21 de abril de 2014 às 1:39
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Conheça as novas tabelas de retenção na fonte

Conheça as novas tabelas de retenção na fonte

As tabelas de retenção na fonte em sede de IRS em vigor para este ano já foram publicadas em "Diário da República".
Sónia M. Lourenço

O Governo publicou esta noite em "Diário da República" as tabelas de retenção na fonte em sede de IRS que vão estar em vigor este ano.

Desta forma, o Governo pretende que as novas tabelas sejam aplicadas já este mês aos salários pagos aos trabalhadores do sector privado.

Isto significa que os trabalhadores sentirão já no ordenado que receberão no final de janeiro o impacto do forte aumento de impostos em 2013. Este impacto será, contudo, parcialmente contrabalançado pelo início do pagamento de metade do subsídio de férias e de Natal em duodécimos, isto é, repartido pelos 12 meses do ano.

Os exemplos do Ministério das Finanças


Segundo um exemplo avançado pelo Ministério das Finanças, um trabalhador do sector privado, solteiro, sem filhos, com rendimentos tributáveis de mil euros mensais (14.000 euros anuais) e com deduções à coleta de 3470 euros de encargos com imóveis e 350 euros de despesas de saúde vai pagar mais 638 euros de IRS em 2013 do que em 2012. Este valor corresponde a um aumento de 4,6% da tributação efetiva anual.

Este trabalhador terá uma taxa de retenção na fonte de 13,5% em 2013, com encargos totais (IRS, sobretaxa e segurança social) de 254 euros. A variação face a 2012 é de 44 euros mensais, o que corresponde a um aumento de 4,4% de retenção efetiva mensal.

Contudo, com o pagamento de metade dos subsídios em duodécimos, a variação do rendimento mensal disponível em 2013 face a 2012 será positiva em 18 euros, avança o Ministério das Finanças.

O problema é que na altura do pagamento habitual desses subsídios, o trabalhador receberá apenas metade de cada um deles, dado que o restante é repartido ao longo do ano.

Outro exemplo avançado pelo Ministério das Finanças é de um casal de trabalhadores do sector privado (dois titulares de IRS), com dois filhos. Cada um destes trabalhadores têm 1200 euros mensais de rendimentos tributáveis (16.800 euros anuais). O casal tem deduções à coleta de 4728 euros de encargos com imóveis, 1200 euros de despesas de saúde e 900 euros de despesas de educação.

A taxa de retenção na fonte aplicáveis a este casal em 2013 é de 14,5%, sendo os encargos totais (IRS, sobretaxa e segurança social) de 320 euros. A variação face a 2012 é de 56 euros, o que corresponde a um aumento de 4,7% da retenção efetiva mensal.

Mais uma vez, com o pagamento de subsídios em duodécimos, a variação do rendimento mensal disponível mensal em 2013 face a 2012 será positiva, neste caso em 17 euros.

Clique no link em baixo para ver o despacho publicado em Diário da República:

Comentários 24 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Boa Gasparzinho!
O Governo fez bem em pagar por duodécimos, o único subsidio que se propôs manter em 2013.
Só Sócrates se lembraria de uma coisa assim...tão habilidoso que o rapaz era!
Chama-se a isto, por vaselina no "fuzil"!
Não doí, não incha e, quando chegar ao final do ano, ninguém perceberá que lhe "sorriparam dois mesitos!"
Onde para o povo português?....
Estes canalhas que assaltaram o poder mentindo à população estão a destruir a identidade deste País com uma agenda ideológica a soldo de interesses transnacionais....
conheca-as-novas-tabelas-de-retencao-na-fonte
Para quem quiser consultar o Sol.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2013/01/tabela-de-irs-para-2013-e-o-novo-salario.html
Quem é este palhaço?...
youtu.be/b7FcZjWPJAU
A forma ardilosa de sacar impostos à cabeça!

Aos trabalhadores, às empresas, aos reformados...
mas o que está por trás desta habilidade é acabar com os subsídios a curto prazo...(mesmo que digam agora que é só para 2013)
e com isso baixar o valor das remunerações aquando das substituições dos trabalhadores...
sai um com vencimento de 1300€ + subsídios...
e entra o seu substituto com 700€ X 12.
Aos reformados também dividiram o bolo contributivo por 14 para determinar o valor mensal da pensão...
e entretanto só lhe pagaram 12....mensalidades!
A seguir aos submarinos, agora são os pandures
Pobre País. A promoção das empresas portuguesas e as privatizações vão dominaram a visita que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, inicia hoje a países do Golfo Pérsico.
A deslocação ao sultanato de Omã incluiu visitas ao Dubai, Kuwait e Emirados Árabes Unidos.

De acordo com o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Pedro Reis, que participou na deslocação oficial, foram apresentados aos países do golfo as reformas estruturais em curso em Portugal, os setores da economia mais fortes na exportação e o programa das privatizações em curso.
Quando um povo
Vota ora no psd e ps têm aquilo que merecem, existem mais partidos sem assento parlamentar porque deste já sabemos com o que contar, sermos roubados de qualquer maneira.
É uma questão de expectativa... Ver comentário
Talvez Ver comentário
calma!
Ahhhhh!!! Que grande desilusão para os alarmistas do "brutal aumento de impostos". Por exemplo, um solteiro que ganhava 800 euros pagava uma taxa de 6,5%. Com o "brutal aumento de impostos" passa para 8,5%. É mau? Claro que sim. Mas não é tão mau como dizia o grande Nicolau... Ainda me lembro dele a dar o exemplo de "uma amiga" que ganhava 1200 euros e que ia levar pra casa 700...
E a sobretaxa, seu idiota? Ver comentário
Comentário bacoco Ver comentário
e os outros?
Engraçado o min.finanças não dar exemplos da função publica e reformados.Porque será?
Aposentados Ver comentário
o governo distribui
bolos feitos com a massa tirada dos ordenados
!!!
De acordo com toda a politiquice já reconhecida não é lógico que Pedro Passos Coelho seja capaz de governar,as suas decisões são altamente desastrosas para a nação e portugueses,no entanto como é evidente Pedro Passos Coelho governa,porque Pedro Passos Coelho está-se a borrifar para o que os portugueses dizem, fazem e pagam com mais este brutal aumento de impostos
Antigamente eram presos,agora estão nos 1º lugares
Os Ladrões ja publicaram a tabela do roubo.
Falta de dinheiro
Como estão sempre a dizer que não há alternativas, deixo aqui o meu contributo para esta falta de dinheiro no estado (que somos nós), passem a pedir aos supermercados e hipermercados que quando um cliente for às compras, na hora de pagar na caixa, façam o arredondamento para cima, como por exemplo: até 50 euros, mais 5 euros, a partir de 50 euros, 10 euros.
IRS
Lamento que não tenham colocado na página, todas as situações, como por exemplo, pensionistas 2 (casados), porque gostava de saber com aquilo que posso contar, porque só posso fazer o meu orçamento para este ano, quando souber o que vou receber líquido.
ONDE ANDA A POLÍCIA?
Mas será possível que a polícia seja conhecedora, como todos os portugueses, onde andam os ladrões e não actuarem em conformidade?!… Qual é o seu trabalho? Um grupelho de malfeitores está a apoderar-se das carteiras de todo um povo e não actuam? Que mais será preciso para pôr este grupelho na ordem? O grupelho diz que não há gorduras a mais, pois se a polícia não faz o que lhe compete não passa de isso mesmo: de gordura!!!
Vejo o povo português da mesmíssima forma que o povo judeu – na segunda guerra mundial – que aceitou de forma resignada o encaminhamento para a morte! Terá de ser assim? Teremos de passivamente aceitar que este grupelho nos aniquile, vendo as pessoas com a indiferença de um criador de frangos com o resultado final?!…
Não podemos esperar mais, temos de a bem ou a mal correr com este grupelho do comando dos destinos do nosso país. Mesmo que o mal que estão fazendo se deva a incompetência e não a malvadez, isso não invalida que sejam corridos e que tenham o castigo adequado da monstruosidade que estão cometendo.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub