Anterior
Padre adormece durante telefonema em linha de apoio a suicidas
Seguinte
Fernando Venâncio Peixoto da Fonseca (1922-2010)
Página Inicial   >  Sociedade  >   Condenado à morte diz que é alérgico à injecção letal
INSÓLITO

Condenado à morte diz que é alérgico à injecção letal

A condenação de Darryl Durr está suspensa por causa de uma suposta alergia a uma das substâncias da injecção letal. Por isso, a advogada do queixoso teme que a execução seja demasiado longa, a ponto de ser tornar ilegal.

|

A execução de Darryl Durr, prevista para a próxima terça-feira no estado do Ohio, foi suspensa provisoriamente por causa de uma alergia a uma das substâncias contida na injecção letal.

Enquanto os médicos verificam se é verdade, Kathleen McGarry, advogada do queixoso, afirma que "a lei estabelece que qualquer execução deve ser rápida e indolor".

Caso se confirme a alergia, desconhece-se que tipo de reacção o organismo poderá ter, daí a cautela de Gregory Frost, o juiz que suspendeu o processo.

"Se o corpo do sr. Darryl tiver uma reacção violenta às drogas que lhe injectarem - vómitos, complicações respiratórias, etc, - fica claro que esta execução tem um problema", explica McGarry.

O Ohio foi o segundo estado americano (depois de Washington) a estipular que as condenações à morte sejam levadas a cabo apenas com uma injecção letal, em vez das três convencionais - neste último caso a primeira induz o condenado num estado de coma, a segunda paralisa o diafragma e os pulmões e a terceira pára o coração.

O objectivo desta medida foi reduzir o tempo e as complicações das execuções, visto que algumas resultam em verdadeiras sessões de tortura, que se prolongam por horas.

Em Outubro passado, dois desses condenados sobreviveram para contar ao Expresso a sua experiência (ver texto relacionado intitulado "Executados a conta gotas").O problema de Darryl Durr com a injecção única é que ela contém uma anestesia, à qual ele alega ser alérgico.Os resultados das análises serão conhecidos em breve.       

Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 21 Comentar
ordenar por:
mais votados
Absolutamente alérgico!!!
Acredito piamente que a pessoa em causa seja alérgica a tal injecção!!!
Alias penso que não existe ninguém que não sofra de tal alergia…uma vez que todos morrem depois da mesma.
Re: Absolutamente alérgico!!!
Está em causa os direitos humanos nos EUA...
Não só porque a pena de morte atenta contra esses direitos, mas neste caso é ainda mais grave. O médico da prisão deve ter uma palavra a dizer, uma vez que se souber que o preso tem uma alergia grave à injecção, tem que se opôr à sua administração. Senão pode ser processado pelo orgâo superior da organização representativa dos seus pares...Mas estamos na América onde os soldados que vão para o Afganistão assistem nos quarteis a jogos de video para atacarem os insurgentes. Depois no palco das operações começam a disparar de helicópteros para tudo que mexe, julgando que estão frente ao computador ou a um ecrân...num simples video..Portanto nos EUA tudo é possivel...
E A VITIMA
Por acaso o sujeito não terá perguntado a quem fez mal se era alérgico a balas ou facas ou....
Re: E A VITIMA
É por estas e por outras...
Que eu sou adepto dos pelotões do fuzilamento....

É mais barato, e se uma arma encravar há mais dez que fazem o trabalho...

Cumprimentos,
Civlizações
Se não fosse trágica até seria cómica, a notícia. De facto morrer a vomitar não deve ser muito agradável. Mas quem explica aos americanos que os países civilizados há muito que baniram a pena de morte a menos que eles não se considerem como tal.
Coitado, o homem ainda adoece...
...não se admite que se mate uma pessoa com uma substância a que é alérgica !
Humor "negro"
Se o assunto, não estivesse relacionado com um acto tão terrível, poder-se-ia pensar que era uma piada. De mau gosto, mas uma piada.

Creio, que tudo se deve a preocupações Legais. Ninguém garante, que o Estado não teria que pagar uma indemnização, se o executado ficasse "borbulhento".

Enfim, coisas dos "américas...

Humor negro... (mais humor que negro)
Um dia um sujeito, que por acaso era um vizinho que vive no mesmo prédio que eu vivia, resolveu pôr termo à vida e antes de o fazer telefonou à filha a avisar que ia tomar uns quantos comprimidos para se matar. Vai daí a filha, muito preocupada, corre para casa, mas já não foi a tempo de impedir que o pai tomasse as “pílulas da morte”.

Chamados os bombeiros e como o prédio não tem elevador e ele mora no 3.º andar, não tiveram outro remédio senão transportá-lo de maca pelas escadas abaixo.

Às páginas tantas o pretenso suicida vira-se para os bombeiros e avisa: “vejam lá se não me deixam cair!!!”

:D :D :D

Claro que a dose que tomou foi quase nada e ele ainda anda por lá a fazer das suas. Engraçado este meu vizinho.
Re: Humor negro... (mais humor que negro)
vão ver que....
o "gajo" ainda vai processar o estabelecimento prisional, e depois de lher ser administrada a tal injecção e for desta para melhor, ainda vai ganhar uma pipa de massa de indemnização.
Em causa a Pena de Morte
A leitura que esta situação me suscita é só e apenas:

A Pena de Morte não deveria pertencer ao passado?

Há quem não tema a morte.

Haverá quem não tema uma prisão perpétua?
É tao absurdo como.....
Pinto da Costa reclamar qualquer coisa na justiça!
A vingança estatal
Na China, é o tiro na nuca. Os americanos, com a mania de serem eficientes, criaram o maior número possível de formas de matar e, creio, não em função de poupar ao condenado a última e densa aflição, mas acrescentar ainda maior sofrimento. Somente os reveses é, que, culminaram com notícias como as de agora. Mas, o que fazer? Acho que realmente nada! A razão é, que, não existe a morte boa, pois ninguém quer morrer e o instinto de sobrevivência é grande, imenso. No meu entender, matar é apenas um ato de vingança inócuo. Para mim, seria mais eficiente um pena de trabalhos forçados, para que a coletividade tivesse algum ganho. Destruir fisicamente uma pessoa, estimula a vingança privada, que é uma forma de retaliação perigosa, pois acostuma as pessoas ao assassinato puro e simples que, em época de conflagração, torna o controle precário por parte das autoridades.
Morte digna
Eu acho que a única forma digna de se morrer é de riso!
Uma questão de peso
Desde a morte de Salazar que não me ria tanto!
absurdos é o que mais há...
esta alergia a uma substância letal não anda muito longe dum gravíssimo caso que afectou uns lotes de cigarros sg que tinham uma substãncia cangerígena e que, por via disso, foram retirados do mercado.
o resto do tabaco não fazia mal nenhum.
apenas aqueles lotes...
e muitas páginas de jornais se encheram daqueles lotes (só aqueles) de tabaco que podiam provocar cancro.

mas a questão da pena de morte é muito mais complexa que a simples questão do absurdo da alergia á substãncia letal e da 'dignidade' na morte.
se o crime que originou a condenação é condenável e merece castigo exemplar, também os que condenam a morrer outra pessoa, seja porque circunstãncias for, deveriam ser condenados de forma exemplar...
Comentários 21 Comentar

Últimas

Quem é Carlos Moedas?

Leia um retrato do novo comissário europeu de Portugal em Bruxelas, feito durante a campanha ...

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub