6
Anterior
Duas estaladas na sua ex-mulher ficam em 500€
Seguinte
Sr. primeiro-ministro: estão a comer do caixote do lixo à minha porta
Página Inicial   >  Blogues  >  100 reféns  >   Com uma pulseira na pata o cão cantou Sinatra

Com uma pulseira na pata o cão cantou Sinatra

Decidi experimentar a pulseira Power Balance. Ao terceiro dia corria como um galgo e trepava a sequóias de 30 metros em apenas dois minutos. No cão, o resultado foi ainda mais surpreendente.
|

A maioria que escreve sobre a pulseira fenómeno fá-lo de má-fé. Sem qualquer experiencia real e comprovada com o produto e sugestionada pela imagem infundada de charlatanice com a qual quem comercializa a pulseira se habituou a conviver. Um rótulo difícil de descolar.

São pessoas que destituídas deste pedaço mágico de plástico no pulso, não estão devidamente "equilibradas- balanceadas" e por isso incapazes de poderem fazer uma apreciação critica e isenta das capacidades deste belo e revigorante artigo.

Comecei a experiência na minha pessoa e não no animal como normalmente se faz em laboratório, não fosse o bicho ganhar resistência e expulsar-me de casa. Ao segundo dia de utilização consegui perceber a totalidade de um monólogo de Pacheco Pereira. Ao terceiro dia dispensei a mulher-a-dias porque em 15 minutos fazia a limpeza da casa ao mesmo tempo que lia Nietzsche.

Aprendi mandarim enquanto o senhor Lee me cortava o cabelo, coisa que dura escassos 5 minutos porque o homem com a tesoura na mão não é nenhuma menina. O Eduardo do Tim Burton ao lado deste senhor ia fazer o Johnny Depp chorar muito mais. Até já lhe perguntei se era da família do outro Lee, o Bruce. Respondeu-me educadamente: "Outla vez essa polcalia do Bluce?"

Esta pulseira mágica é uma mistura de Dona São com Bimby, personal trainer e professora de fitness, contorcionista e nutricionista e ainda impulsionador de QI (especialmente de quem não compra o produto), testada em diversos sudokus de vários níveis e nos passatempos da revista Maria.

Enrolei finalmente a pulseira na pata do cão e cinco minutos depois ele levantou as patitas da frente, agarrou numa vela de cheiro e cantou My Way do Sinatra. Parecia que o estava a ver ali a ver à minha frente a abanar-se, inclinando a cabeça no final da melodia. Um Sinatra com mais pêlo e cheiro (mistura de magnólia com cão). Até me vieram as lágrimas aos olhos.

Esta pulseira é por tudo isto e por mais que não tive coragem de experimentar, provavelmente a melhor invenção que tive o prazer de testar desde a criação do GLH, uma espuma milagrosa que aplicada na cútis substituía o cabelo desaparecido. Dando aos carecas a possibilidade de voltarem a ter relações sexuais com a mesma frequência. Eu como não tenho problemas capilares na altura experimentei nos braços e peito. Parecia o Tony Ramos.

Confio totalmente no produto, tenho para mim que o Dom Sebastião com uma destas pulseiras no pulso há muito que teria reaparecido na Lux para mais uma noite branca.

"Pulseiras Power Balance multadas em 15 mil euros por publicidade enganosa" in Público Bem me parecia. Sempre me cheirou a aldrabice. Bastards. 

Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 6 Comentar
ordenar por:
mais votados
A FORÇA DA PUBLICIDADE e A CRENDICE
Esta pulseira foi vendida aos milhões porque as pessoas estão sedentas de acreditar em algo e agarram-se às coisas mais estúpidas que possamos imaginar.

De facto o elemento racional só por si não chega porque o ser humano move-se na trilogia do Pensamento - Sentimento - Acção.

Este é um dos motivos pelos quais devemos dar sempre primazia à RAZÃO mas não podemos esquecer que a EMOÇÃO é uma das linhas de força que determinam a acção humana.

A crendice e a superstição devem ser combatidas com todas as forças que pudermos juntar.

Re: A FORÇA DA PUBLICIDADE e A CRENDICE
TM
Esta pulseira faz-me lembrar a propaganda xuxalista, mas com uma diferença, estes ainda não foram multados, mas vão multando e que alguns já não ganham para pagarem as multas a que estão sujeitos e vão passando fome.
É democracia?
GLH
Excepcional! Muito bem lembrado. Era verdadeiramente milagroso.
Não a comprei pq já a tinha
na minha carteira, já que a empresa que faz os hologramas desta pulseira é a mesma que faz o holograma do cartão visa. Desde que arranjei o cartão de débito, senti as minhas nádegas muito mais equilibradas. A única desvantagem é que não dá jeito jogar à bola com a carteira no bolso, portanto ainda pondero arranjar uma destas para alinhar os meus chacras e rematar de trivela.
Questão de princípios
O meu vizinho Tone Porco, desde que comprou a pulseira, não tem parado de supreender o povo cá da terra. Ele diz que com a pulseira consegue saltar muros, abrir portões, entrar em minha casa, fechar-se no quarto com a minha mulher e andar de bicicleta.
      Eu como acho que essas pulseiras é tudo treta, enfio-me no tasco "Até cair" a apanhar a bebedeira e os meus amigos em tom de gallhofa, atiram-me sempre com esta:
- Ó Falsete, se nunca viste um porco em cima duma bicicleta, tens de aparecer mais vezes em casa.
        Nunca entro em pánico, por uma questão de princípios. E também, porque sei que há sempre mais tascos abertos.
   
Comentários 6 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub