Anterior
Padre adormece durante telefonema em linha de apoio a suicidas
Seguinte
Fernando Venâncio Peixoto da Fonseca (1922-2010)
Página Inicial   >  Sociedade  >  Condenado à morte diz que é alérgico à injecção letal
INSÓLITO

Condenado à morte diz que é alérgico à injecção letal

A condenação de Darryl Durr está suspensa por causa de uma suposta alergia a uma das substâncias da injecção letal. Por isso, a advogada do queixoso teme que a execução seja demasiado longa, a ponto de ser tornar ilegal.

|

A execução de Darryl Durr, prevista para a próxima terça-feira no estado do Ohio, foi suspensa provisoriamente por causa de uma alergia a uma das substâncias contida na injecção letal.

Enquanto os médicos verificam se é verdade, Kathleen McGarry, advogada do queixoso, afirma que "a lei estabelece que qualquer execução deve ser rápida e indolor".

Caso se confirme a alergia, desconhece-se que tipo de reacção o organismo poderá ter, daí a cautela de Gregory Frost, o juiz que suspendeu o processo.

"Se o corpo do sr. Darryl tiver uma reacção violenta às drogas que lhe injectarem - vómitos, complicações respiratórias, etc, - fica claro que esta execução tem um problema", explica McGarry.

O Ohio foi o segundo estado americano (depois de Washington) a estipular que as condenações à morte sejam levadas a cabo apenas com uma injecção letal, em vez das três convencionais - neste último caso a primeira induz o condenado num estado de coma, a segunda paralisa o diafragma e os pulmões e a terceira pára o coração.

O objectivo desta medida foi reduzir o tempo e as complicações das execuções, visto que algumas resultam em verdadeiras sessões de tortura, que se prolongam por horas.

Em Outubro passado, dois desses condenados sobreviveram para contar ao Expresso a sua experiência (ver texto relacionado intitulado "Executados a conta gotas").O problema de Darryl Durr com a injecção única é que ela contém uma anestesia, à qual ele alega ser alérgico.Os resultados das análises serão conhecidos em breve.       

Opinião


Multimédia

Hoje é dia de cozido serrano... light

O Talasnal é talvez a mais famosa das aldeias de Xisto da Lousã, cheia de carisma e de pormenores que fazem esquecer o tempo a passar. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta receita.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?


Comentários 21 Comentar
ordenar por:
mais votados
Absolutamente alérgico!!!
Acredito piamente que a pessoa em causa seja alérgica a tal injecção!!!
Alias penso que não existe ninguém que não sofra de tal alergia…uma vez que todos morrem depois da mesma.
Re: Absolutamente alérgico!!!
Está em causa os direitos humanos nos EUA...
Não só porque a pena de morte atenta contra esses direitos, mas neste caso é ainda mais grave. O médico da prisão deve ter uma palavra a dizer, uma vez que se souber que o preso tem uma alergia grave à injecção, tem que se opôr à sua administração. Senão pode ser processado pelo orgâo superior da organização representativa dos seus pares...Mas estamos na América onde os soldados que vão para o Afganistão assistem nos quarteis a jogos de video para atacarem os insurgentes. Depois no palco das operações começam a disparar de helicópteros para tudo que mexe, julgando que estão frente ao computador ou a um ecrân...num simples video..Portanto nos EUA tudo é possivel...
E A VITIMA
Por acaso o sujeito não terá perguntado a quem fez mal se era alérgico a balas ou facas ou....
Re: E A VITIMA
É por estas e por outras...
Que eu sou adepto dos pelotões do fuzilamento....

É mais barato, e se uma arma encravar há mais dez que fazem o trabalho...

Cumprimentos,
Civlizações
Se não fosse trágica até seria cómica, a notícia. De facto morrer a vomitar não deve ser muito agradável. Mas quem explica aos americanos que os países civilizados há muito que baniram a pena de morte a menos que eles não se considerem como tal.
Coitado, o homem ainda adoece...
...não se admite que se mate uma pessoa com uma substância a que é alérgica !
Humor "negro"
Se o assunto, não estivesse relacionado com um acto tão terrível, poder-se-ia pensar que era uma piada. De mau gosto, mas uma piada.

Creio, que tudo se deve a preocupações Legais. Ninguém garante, que o Estado não teria que pagar uma indemnização, se o executado ficasse "borbulhento".

Enfim, coisas dos "américas...

Humor negro... (mais humor que negro)
Um dia um sujeito, que por acaso era um vizinho que vive no mesmo prédio que eu vivia, resolveu pôr termo à vida e antes de o fazer telefonou à filha a avisar que ia tomar uns quantos comprimidos para se matar. Vai daí a filha, muito preocupada, corre para casa, mas já não foi a tempo de impedir que o pai tomasse as “pílulas da morte”.

Chamados os bombeiros e como o prédio não tem elevador e ele mora no 3.º andar, não tiveram outro remédio senão transportá-lo de maca pelas escadas abaixo.

Às páginas tantas o pretenso suicida vira-se para os bombeiros e avisa: “vejam lá se não me deixam cair!!!”

:D :D :D

Claro que a dose que tomou foi quase nada e ele ainda anda por lá a fazer das suas. Engraçado este meu vizinho.
Re: Humor negro... (mais humor que negro)
vão ver que....
o "gajo" ainda vai processar o estabelecimento prisional, e depois de lher ser administrada a tal injecção e for desta para melhor, ainda vai ganhar uma pipa de massa de indemnização.
Em causa a Pena de Morte
A leitura que esta situação me suscita é só e apenas:

A Pena de Morte não deveria pertencer ao passado?

Há quem não tema a morte.

Haverá quem não tema uma prisão perpétua?
É tao absurdo como.....
Pinto da Costa reclamar qualquer coisa na justiça!
A vingança estatal
Na China, é o tiro na nuca. Os americanos, com a mania de serem eficientes, criaram o maior número possível de formas de matar e, creio, não em função de poupar ao condenado a última e densa aflição, mas acrescentar ainda maior sofrimento. Somente os reveses é, que, culminaram com notícias como as de agora. Mas, o que fazer? Acho que realmente nada! A razão é, que, não existe a morte boa, pois ninguém quer morrer e o instinto de sobrevivência é grande, imenso. No meu entender, matar é apenas um ato de vingança inócuo. Para mim, seria mais eficiente um pena de trabalhos forçados, para que a coletividade tivesse algum ganho. Destruir fisicamente uma pessoa, estimula a vingança privada, que é uma forma de retaliação perigosa, pois acostuma as pessoas ao assassinato puro e simples que, em época de conflagração, torna o controle precário por parte das autoridades.
Morte digna
Eu acho que a única forma digna de se morrer é de riso!
Uma questão de peso
Desde a morte de Salazar que não me ria tanto!
absurdos é o que mais há...
esta alergia a uma substância letal não anda muito longe dum gravíssimo caso que afectou uns lotes de cigarros sg que tinham uma substãncia cangerígena e que, por via disso, foram retirados do mercado.
o resto do tabaco não fazia mal nenhum.
apenas aqueles lotes...
e muitas páginas de jornais se encheram daqueles lotes (só aqueles) de tabaco que podiam provocar cancro.

mas a questão da pena de morte é muito mais complexa que a simples questão do absurdo da alergia á substãncia letal e da 'dignidade' na morte.
se o crime que originou a condenação é condenável e merece castigo exemplar, também os que condenam a morrer outra pessoa, seja porque circunstãncias for, deveriam ser condenados de forma exemplar...
Comentários 21 Comentar

Últimas

Ver mais
Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub