Anterior
Indonésia: Portugueses que estavam incontactáveis foram localizados
Seguinte
IDT dispensa 200 colaboradores
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  Chuva inunda Lisboa e Proteção Civil estende alerta a 14 distritos (contém fotogaleria)
flag5

Chuva inunda Lisboa e Proteção Civil estende alerta a 14 distritos (contém fotogaleria)

Chuva forte e repentina inundou zonas baixas da cidade e provocou o caos no trânsito. Do Rossio ao Terreiro do Paço e da Praça do Município a Alcântara. Veja a fotos dos repórteres do Expresso.
Lusa |

O Terreiro do Paço, em Lisboa, está hoje completamente inundado devido à chuva que caiu esta manhã na capital, confirmou fonte dos bombeiros à agência Lusa.

A estação de metro do Rossio está fechada e completamente inundada.

O mesmo sucede na rua entre o teatro D. Maria e a zona da baixa que está inundada e com o trânsito cortado.

Segundo apurou a Lusa no local, a água atinge cerca de um metro. Apesar disso, algumas pessoas arriscavam passar a pé, enquanto a maioria permanecia refugiada debaixo de toldos ou em cafés da zona.  

"O Rossio é um lago, o trânsito está parado e os carros são obrigados a inverter a marcha para subir a avenida de Liberdade", inundados que estão os dois quarteirões na cota mais baixa, afirmou à Lusa uma funcionária da Câmara de Lisboa.

Números
 
167
Pedidos de ajuda recebidos até às 13h, 145 dos quais por causa de inundações provocadas pela chuva forte em altura de preia-mar. Fonte: Proteção Civil.

Na Praça do Município já era possível circular às 11h40 porque a água já fora escoada.

Outro funcionário da autarquia contou à Lusa que o seu automóvel parou no Campo das Cebolas, quando arriscou avançar pela água que chegava ao nível dos motores dos carros.  

No Martim Moniz, um "coletor de água rebentou", causando novos constrangimentos à circulação, acrescentou outra fonte da autarquia.

"Desde as 8h até às 13h, foram recebidas 5396 chamadas de pedidos de informação e de ajuda, 3767 das quais entre as 11h e as 12h", informou o vereador em conferência de imprensa conjunta com o comandante dos bombeiros e com a Proteção Civil.

Nas operações estiveram, durante esse período, envolvidos 39 veículos e 131 elementos dos bombeiros, disse ainda, salientando o elevado número de chamadas, que tornou este "um dia anormal, com um número muito elevado de ocorrências".

"Não foi problema de limpeza. Houve hoje uma coincidência de uma precipitação intensa com a preia-mar e isso afeta tradicionalmente as zonas baixas da cidade, a Baixa e a 24 de Julho", considerou Manuel Brito.


ÁREAS MAIS AFETADAS



Opinião


Multimédia

Quase ninguém ficou em casa

Foi num 25 de Abril como o deste sábado, mas há 40 anos e numa liberdade então recentemente tomada: a 25 de Abril de 1975, Portugal testemunhou as primeiras eleições livres e universais após quase meio século de ditadura. Estas são as histórias, os retratos, os apelos e as memórias de um tempo que mudou o rosto do país.

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação. 

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.


Comentários 40 Comentar
ordenar por:
mais votados
O munícipe é que paga as favas
É a Cãmara do socialista António Costa a meter água.Estes Presidentes de Cãmara em vez de tratar dos problemas da autarquia passam o tempo a tratar dos interesses do Partido.Depois o munícipe é que paga as favas.
É só propaganda no palanque.Pobre Povo,pobre condição,que frágil politica esta.
Re: O munícipe é que paga as favas
Costa,do PS é comentador chefe do partido.
Re: Costa,do PS é comentador chefe do partido.
Re: Costa,do PS é comentador chefe do partido.
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Re: O munícipe é que paga as favas
Mas que ganda cromo !!!
E o Sá Fernandes?
Re: E o Sá Fernandes?
Re: E o Sá Fernandes?E as secretas?
Re: E o Sá Fernandes?E as secretas?
Re: O munícipe é que paga as favas
Isto é o fim da picada!
NMGS ,tem razão
Re: NMGS ,tem razão
Chuva inunda Lisboa
Alguns comentadores acham que a culpa de chover e haver inundações é do Presidente da Camara António Costa. Estão a esquecer-sem que o grande culpado é Sócrates, mas o Marquês também tem culpas no Cartorio. Eu até acho que é ele o maior culpado, porque depois do terramoto de 1755 devia ter abandonado o local e devia ter feito uma nova capital no cume da Serra da Estrela, porque aí podem ficar cientes não existiriam estes problemas.
Chuva de 8 dias em 3 horas.
Para os especialistas em clínica-geral, língua víperina e em redes de águas pluviais, como o Águia e o Mónaco, a precipitação em Lisboa foi de 22 m/m em 3 horas.
Durante o mês de Outubro a precipitação média é de 80 m/m mês, atingindo o pico em Novembro com 115 m/m.

O afluxo de muitas águas de superfície que correm para as partes baixas da cidade, em simultâneo com o funcionamento das marés, atrasa o escoamento das mesmas.

A 16 de Junho, no Var, em França, não confundir com o Burundi; morreram 12 pessoas por motivo de cheias. Culpado, o Costa !!
CML


Sim tem de ser ao executivo actual que se tem de pedir responsabilidades, e se fosse outro assim também se exigiria.
Já de alguns longos anos que isto bem acontecendo, e as medidas para se contornar este flagelo tardam.
Se a CML não tem dinheiro para as respectivas obras somente tem de falar com o governo para evitarem de festanças, auditorias, etc que levam, dinheiro inútil tudo passa por uma boa gestão, mas isso é algo difícil nos dias de hoje, e mais não digo para não ser desagradável.
Se fosse noutro país já tinha caído o Carmo e a trindade, mas como sabem que o português é calmo usam e abusam.
Re: CML
Re: CML
inundações, os avisos, lisboa
A todos os de curta memória: Gonçalo Ribeiro Telles passou metade da sua vida a alertar para os cuidados a observar na execução de obras que mexessem com o subsolo lisboeta. Poucos o "escutaram" verdadeiramente, e mesmo esses, desdenharam das suas aobservações, dos seus alertas, ignorando em absoluto as suas sugestões. O resultado está à vista, e vai-se repetindo sempre que se observem as mesmas circusntâncias. Aprendam a viver com isso...
Assim há que esperar pior ainda.
Em vez de TGVs, novos aeroportos e mais auto estradas por habitante do mundo, deviam antes pensar em gerir o património público correctamente, muito deste existe desde os tempos do Marquês de Pombal, logo em necessidade absoluta de manutençâo/substituição. Muitas das estruturas existentes já não servem as necessidades actuais e há que investir nesse campo. Só que essas são obras necessárias, só causam transtornos e muitas vezes não dão os votos das muitas obras de fachada sem utilidade pública.
Para onde vai?
Todos sabemos que invariavelmente cerca de 50% dos orçamentos de estado anuais, no que toca a investimentos, são destinados á área de Lisboa.
Sempre que há uma chuvada assistimos ao mesmo espectáculo.
É caso para perguntar: PARA ONDE VAI O DINHEIRO?
Será que os socialistas dee capital podem informar? É que andam tão ocupados a defender os larápios...
Saudades do tempo...
...em que os funcionários da JAE limpavam as sargetas durante o verão. Este fenómeno acontece nos nossos dias porque os responsáveis deste triste e decadente país metem água por todo o lado...
Rede Saneamento
Caros.

Obras, como saneamento, aguas pluviais. esgotos, rede aguas...

Não são obras visíveis, ficam enterradas debaixo do chão!
Embora sejam importantes, os políticos não ganham votos com elas.

Interessa é obras, que "salte à vista" para o povinho não esquecer, nem que não sejam de grande utilidade, interessa sim, serem lembradas na altura das eleições.
contrastes
Tanto destaque para umas inofensivas cheias e nenhum para a tragédia que se está a viver na Indonésia com o tsunami
Abaixo o São Pedro! Viva a Santa Corrupção!
A culpa é do clima português! Se no Verão não houvesse tempo seco não havia incêndios, e se no Inverno não chovesse, não havia inundações! A culpa não é dos edifícios construídos em leito de cheia e à beira de ribeiras encanadas como a de Alcântara! Quem tem culpa é a água, que insiste em correr por onde corre há séculos!!! Isso e as mudanças climáticas!!! Sem esquecer das malvadas das andorinhas que provocam apagões!!! A natureza é uma corrupta, é o que é... ele há gotas de água que são umas grandes ladras!!!!

Pelo que vejo S.Pedro não é socialista....
Culpar o Edil pela itemperie, é um acto de vilanagem.
Re: Pelo que vejo S.Pedro não é socialista....
Re: Pelo que vejo S.Pedro não é socialista....
Cheias???????? Mas que cheias???!!!
Foi pouco... mas mesmo, mesmo muito pouco.

Havia de ter sido "tipo tsunami da Indonésia" e chegado até à Assembleia da República para varrer todo aquele o "esterco" que por lá se tem acumulado ao longo destes anos todos.

Quanto acham que esses marialvas, com a montagem desta novela toda, vão facturar de mais-valias quando a bolsa abrir???

Devem ter provocado isto tudo para facturar mais "uns" trocos para ajudar a colmatar as "diminutas" ajudas de custo de que, diariamente, usufruem mas que, de tão diminutas (!!), nem permitem que "esses desgraçaditos" almocem, e coitados, passem fome!!!
Comentários 40 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub