26 de Julho de 2014
Página Inicial   >  Opinião  >   Comendador Marques de Correia - Cartas Abertas

O Papa Francisco a terrível crise do BES, os católicos progressistas e eu próprio

 | 
Um grupo de católicos progressistas, pensando erradamente que eu também o era, veio pedir-me ajuda. Pacientemente, expliquei-lhes que sou católico progressista, mas nunca ao mesmo tempo. Ou seja, quando sou católico não sou progressista e sou completamente contra a homossexualidade, o aborto, a contraceção e a amoralidade em geral; e quando sou progressista deixo de ser católico, porque me torno ferozmente adepto da amoralidade em geral, incluindo a homossexualidade, o aborto e a contraceção. Eles tentaram discutir comigo, dizendo-me que os católicos progressistas querem incluir alguns destes temas fraturantes na sua conceção de cristianismo, e eu zurzi-os filosoficamente dizendo:  

Para continuar a ler o artigo, clique  AQUI .

 

 

Desmascarada conspiração para que o nosso Portugal desapareça do mapa

 | 

A coisa não é simples de deslindar. Porque tudo parece desgarrado e sem nexo. Mas depois vai-se a ver e, à medida que nos afastamos dos problemas, tudo começa a fazer sentido. Por onde começar? Talvez pela seleção...

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Ronaldo a Presidente! Pepe, Nani, Jesus, Marinho Pinto e Bento ao Governo!

 | 

Estava eu sentado numa esplanada daquelas que o Costa mandou fazer em Oeiras ou na Caparica ou lá onde foi, quando ouvi a seguinte conversa:

- Eu acho que se o Ronaldo estiver em grande nível na final do Campeonato do Mundo de Futebol , se for o melhor marcador - isto mesmo que a gente não ganhe aquela coisa -, então o Ronaldo é que devia ser líder do PS! 

- O Ronaldo? Eh pá, tu és maluco! Mas o Ronaldo não percebe nada de política...  


Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

O dia histórico em que o PCP teve uma vitória a sério e a falta de fé de Jerónimo

 | 

O camarada Marcelino (ou Marcolino, ou Felismino, ou Bernardino, ou outro nome assim proletário) correu para o camarada Jerónimo e quase gritou:

- Camarada! Ganhámos, somos os vencedores da noite.

Claro que o Jerónimo, que é muito batido e prudente, não caiu logo assim à primeira. E retorquiu:

- Está bem! Mas quantos votos perdemos?

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub