6
Anterior
Duas estaladas na sua ex-mulher ficam em 500€
Seguinte
Sr. primeiro-ministro: estão a comer do caixote do lixo à minha porta
Página Inicial   >  Blogues  >  100 reféns  >   Com uma pulseira na pata o cão cantou Sinatra

Com uma pulseira na pata o cão cantou Sinatra

Decidi experimentar a pulseira Power Balance. Ao terceiro dia corria como um galgo e trepava a sequóias de 30 metros em apenas dois minutos. No cão, o resultado foi ainda mais surpreendente.
|

A maioria que escreve sobre a pulseira fenómeno fá-lo de má-fé. Sem qualquer experiencia real e comprovada com o produto e sugestionada pela imagem infundada de charlatanice com a qual quem comercializa a pulseira se habituou a conviver. Um rótulo difícil de descolar.

São pessoas que destituídas deste pedaço mágico de plástico no pulso, não estão devidamente "equilibradas- balanceadas" e por isso incapazes de poderem fazer uma apreciação critica e isenta das capacidades deste belo e revigorante artigo.

Comecei a experiência na minha pessoa e não no animal como normalmente se faz em laboratório, não fosse o bicho ganhar resistência e expulsar-me de casa. Ao segundo dia de utilização consegui perceber a totalidade de um monólogo de Pacheco Pereira. Ao terceiro dia dispensei a mulher-a-dias porque em 15 minutos fazia a limpeza da casa ao mesmo tempo que lia Nietzsche.

Aprendi mandarim enquanto o senhor Lee me cortava o cabelo, coisa que dura escassos 5 minutos porque o homem com a tesoura na mão não é nenhuma menina. O Eduardo do Tim Burton ao lado deste senhor ia fazer o Johnny Depp chorar muito mais. Até já lhe perguntei se era da família do outro Lee, o Bruce. Respondeu-me educadamente: "Outla vez essa polcalia do Bluce?"

Esta pulseira mágica é uma mistura de Dona São com Bimby, personal trainer e professora de fitness, contorcionista e nutricionista e ainda impulsionador de QI (especialmente de quem não compra o produto), testada em diversos sudokus de vários níveis e nos passatempos da revista Maria.

Enrolei finalmente a pulseira na pata do cão e cinco minutos depois ele levantou as patitas da frente, agarrou numa vela de cheiro e cantou My Way do Sinatra. Parecia que o estava a ver ali a ver à minha frente a abanar-se, inclinando a cabeça no final da melodia. Um Sinatra com mais pêlo e cheiro (mistura de magnólia com cão). Até me vieram as lágrimas aos olhos.

Esta pulseira é por tudo isto e por mais que não tive coragem de experimentar, provavelmente a melhor invenção que tive o prazer de testar desde a criação do GLH, uma espuma milagrosa que aplicada na cútis substituía o cabelo desaparecido. Dando aos carecas a possibilidade de voltarem a ter relações sexuais com a mesma frequência. Eu como não tenho problemas capilares na altura experimentei nos braços e peito. Parecia o Tony Ramos.

Confio totalmente no produto, tenho para mim que o Dom Sebastião com uma destas pulseiras no pulso há muito que teria reaparecido na Lux para mais uma noite branca.

"Pulseiras Power Balance multadas em 15 mil euros por publicidade enganosa" in Público Bem me parecia. Sempre me cheirou a aldrabice. Bastards. 

Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.


Comentários 6 Comentar
ordenar por:
mais votados
A FORÇA DA PUBLICIDADE e A CRENDICE
Esta pulseira foi vendida aos milhões porque as pessoas estão sedentas de acreditar em algo e agarram-se às coisas mais estúpidas que possamos imaginar.

De facto o elemento racional só por si não chega porque o ser humano move-se na trilogia do Pensamento - Sentimento - Acção.

Este é um dos motivos pelos quais devemos dar sempre primazia à RAZÃO mas não podemos esquecer que a EMOÇÃO é uma das linhas de força que determinam a acção humana.

A crendice e a superstição devem ser combatidas com todas as forças que pudermos juntar.

Re: A FORÇA DA PUBLICIDADE e A CRENDICE
TM
Esta pulseira faz-me lembrar a propaganda xuxalista, mas com uma diferença, estes ainda não foram multados, mas vão multando e que alguns já não ganham para pagarem as multas a que estão sujeitos e vão passando fome.
É democracia?
GLH
Excepcional! Muito bem lembrado. Era verdadeiramente milagroso.
Não a comprei pq já a tinha
na minha carteira, já que a empresa que faz os hologramas desta pulseira é a mesma que faz o holograma do cartão visa. Desde que arranjei o cartão de débito, senti as minhas nádegas muito mais equilibradas. A única desvantagem é que não dá jeito jogar à bola com a carteira no bolso, portanto ainda pondero arranjar uma destas para alinhar os meus chacras e rematar de trivela.
Questão de princípios
O meu vizinho Tone Porco, desde que comprou a pulseira, não tem parado de supreender o povo cá da terra. Ele diz que com a pulseira consegue saltar muros, abrir portões, entrar em minha casa, fechar-se no quarto com a minha mulher e andar de bicicleta.
      Eu como acho que essas pulseiras é tudo treta, enfio-me no tasco "Até cair" a apanhar a bebedeira e os meus amigos em tom de gallhofa, atiram-me sempre com esta:
- Ó Falsete, se nunca viste um porco em cima duma bicicleta, tens de aparecer mais vezes em casa.
        Nunca entro em pánico, por uma questão de princípios. E também, porque sei que há sempre mais tascos abertos.
   
Comentários 6 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub