Página Inicial   >  Multimédia  >  Infografia  >   Conheça o mapa judiciário que está a exaltar os autarcas

Conheça o mapa judiciário que está a exaltar os autarcas

Um "duro golpe ao interior do país" é o modo como está a ser encarada a proposta do Governo do novo Mapa Judiciário por autarquias de diversas cores políticas. Já se fala em corte de estradas. Veja aqui todas as mudanças em questão.
com Lusa |

Opinião


Multimédia

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 17 Comentar
ordenar por:
mais votados
E qual a douta solução???
A justiça, entre muitos outros males, padece de atolamento, demora intolerável, paralisia processual, volume incomportável de litigância ...

      AO fim de um ano de mandato qual a solução da Srª Ministra? Encerrar tribunais ......

        Palavras para quê? É uma jumenta á portuguesa, concerteza !
Reformas
Anda por aqui muita incompetência, muita trapalhada, pouca coordenação, ignorância quanto baste receios de ofender baronatos e mais outros defeitos avulso.

Uma reforma administrativa do território deveria aparecer em pacote, com um plano geral de Concelhos, Freguesias e serviços públicos disponíveis em cada departamento administrativo.
É serviço para ser atribuído a uma comissão com elementos de provada competência e com opinião escrita sobre o assunto e é coisa para demorar seis meses ou um ano de trabalho.
O que acontece é que os governos não têm capacidade nem vontade de meter mãos à obra, pois nesses concelhos e freguesia é onde está a sua força e o seu financiamento.

Quem tem força para extinguir todos os concelhos à volta do Porto, inventando uma zona administrativa da foz do Douro ?? Ou o mesmo para Lisboa, desde Sintra a Vila Franca ??

Cada unidade administrativa, com o número de habitantes estimado, seria apresentado com os serviços públicos adequados, saúde,justiça,registo,educação,finanças, distribuição postal,etc
Como tem sido feito,aparece a saúde e corta posto médico,depois vai a escola, seguida de finanças,agora tribunais, sem coordenação pode acontecer que a uma vila calhe ficar sem nada e outra próxima manter todos os serviços.
Uma miséria de governação, esta gente não sabe dirigir o barco e isto tem que acabar em naufrágio.........
HIPOCRITAS
Estes p.s.d.s sao uns artistas ,para calar as vozes de algumas populacoes dizem que nao estao de acordo e depois quando enfrentam os poderosos laranjas dizem todos amem,nao passam de uns hipocritas ,fazem lembrar o pedradas de Viseu(ruas) de longe discorda de tudo e nas horas das decisoes la esta ele na 1 fila a segurar no andor com o gangue em cima..
HIPOCRITAS
...
Esta Justiça está cada vez mais na rua da amargura e a democracia também... porquê? Porque sem uma Justiça a funcionar em pleno a democracia ... Numa altura em que se nota um certo desgaste por parte dos cidadãos neste país…no exercício da cidadania e da democracia… Vê-se por este mapa e o brando que se nota com estas novas medidas a implementar…

Eu pergunto a esta Ministra se não considera os Portugueses ... Todos Portugueses?
Extinguem-se Freguesias...tribunais o que resta do Estado Português nestas áreas do País ... Que ética existe nesta Ministra?
É muito difícil modar
Re: Mais críticas ao novo mapa judiciário
É muito difícil modar
Tanta critica há justiça e ás mudanças a justiça como está não é nada para as pessoas de bem, só favorece os de colarinho branco e a prova de facto é o que está a acontecer, e o que já se viu, Fripor, Duarte Lima, Rendeiro, e todos aqueles do BPN, Casa Pia e tantos outros casos, ó francamente deixem modar o que está mal. pra ver se os colarinhos brancos vão de cana.
Comentadores da treta
Estes cpmentadores da treta passam a vida a queixar-se de que nada funciona neste país, há muita corrupção, blá, blá, blá, e quando finalmente se pretende fazer uma reforma séria vai de serem uns queixinhas por a minha terra deixar de ter um tribunal, ficar desertificado o interior, blá, blá, blá.

Será que o interior fica desertificado por não ter tribunal ou por não ter actividade comercial e industrial capaz ?
JUSTIÇA
Para haver uma boa justiça,não é preciso haver um tribunal em cada esquina.É necessário,isso sim,uma justiça rápida,justa e BARATA. E é claro que um dos objetivos desta medida,é economicista.Considerando que o país está FALIDO,PENSO QUE É UMA MEDIDA CORRETA A REDUÇAO DE ALGUNS TRIBUNAIS,onde há poucos processos e,assim sendo,nõa ha justificação em ter tribunal.Vejo por aí muitas críticas que,quanto a mim,NÃO TÊM FUNDAMENTO.
Mapa judiciário
No caso de Anadia, parece bem, para aquilo que estão lá fazer, já devia ter fechado há muito tempo.
A RESISTÊNCIA À MUDANÇA ...
Primeiro que tudo, os autarcas há muito deviam ter sido substituídos por governantes da sociedade civil em todas as autarquias. Depois , não querem q se mude nada para q o LIXO continue. Há muitos ISALTINOS, FELGUEIRAS, VALENTINS, JUDAS e tantos outro que nunca foram falados como o rei de BRAGA que criou uma fortuna sem se saber como. Dado q isto é tudo gente séria, vou propor q se crie uma AUDITORIA composta por pessoal estrangeiro e tuga para averiguar como foi possível alguns políticos criarem fortunas como as que citei e tantos outros.Quem n deve n teme , logo todos deviam querer estar limpos
A exaltação do costume
A história é sempre a mesma. Passam-se anos e anos a clamar por reformas, q isto é uma vergonha, q isto sem reformas não vai lá, só falam mas não fazem...Porém, quando, em QUALQUER área, se quer alterar ou reformar algo, bem, não era nada disto q se queria, isto é uma vergonha, vai piorar o q está, assim não vale... Ora, muito concretamente, o mapa judiciário já devia ter sido alterado há décadas! Há bons 20/30 anos! Estava há muito desfasado da necessidades e da correcta gestão das disponibilidades e necessidades do país. Claro q não tenho elementos q me permitam ajuizar, no conjunto, estas alterações, mas, concordo no pouco q conheço.( O caso de Aviz, por ex., é notório). O q denuncio, porém, é este princípio de bota-abaixo segundo o qual qualquer alteração de fundo é SEMPRE "um rude golpe" nisto e naquilo...E os tais são normalmente os mesmos q passavam o tempo a reclamar alterações. Todos querem q mude tudo...sem mudar nada!
Encerramento de tribunais
Andou o dr. Oliveira Salazar a construir palácios da justiça nas sedes de concelho, de forma a que a justiça estivesse próxima dos portugueses, e estes acéfalos, andam a fechá-los, para gastyar o dinheiro nas suas mordomias.
Faça-se justiça
Partindo do princípio que esta reforma tem como objetivo tornar mais eficaz e mais barata a justiça. Não será por fechar este ou aquele tribunal que a justiça vai funcionar pior, nem será por isso que vai haver mais desertificação do que já há. Uma coisa é certo o dinheiro dos impostos não pode ser gasto por carolice. Se um tribunal não justifica estar aberto, terá que ser fechado, assim como as escolas, também elas defendidas com unhas e dentes para não fecharem e muitas delas tinham só um aluno. Vem estes presidentes de câmara dizer que perdem antinomia. Não terão já eles autonomia a mais. O endividamento de algumas câmaras é de tal forma abismal que alguns desses senhores deviam ser responsabilizados pelos gastos supérfluos que fizeram, talvez por ter autonomia a mais. Ele eram rotundas folclóricas, empresas municipais fictícias, para colocar lá os amigos, a maior parte deles em 2º e 3º emprego, e outras trapalhices. Tenham dó e sejamos rigorosos com os gastos do dinheiro do povo.
Os Autarcas
Mas os Autarcas que têm as Câmaras individadas e não pagam os trabalho que mandam fazer e dão orgem a muitas firmas falir ainda se julgão com direito a dizer o que está bem ou mal! ó que falta de respeito pela inteligência, tantos tribunais e a nossa justiça está como está assim, de facto é melhor acabar com os tribunais que não resolvem os problemas do cidadão, só os Autarcas querem o que não funciona, é normal, atendendo aos factos.
Comentários 17 Comentar

Últimas

Ecos dos anos 30

As tendências da economia parecem caóticas e insondáveis até percebermos ...

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub