28
Anterior
Gaspar retribui dádiva à universidade
Seguinte
42 euros por mês
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Educação e Ciência  >  Falta de castigo  >   Coimbra tem menos encanto

Coimbra tem menos encanto

|

O reitor da Universidade de Coimbra (UC) mandou parar toda a actividade na instituição amanhã, dia 8, entre as 11 e as 13 horas.

A quebra da produtividade vai ser brutal. Estudantes, professores, investigadores e funcionários vão estar durante duas horas sabe-se lá a fazer o quê.

No mínimo a falar bem do governo, a incensar o ministro da Educação e Ciência e a quem nele manda, o ministro das Finanças.

À distinta assembleia juntar-se-ão ainda os directores das oito Faculdades e o presidente da Associação Académica. Gente pouco qualificada.

Não será uma assembleia magna. Será uma assembleia magra. O reitor vai explicar as "implicações dramáticas" dos cortes orçamentais para o Ensino Superior e, em particular, para a UC.

Por mim acho bem que se corte. Tudo a eito. A UC foi durante séculos a única universidade portuguesa. Por lá passou a nata científica e cultural da sociedade portuguesa.

Hoje a Universidade de Coimbra já não tem o prestígio internacionalmente reconhecido de uma Universidade Lusófona, onde se formou à velocidade da luz um governante altamente qualificado como Relvas; nem da Universidade Lusíada onde, à velocidade do som, obteve o canudo, em Economia, o primeiro-ministro, com a provecta idade de 37 anos.

A UC, como qualquer universidade pública, não presta. Serve apenas para gastar dinheiro ao Estado, atribuir uns diplomas a uns badamecos que depois são chutados para o desemprego ou seguem o conselho do eminente chefe do governo e vão para a estranja governar vida.

Então e não é que muitos países, que nestes jovens não investiram um cêntimo, reconhecem-lhes elevadas competências científicas e profissionais? Países estúpidos, certamente.

Faça-se a demolição da Cabra que está ali a marcar, entre outras, duas horas de total abstencionismo. Feche-se a cadeado toda aquela mole de edifícios que vendida ao desbarato atenuava um bocadinho o défice do Estado.

E ponham-se as dezenas de milhar de estudantes na rua, num adeus à vida académica, a cantar alegremente a Balada do 6º ano Médico, de Fernando Machado Soares, composta em 1958/59: "Coimbra tem menos encanto / na hora da despedida..."

 


Opinião


Multimédia

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 28 Comentar
ordenar por:
mais votados
Dar o exemplo:tanto vice reitor para quê?
E se em tempo de crise a Universidade de Coimbra e a reitoria dessem exemplo de gastar menos, a começar por reduzir a equipa reitoral?
Tanto vice reitor para quê?
Só se fôr para retribuir os votos das várias facções que elegerem o actual chefe da Universidade!
Re: Coimbra tem menos encanto
O primeiro-ministro tirou o curso na Universidade Lusiada, porque só podia estudar à noite.

A verdade é que tem de se cortar na despesa, mas não será para sempre, e quanto mais cedo melhor
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Re: Coimbra tem menos encanto
Nasci em Coimbra, vivo em Coimbra e licenciei-me na UC e concordo a 100% com tudo aquilo que o Sr. José Alberto Quaresma escreveu. A cidade e a universidade pararam no tempo, adormecendo à sombra dum prestigio que já lá vai. A UC, como a maior parte das instituições de ensino superior portuguesas, apenas serve para vender diplomas e para segurar os tachos de uns quantos cátedras principescamente bem pagos que lá dão aulas. Quando dão.
O prestigio da UC é reconhecido internacionalmente apenas pela vida académica. Peguntem a quantos estudantes Erasmus porque é que escolheram Coimbra. Vos garanto que não foi pela qualidade do ensino.
Uma coisa é certa, porque razão é que se há-de andar 3, 4, 5 ou mais anos a queimar pestanas e a esbanjar dinheiro quando se pode obter um grau académico em poucos meses? O DOUTOR Chico Esperto Relvas que o diga... Andar anos a fio a estudar é para gente que não tem mais nada que fazer da vida...
Quem sabe se de futuro a venda de diplomas a metro, à boa maneira da Lusófona, não começa a ser adoptada pelas universidades públicas. É tudo uma questão de encaixe financeiro. Ao fim ao cabo, o estudante é tão somente o cliente que requisitou um serviço a um fornecedor que lhe vende um grau académico que lhe permite acrescentar uma linha no CV.
Re: Coimbra tem menos encanto
Com curso ou sem curso...
Com Curso ou sem Curso, são duas pessoas que deveriam ter ficado lá para as bandas de Angola.
Verdadeiros "Chicos Espertos", manhosos e oportunistas.
Poderiam não ter curso nenhum mas terem o sentido de justiça que todo o cidadão digno deve possuir, principalmente em relação ao povo que é a classe social que mais sofre com perturbações políticas, sejam de que índole sejam.
Como "Chico Esperto ou Vivaço", usou a mentira fácil e descarada para levar os mais ignorantes e mais amantes do PSD, e votarem nele.
Conseguiu chegar a PM com uma facilidade que ele próprio deve ficar assombrado.
Raios parta a nossa triste sorte, como deverá ser o pensamente dos mais desfavorecidos do nosso país.
Por mim, não penso isso porque conhei, desde há muitos anos, pessoas como esta perelha de espertinhos.
Re: Com curso ou sem curso...
Re: Com curso ou sem curso...
Re: Com curso ou sem curso...
Comentários 28 Comentar

Últimas

Ecos dos anos 30

As tendências da economia parecem caóticas e insondáveis até percebermos ...

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub