamentavelmente esqueceu-se de nacionalizar a SLN.
quem és tu?
chamar este imbecil de incompetente é pouco,
o homem não viu nada, não ouviu nada, não sabia de nada..
afinal o que estava este cromo a fazer a frente do banco de portugal??
nos sabemos.. não é!
ganhava o seu chorudo ordenada,,, maior do que o seu colega dos estados unidos
e quando lhe perguntaram sobre esse mesmo ordenado que respondeu este imbecil?
respondeu: isto já estava, não fui eu que estipulei o ordenado, já vinha de trás, não sei de nada, bla..bla..bla..
querem maior prova que os governantes estão lá para se governarem a eles mesmos?
abre os olhos zé povinho da portugalolandia....
Porque é que o PSD...
É espantoso! Como...
pode um homem, nomeado vice-presidente do BCE dizer isto: era impossível calcular o custo!

Isto é uma mentira (mais uma desta .... BESTA )!

É crime uma afirmação destas, vinda do Governador do BdP, pois representa a negação de uma obrigação inerente ao cargo, o de calcular o valor das obrigações de um banco, a todo o momento e seja em que circunstâncias for!

E ninguém deste país com responsabilidades jurídicas toma acção?
Sim para prender de imediato o individuo, que, ao afirmar esta barbaridade, se auto-responsabiliza pelo facto, de não cumprir com as suas obrigações, e que causaram um custo extraordinário, ainda que o valor total esteja por apurar!

Num país civilizado, seja de esquerda ou de direita, nos USA ou Finlândia ou outroo, as autoridades judiciais imediatamente interviriam.

Prisão preventiva pede-se, e até ao apuramento dos factos. Se a lei o permitir ou obrigar, que lhe ponham uma coleira, qual cão, que é e tal merece!

Uma vergonha! Onde está o DIAP? O Procurador Geral? Os juízes do Supremo?

Este homem é um dos responsáveis pelo exemplo de como não se controlo e se permite o lapidar dos bens do Estado, e que era sua primeira responsabilidade, e ninguém faz nada?

Portugal, um país de vergonha!

Eu não tenho vergonha de mim, mas do que se passa e ás claras, à minha volta!

E só vejo gatunos!

Cpts

O grande responsavel pela tragedia é este .....
Se Socrates é um traste este não é melhor!
Quando o individamento já era escandaloso este incompetente disse que havia quem devesse mais, nada de preocupante.
Ele apenas se queria mantar no tacho para chegar onde chegou.
Nas fraude o papel do BDP é fiscalizar, mas na hora não sabem de nada.
Então fechem ou mandem embora metado dos parasitas, não estão a fazer nada no BDP.
Este gajo é mais que responsavel pela crise do pais, fechou os olhos ajudou desde que não fosse despedido ele ainda hoja lá estava a dizer que está tudo bem,
VIVA OS TACHOS
ELE GUTERRES SOCRATES, FAZEM BARBARIDADES A UM PAIS E DÃO Á SOLA
fazer contas
Como é que ele podia saber o custo se não aprendeu a fazer contas...pelos vistos também tirou o curso de economia a um domingo....ele estava tão bem calado veio à terra que roubou e mandou faladura para ser importante
E pagaram fortunas a este paspalho!
Se "Era impossível saber custo da nacionalização do BPN" qualquer economista sensato teria dito: não se nacionalize! Só os burros compram massas falidas sem saberem sequer quanto vão perder com isso!
Se sabe que "Era impossível saber custo da nacionalização do BPN" como sabe que era a única possível para assegurar a estabilidade do sistema bancário português?
Se ignora o mais fácil que é fazer cálculos de riscos de negócios pelos piores cenários como sabe o que nunca ninguém soube nem nunca saberá se a estabilidade do sistema bancário português dependia da nacionalização do BPN. O BPN foi nacionalizado e nem o sistema bancário português está estável, muito pelo contrário, e o país está em estado crítico!
Para papaguear banalidades destas na comissão de inquérito parlamentar até um tóto!
Será que na comissão ninguém os teve no sítio para dizer a este palhaço rico que para saber tão pouco não era preciso ser o banqueiro mais bem pago da Europa!

Re: Constâncio: "Era impossível saber custo da nac
Comentários 21 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub