23
Anterior
Impressora 3D faz arma pronta a disparar
Seguinte
Protocolo de Quioto prolongado até 2020
Página Inicial   >  Sociedade  >   Cientistas holandeses inventam betão vivo

Cientistas holandeses inventam betão vivo

Lá para 2016 deverá chega ao mercado um "bio-betão" capaz de autorreparar microfissuras que põe em causa a segurança das construções.

|
Novo "bio-betão" não é barato mas poderá aumentar a esperança média de vida das construções até 40 por cento

Uma equipa de investigadores da Universidade Técnica de Delft, na Holanda, está a desenvolver um novo tipo de betão capaz de se autorreparar. Trata-se de um "bio-betão" que contém bactérias que tapam microfissuras.

Em qualquer altura poderão surgir fissuras muito pequenas nas estruturas em betão armado, que podem durar, em média, cerca de 100 anos. Segundo os cientistas, o novo betão aumentará a esperança de vida destas construções em 20 a 40 por cento.

Os investigadores juntaram à mistura de gravilha, cimento e água, uma microcápsula contendo bactérias "adormecidas" e um nutriente. Nas zonas onde surgem microfissuras, as microcápsulas rompem-se libertando o seu conteúdo. Logo que entrem em contacto com a água, que uma vez infiltrada acaba por ser alojar nestas zonas, as bactérias transformam os nutrientes em carbonato de cálcio, o principal componente das rochas calcárias.

Nos testes já realizados em laboratório, demorou entre um e quatro meses a reparar uma microfissura.

50 por cento mais caro


A equipa liderada pelo microbiólogo Henk Jonkers, de que também fazem parte engenheiros de materiais, colocaram em cada metro cúbico de betão cerca de 100 mil bactérias e para alimentá-las, lactato de cálcio, um conservante natural usado na indústria alimentar.

A investigação entra agora numa nova fase, com a realização de experiencias em ambientes reais que projetam para 2016 a chegada ao mercado deste "bio-betão".

Segundo Henk Jonkers, este novo material de construção destina-se, sobretudo, a "edifícios em que as fugas sejam problemáticas, como por exemplo túneis, bem como aqueles que estejam mais expostos à corrosão, como por exemplo os que estão sujeitos ao ambiente marítimo". Mas quanto custa este "bio-betão"?

Adicionar as bactérias implica um custo acrescido, por quilo de betão, compreendido entre os dois e os três euros, o que deverá aumentar em 50 por cento o preço do betão usado atualmente.

"Isso será compensado com a redução dos custos de manutenção e o aumento da esperança de vida dos edifícios", argumenta Henk Jonkers.


Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.


Comentários 23 Comentar
ordenar por:
mais votados
'Cientistas holandeses inventam betão vivo
É difícil comentar uma ideia tão genial, sem ser para dizer que... parece genial. Mas isso está muito visto, cumprimentar quem não se conhece por boas ideias que todos os dias ocorrem no mundo. É uma certeza estatística. Se a Cimpor ainda fosse uma multinacional genuinamente Portuguesa, seria outra história: uma invenção destas teria aumentado muito o valor da empresa.

Contemplem: chegámos à era dos aditivos do cimento!

E tal como os produtores de combustível têm uma fonte adicional de valor acrescentado nos aditivos da gasolina, assim as cimenteiras vão poder diversificar os seus produtos. Prevejo desde já alguns contra-argumentos com base nos recentes testes da DECO para as gasolinas... mas a verdade é que pelas conclusões destes, a DECO para ser séria tinha que ter movido um processo judicial contra as gasolineiras, não?

Um betão destes pode sair muito barato, mesmo quando é caro. O aumento da sua resistência e durabilidade significa que pode ser usado em obras críticas que usariam normalmente materiais mais caros, ou um betão com especificações mais dispendiosas. E sendo apenas uma componente do custo, 50% mais caro não significa que a obra fique 50% mais cara. Se todos os componentes tiverem mais longevidade que o betão, então se a sua vida média aumentar 40%, ele compensará em obras onde o betão seria até 80% dos custos (+20% de idade, 40% dos custos).

Acima, não levo em conta custos de financiamento... essa "brilhante" invenção para promover lixo.
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Viva
II
re: Viva
re: II
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Re: 'Cientistas holandeses inventam betão vivo
Se é 50% mais caro não é tecnologia,é oportunismo
Se é 50% mais caro não é tecnologia,é oportunismo financeiro.O estado portugues,como sempre,vai ser o primeiro a usa-lo em larga escala,o povo é que paga,os comunistas engenheiros funcionarios publicos não querem nem nunca quiseram saber de economizar o dinheiro dos contribuintes,foi sempre gastar até se acabar o credito dos outros!!
Re: Se é 50% mais caro não é tecnologia,é oportuni
Re: Se é 50% mais caro não é tecnologia,é oportuni
Seu aldrabão, aldrabão, aldrabão!
Re: Seu aldrabão, aldrabão, aldrabão!
Re: Seu aldrabão, aldrabão, aldrabão!
Re: Se é 50% mais caro não é tecnologia,é oportuni
Comentários 23 Comentar

Últimas


Pub