18 de abril de 2014 às 0:59
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Cultura  ⁄  Cinema: IndieLisboa  ⁄  Cinema Paraíso

Cinema Paraíso

A sobrevivência é um combate quotidiano numa velha sala de cinema que o tempo transformou em bordel. "Serbis" vem das Filipinas. (Veja o trailer no fim do texto)
Francisco Ferreira
Cinema Paraíso

Brillante Mendoza já tem currículum nos festivais internacionais e chegou ao topo no ano passado, em Cannes, com este "Serbis", que no tagalog original, a língua do país, significa 'serviço'.

É um filme escrito na urgência, foi rodado em 20 dias e mergulha nas entranhas de um bordel filipino que palpita de pulsões e de sexo, misturando tudo, famílias inteiras, travestis, prostitutos, voyeuristas... Se existe uma personagem central ela é o 'décor' do filme, o grande bordel promíscuo onde os corpos se vendem, que em tempos foi uma mítica sala de cinema.

Documentário e ficção fundem-se no mesmo testemunho do quotidiano, com a câmara a correr frenética de um lado para o outro, até ao último plano em que tudo se consome. É para maiores de 18, não será certamente para todos os estômagos, mas este mundo em ruínas, à espera do colapso, não deixa ninguém indiferente.

Serbis

de Brillante Mendoza (Filipinas)
("Cinema Emergente")
Sábado, dia 25, 19h, Museu do Oriente.
Repete no mesmo local na sexta, dia 1, 16h

Comentários 0 Comentar
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub