24 de abril de 2014 às 16:39
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  Chumbada moção de censura ao Governo

Parlamento ao minuto

Chumbada moção de censura ao Governo

18h51 -moção de censura do PCP ao Governo acaba de ser chumbada com os votos contra do PSD e CDS-PP, e com a abstenção do PS.

"Se for preciso tomar mais medidas para a atingir as metas, fá-lo-emos", disse Passos Coelho Manuel de Almeida/Lusa "Se for preciso tomar mais medidas para a atingir as metas, fá-lo-emos", disse Passos Coelho

18h50 - PCP, BE e PEV foram os únicos partidos a votar a favor da moção de censura ao Governo.

18h43 -  "O Governo do PS caiu porque estava podre", afirma Bernardino Soares, em resposta à intervenção de Pedro Silva Pereira. O deputado comunista defende que com a abstenção dos socialistas, o partido auto exclui-se da defesa de uma nova política.

18h32 - Bernardino Soares, do PCP, defende que este programa é um grande sucesso para o poder económico e acusa a dívida pública de ter aumentado devido às "negociatas da banca." 

O deputado comunista diz também que "andam a vender lá fora empresas que fazem falta à nossa economia."

18h28 - "Tudo faremos para que este tenha sido o último pedido de ajuda ao Fundo Monetário Internacional (FMI)", garante Portas.

18h21 - Portas sublinha que não é possível ficar no euro, sem cumprir as obrigações externas e garante que hoje não há comparações externas entre Portugal e a Grécia. "A vida dos gregos está melhor por terem reestruturado a sua dívida?", questiona o ministro.

Paulo Portas  acusa ainda o PCP de ter um problema com o país e não com o Governo.

18h12 - Paulo Portas diz que "não há alternativa à substância da política a que estamos obrigados" e sublinha que o "problema do PCP não é com o Governo, mas com o país."

18h11 - Ministro dos Negócios Estrangeiros defende que quando se apresenta uma moção de censura devem-se apresentar alternativas, o que não aconteceu com o PCP.

18h07 - O deputado do CDS João Almeida  diz que a oposição tem todas as certezas, mas raramente tem razão. "Buracos da Saúde, na Parque Escolar e das PPP não estavam no memorando", sublinha João Almeida.  

18h01 - "Passados 80 anos adotam-se critérios de Salazar no Orçamento", acsua Agostinho Lopes, do PCP.

17h51 - Pedro Silva Pereira diz que as consequências das austeridade além-troika já estão à vista.  

17h47 - "Quando é que o PS faz o mea culpa da situação que criou?", questiona Adão e Silva, vice-presidente da bancada parlamentar do PSD.  

17h35 - "Não faz sentido uma crise política quando tivemos eleições há um ano. A abstenção do PS não traduz dúvida, nem hesitação, exprime clareza", defende Pedro Silva Pereira.

O deputado do PS diz ainda que as medidas que o PS mais se queixa não estavam no memorando e foram inscritas nele sem negociação com o PS.  

17h31 - "Há um ano, este mesmo PCP, aliou-se à direita para derrubar o Governo", acusa o socialista Pedro Pereira da Silva. Em apenas um ano a diferença entre a direita e o PS ficou evidente.   

17h28 - O ministro das Finanças garante que "não existe qualquer evidência de uma espiral recessiva, pelo contrário."

17h26 - Heloísa Apolónia, do PEV, diz que o aumento do IVA foi um desastre e questiona se o Governo vai recuar. "O sr. PM tentou transformar uma mentira num lapso", acusa a deputada dos verdes.

17h23 - "Como o PM faz hoje uma intervenção ignorando a quebra brutal das receitas do IVA?  E qual é a justifiação que apresenta para aquela que era a soluçao milagrosa?, questiona a deputada do BE, Cecília Honório, acusando o primeiro-ministro de estar a esconder o plano B da austeridade. 

17h17 - "Há oito meses já tinhamos avisado da espiral recessiva", afirma Honório Novo, do PCP. 

17h14 - Vítor Gaspar lembra que o PCP obteve menos de 8% dos votos, o que na sua opinião "não surpreende", pela sua atitude "irresponsável" como é exemplo a moção de censura votada hoje no Parlamento. 

17h07 - O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, apresenta uma declaração no plenário:

"Portugal vive hoje em crise, que não ocorreu por acaso, resulta de más decisões. Durante mais de uma década acumulámos equilibrios macroeconómicos que nos tornou mais vulneráveis (...)"

"Tolerámos cumplicidades entre a esfera pública e a esfera dos negócios". "Só o apoio financeiro dos parceiros intrernacionais evitou a bancarrota."

"Estou confiante que quer Portugal, quer a Europa, será capaz de ultrapassar as dificuldades."

17h05 - Passos Coelho garante que o Governo não despediu ninguém das Novas Oportunidades, nem encerrou centros.

16h59 -  O primeiro-ministro diz que não é verdade que não haja desperdício, nem fraude na Saúde.

"Temos que fazer mais e melhor com menos" no sector, acrescenta.

16h51 - "Confiscaram subsídios a quem tinha salários congelados há 10 anos", declara o deputado comunista, António Filipe, sublinhando que as medidas são injustas, porque atingem sempre os mesmos.  "Que mal fizeram os portugueses para merecer isto?", questiona. 

16h46- O deputado do PCP Bernardino Soares diz que a despesa do Estado com a Saúde é inferior à média europeia, o que constitui uma situação "gravíssima". "As taxas moderadoras não são meio de financiamento, mas de afastar as pessoas",  acusa ainda o deputado comunista.  

16h43 - "Governo não está aqui para defender as visões do mundo e dos outros", diz Teresa Leal Coelho, do PSD, sublinhando que o Executivo quer um melhor país não só para os portugueses de hoje, mas também no futuro para os seus filhos.    

16h41 - "Foge à questão, nós insistimos: está ou não a preparar novos cortes?", questiona João Oliveira, do PCP. 

16h31 - O primeiro-ministro nega o racionamento na Saúde e diz que o que o Governo proporcionou aos portugueses foi mais meios para recorrerem à Saúde e não menos.  

16h26 - Passos Coelho diz que há diversos aspetos do memorando que têm vindo a ser alterados, mas "se for preciso tomar mais medidas para a atingir as metas, fá-lo-emos", garante o primeiro-ministro. 

16h25 - "Esta é a maior crise financeira, económica e social do nosso tempo, mas não vale  a pena perder tempo a falar dos efeitos da crise, nós sabemos", disse o primeiro-ministro, garantindo dizer não à destruição do memorando e à renegociação da dívida.

16h23 - O socialista Rui Santos questiona o primeiro-ministro sobre a estratégia do Governo para a formação dos portugueses. 

16h22 - "Do alto da sua arrogância inteletual o PCP diz-se dono da voz do povo", acusa o deputado Luís Menezes, do PSD .

16h20 - O Governo tem que esclarecer aqui se prepara mais medidas de austeridade, diz Jorge Machado, do PCP.  

16h14 - O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, considera que se a moção de censura do PCP fosse aprovada trazia uma crise política, económica e social, que "qualquer português de bom senso" não queria para o seu país.    

16h10 - Luís Montenegro sublinha que o país precisa de equilíbrio financeiro, reformas estruturais para garantir o Estado Social, que não se garante com utopias, nem com a bancarrota, mas como crescimento económico e solidariedade.

16h08 - "Portugal precisa de concertação político-partidária como no Governo", afirmou o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, acusando a moção de censura do PCP de ser sectária e de querer apenas semear o conflito.

16h04 - Heloísa Apolónia diz que é  necessária  a renegociação da dívida, queira o Governo ou não.

16h02 - "Quem é que o Governo quer iludir, quem é que o Governo quer enganar?", questiona Heloísa Apolónia, sublinhando que "nem a preocupação com os números para Bruxelas está a resultar." 

16h01 -"É constrangedora a forma como o Governo chega aqui no Parlamento no dia da votação de uma moção de censura e comporta-se como se não tivesse nada a ver com o que se passa", acusa Helóisa Apolónia, do PEV.

  15h59 - "A política do Governo está a deixar o país mais pobre e mais doente ", afirma António Serrano do PS.

15h57- Luís Fazenda quer saber quais os cortes que serão feitos nas parcerias público privadas.

 15h55- "As causa da crise estão nos donos de Portugal. (...) Na promiscuidade entre poder político e económico", diz Fazenda.

15h53- Desde que o Governo induziu a "economia em coma" que o desemprego e número de entregas de casas à banca aumentou, acusa Luís Fazenda, do Bloco de Esquerda.

15h52- Passos diz que ainda é cedo para falar em mais medidas de austeridade.  

15h48- "A recapitalização dos bancos e do sistema financeiro é uma das pedras para o nosso sucesso económico", defende Passos. 

15h48- O nível de endividamento do Estado e da economia portuguesa foram as duas grandes causas da crise, argumenta o primeir-ministro.

15h45- Passos responde a Jerónimo, afirmando que não fez promessas fáceis durante a campanha eleitoral. 

15h45- Passos responde a Jerónimo, afirmando que não fez promessas fáceis durante a campanha eleitoral. 

15h41- O líder do PCP questiona os apoios dados à banca, que considera ser uma das causas da crise. 

15h39- Jerónimo de Sousa recorda que, numa escola durante a campanha, Passos tinha prometido não cortar os subsídios. "Não sente que enganou os portugueses?"

15h36- Passos Coelho elenca os sectores de ação do Governo e diz que não há motivos de censura."Vejo razões para termos esperança no futuro."

15h35- "É preciso levar a cabo um ambicioso programa de privatizações para diversificar as fontes de financiamento externo da economia. E é o que estamos a fazer", frisa Passos. 

15h29- O primeiro-ministro afirma que o Governo não vai deixar de atacar as causas da crise, mas com "profundidade e com os olhos postos no futuro".

15h27- "Não existe um partido político que não se preocupe com os efeitos da crise", diz Passos.

15h26- Perante protestos de Jerónimo de Sousa, vindos da bancada comunista, o primeiro-ministro disponibiliza-se a dar o seu tempo na tribuna para o líder comunista falar. 

15h24- Pedro Passos Coelho afirma que os protestos do PCP não trazem novidade. "Corresponde à tentativa de instalar um projecto radical." 

15h22- Jerónimo de Sousa diz que a moção de censura pode não passar no Parlamento, mas continuará nas ruas.   

15h19- "Para alguns esta moção de censura é inoportuna porque o país não precisa de instabilidade. Mas que estabilidade tem quem está na pobreza?", diz Jerónimo de Sousa, numa antevisão das críticas que serão feitas à moção de censura.   

15h18- O líder do PCP diz que é necessário renegociar o acordo com a troika.

15h16- Jerónimo de Sousa diz que o ataque à saúde, à educação e aos serviços públicos são razões mais do que suficientes para censurar o Governo.

15h14- Jerónimo de Sousa acusa o Governo de querer "destruir em massa" os direitos dos trabalhadores, violando a Constituição. Este ataque é feito com a "conivência" do PS.

15h12- Jerónimo de Sousa justifica a moção de censura com o agravamento das condições de vida por causa da austeridade.

15h08- Começou a discussão e votação da moção de censura apresentada pelo PCP ao Governo.

15h- Está quase a começar o debate sobre a moção de censura apresentada pelo PCP. O ministro Paulo Portas acabou de chegar, foi o último.

Comentários 82 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Venham lá as doses de miseria pura
Primeiro era inevitavel a austeridade para corrigir os vicíos do povo que tinha gasto o que não devia , nomeadamente com o ír mais alem da troika que se reflectiu logo no disparar de falências de empresas e no disparar galopante do desemprego.

Agora como a miseria já é uma realidade fruto desse austeritarismo e do ír mais alem que a troika , há que haver uma involução mental dos portugueses e levá-los a aceitar a miseria como uma realidade.

Venha de lá essa miseria , mais miseria , até porque a austeridade já não surte o mesmo efeito , o que é necessário é miseria pura , doses de miseria pura em substituição de austeridade , que o povo português aceita tudo de bom grado como bom patriota para vencer esta crise , afinal o povo português esfomeado e esfarrapado , é cá que terá de viver , ao contrário de outros que ao encherem-se com as privatizações vão depois curtir o el-dorado colombiano caraíbenho arranjado já para o efeito pelo Paulo Portas.

Difícil é arranjar trabalho para os miseraveis dos tugas , agora um el-dorado para os apoiantes e integrantes deste governo sempre é mais facil de arranjar ,afinal há que garantir o futuro , quando o barco aqui for ao fundo e levar com ele todos os miseraveis tugas.

Re: Venham lá as doses de miseria pura Ver comentário
Re: Venham lá as doses de miseria pura Ver comentário
A vergonha foi Sócrates trazer a troika! Ver comentário
Re: A vergonha foi Sócrates trazer o Passos! Ver comentário
Re: A vergonha foi Sócrates trazer a troika! Ver comentário
Re: A vergonha foi Sócrates trazer a troika! Ver comentário
Re: A vergonha foi Sócrates trazer a troika! Ver comentário
Re: A vergonha foi Sócrates trazer a troika! Ver comentário
AS PINOQUICES DO SR. DOS PASSOS! Ver comentário
Re: AS PINOQUICES DO SR. DOS PASSOS! Ver comentário
Re: AS PINOQUICES DO SR. DOS PASSOS! Ver comentário
Sócrates recebeu em libras do Freeport Ver comentário
Re: Sócrates recebeu em libras do Freeport Ver comentário
Re: Sócrates recebeu em libras do Freeport Ver comentário
Re: AS PINOQUICES DO SR. DOS PASSOS! Ver comentário
O Basilio Horta recebeu do Grupo Lena! Ver comentário
Re: AS PINOQUICES DO SR. DOS PASSOS! Ver comentário
Re: AS PINOQUICES DO SR. DOS PASSOS! Ver comentário
a loja Mozart tinha lá gays Ver comentário
Re: a loja Mozart tinha lá gays Ver comentário
Re: a loja Mozart tinha lá gays Ver comentário
Re: a loja Mozart tinha lá gays Ver comentário
Re: AS PINOQUICES DO SR. DOS PASSOS! Ver comentário
Jerónimo está a jantar no Gambrinus! Ver comentário
Quem está a favor e quem está contra este projecto
ultra liberal anti-patriotic que levou o País à bancarrota. . Trata-se não só de uma iniciativa oportuna, mas que têm toda a razão de ser e que se justifica plenamente.

Oportuna, porque um ano decorrido do governo se impunha confrontá-lo, neste preciso momento, com as suas responsabilidades pela grave situação económica e social que está criada no país e decididamente afirmar que está na hora de travar esta política e este governo antes que seja tarde demais!
 
Oportuna porque dá expressão e sequência à luta dos trabalhadores e do povo. Uma Moção que é a expressão institucional da grande contestação que entre os trabalhadores e o povo tem havido a esta política, a este governo e ao Pacto de Agressão.

Oportuna porque confrontando o governo, tal como o fazem os milhares e milhares de portugueses, dá força a essa luta que é mais necessária que nunca.

Mas Moção de Censura que tem toda a razão de ser e que se justifica, porque, um ano depois, é muito claro que o projecto deste governo de Passos Coelho e Paulo Portas não é de desenvolvimento do país, mas exploração, empobrecimento e afundamento nacional e que a decisão que se impõe é agir com urgência para pôr um ponto final neste caminho de ruína e de desastre!
Re: ÉS UM HUMORISTAS Ver comentário
Parece o Arménio depois da sardinhada Ver comentário
Re: Parece o Arménio depois da sardinhada Ver comentário
Re: Parece o Arménio depois da sardinhada Ver comentário
Re: Quem está a favor e quem está contra este proj Ver comentário
o "resistente" não sabe o que era o kgb! Ver comentário
A Austeridade diz: Ver comentário
Sócrates:a troika e a bancarrota! Ver comentário
oportuna.... para o lacaio armenio decretar greve Ver comentário
Não tenha mêdo dos comunistas,Passos Coelho!
Eles não metem mêdo a ninguém.
Só é pena ainda não terem percebido que o País não se levanta com as greves dos transportes que andam a fazer na cintura de Lisboa e nas "marchas" de fim de semana até ao Terreiro do Paço!
http://youtu.be/bHV8E3MW250 Ver comentário
Os comunistas e as greves dos transportes! Ver comentário
Re: Não tenha mêdo dos comunistas,Passos Coelho! Ver comentário
Re: Não tenha mêdo dos comunistas,Passos Coelho! Ver comentário
Não esqueçam
Quem levou este país ao estado de miséria democrática e financeira, de onde se permitiu toda a corrupção e criminalidade a todos os níveis.
PS de sócrates deviam ser levados a tribunal e todos aqueles que contribuiram para isso.
ALGUEM SABE DO SOCRATES?
É bom NÃO esquecer QUEM conduziu PORTUGAL ao mais miserável dos DESCALABROS. Uma QUESTÃO q ALGUNS EVITAM A TODO O CUSTO FALAR É POR QUE RAZÃO SOCRATES NÃO ESTÁ EM PORTUGAL? Eu sei! Peçam ao fugitivo d Paris os 90,000 milhões d euros q aumentou na dívida pública entre 2005 e 2010.Peçam ao fugitivo d Paris, q decidiu nacionalizar o BPN, colocando-o às costas do contribuinte, aumentando o seu buraco em 4300milhões em 2 anos, e fornecendo ainda mais 4000 milhões em avales da CGD q irão provavelmente aumentar a conta final para perto d 8000 milhões, depois d ter garantido q não nos ia custar um euro. Peçam ao fugitivo d Paris os 695 milhões d derrapagens nas PPPs só em 2011. Peçam ao fugitivo d Paris, q graças às suas brilhantes PPPs fez aumentar o custo do Campus da Justiça d 52 para 235 milhões. Peçam ao fugitivo d Paris os 1300 milhões q um banco público emprestou a uns amigos do partido p comprarem acções d um banco privado rival, q agora valem pouco mais q zero. Quem paga? O contribuinte. É DINHEIRO Q AGORA FAZIA FALTA! Peçam ao fugitivo d Paris os 450 milhões injectados no BPP p pagar os salários dos administradores nomeados p “acautelar” os interesses do Estado. Peçam ao fugitivo d Paris os 587 milhões q gastou no OE de 2011 em atrasos e erros de projecto nas SCUTs Norte. Peçam ao fugitivo d Paris os 200 milhões d euros que ?desapareceram? entre a proposta e o contrato da Auto-estrada do Douro Interior. Peçam ao fugitivo d Paris os 5800 milhões em impostos q anulou
Re: ALGUEM SABE DO SOCRATES? Ver comentário
E aonde estão as medidas de Passos Coelho nas
parcerias publico-privadas e nas rendas excessivas? Só se vêm medidas nos cortes de quem vive honestamente do seu trabalho.....
Re: E aonde estão as medidas de Passos Coelho nas Ver comentário
Cumpram-se os objetivos
Cumpram-se os objetivos, mesmo acabando com os portugueses que tem apenas uma de duas opções, ou debandam ou morrem à mingua. Assisti durante momentos ao debate e fiquei horrorizado com a forma como os deputados da maioria dizem que sim a tudo, como aplaudem aquilo que se prova não ter sentido, como estão de acordo com as medidas que nos tem trazido mais desemprego e pior desempenho orçamental. Não falta na bancada dos alaranjados um tal de Menezes filho, é como no Brasil, que de espaço a espaço lá grita o salazarento MUITO BEM, é desolador.
Re: Cumpram-se os objetivos Ver comentário
Cumbadas e feridas de asa Ver comentário
Re: Cumbadas e feridas de asa Ver comentário
Passos-promete-todas-as-medidas-necessarias
Este governo está a perder a credibilidade a cada dia que passa. Ainda este fim de semana convivi com um militante do PSD e constatei que além de revoltado se sente envergonhado por pertencer a um partido que tal governo deu. Aliás já não se trata de uma questão partidária, mas antes de uma questão de honestidade. Este governo um ano depois não tem legitimidade de continuar, porque faltou à verdade e enganou o povo descaradamente. Não tem legitimidade porque usou de dolo e má fé e por isso o contrato deve ser dado sem efeito desde o seu início. Está a levar o País ao fundo e o povo à miséria. A agenda é a liquidação do País fazendo privatizações para entregar aos amigos empresas rentáveis.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/familias-falham-pagamentos-de-800.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/06/desemprego-em-2000-39-2012-149.html
Re: Passos-promete-todas-as-medidas-necessarias Ver comentário
SE PASSOS FALASSE VERDADE...DIRIA APENAS ASSIM...
- "Meus senhores ...

Isto é um assalto !!!
E vamos levar tudo o que conseguirmos !!! "

E eu diria ... ao menos está a falar verdade ... e perguntaria ... e entrego as coisas a quem ? Ao Portas ? Ao Relvas ? Ou ao Gaspar ?

E eles na próxima visita da Troika ... exibindo todos os artigos roubados ...

Então ? Dona Troika ? Estamos no caminho certo ... certo ? ...

Re: SE PASSOS FALASSE VERDADE...DIRIA APENAS ASSIM Ver comentário
Re: SE PASSOS FALASSE VERDADE...DIRIA APENAS ASSIM Ver comentário
Re: SE PASSOS FALASSE VERDADE...DIRIA APENAS ASSIM Ver comentário
Agências de comunicação
Infelizmente, aparecem por aqui, cada vez menos, vozes independentes, de cidadãos sem compromissos partidários e que opinem por sua cabeça.

Nota-se um bureau organizado, especialmente do PS, que , de forma concertada, nos tentam fazer esquecer que este embrulho foi arranjado por eles. O Passos nunca passou de um gestor da crise, que agarrou a granada já despoletada.

Aproveitou a boleia para tentar pôr em prática algumas ideias liberais, ficou a meio caminho porque os barões das câmaras o travaram e saiu um sistema híbrido, em que quem se lixou foi o mexilhão (funcionários e pensionistas).

A maioria das vozes que andam por aqui a clamar miséria, é só conversa fiada, quem ficou sem 20% fui eu e mais alguns parvos , escolhidos para pagar o pato. Salvo nichos de pobreza, bem identificados, a vida continua sem problemas para muitos. Rock em Rio 350 mil Madona 40 mil tagarelice no telemóvel 170 milhões mês , TV pagas 4 milhões, tudo na maior.

A moção do PCP, fogo de artifício final da ofensiva da primavera,com manifs semanais e greves dia sim dia sim,está a revelar-se um super flop. Até se esqueceram do futebol !!!

As intervenções da esquerda radical na AR foram uma miséria e deixaram brilhar o Passos, que acaba por sair por cima......
Entre a realidade e as mentiras...

tudo o vento levou...no pátio das cantigas!

resta-nos a 25ª hora...do dia de S. Nunca à tarde!

"Este Governo não cairá porque não é um edifício, sairá com benzina porque é uma nódoa".
Eça de Queirós em O Conde D'Abranhos
A arrogância dos que se julgam impunes
Este aleijadinho emocional não tem a dimensão humana necessária para porder avaliar o mal que está a provocar ao povo de Portugal. Como a vida já provou milhentas vezes cada um recebe o que produziu... Aproveite, em quanto pode para gozar com os mais desfavorecidos. Portugal um dia vai acordar. Olha aleijadinho, o outro depois de quarenta e tal anos, caiu da cadeira... A cada um A SUA "CADEIRA".
VIGARISTAS
Lixaram isto tudo com austeridade estúpida e esperavam o quê? Milagres?
coelho, gaspar, relvas e suas quadrilhas são Vigaristas, Chico-espertos Imcompetentes, Ladrões e roubam os Funcionários cortando ordenados e subsídios. Roubo é violência e deve ter resposta violenta. Há poucos dias mandaram a secretária amélia rosalina dizer que, logo que possível, os ordenados e subsídios serão repostos. Com tanta incompetência e estes buracos orçamentais nunca vai ser possível. Bandidos! Merecem um tiro nos cornos! Nos grupos económicos e financeiros, chulos deste país, não tocam à espera de um tacho no futuro…
Já perceberam porque estão a reter/confiscar/atrasar os reembolsos de IRS a que temos direito? Cortam ordenados, roubam subsídios e não devolvem o IRS pago em excesso. BANDIDOS! A PACIÊNCIA DO POVO TEM LIMITES! PARA O PRÓXIMO ANO PASSEM A FAZER AS DECLARAÇÕES DE IRS EM PAPEL E ENVIEM-NAS PELO CORREIO NO ÚLTIMO DIA DO PRAZO, PARA ENTUPIR E AXFIXIAR OS SERVIÇOS DE FINANÇAS!! E agora vem a catherine portas dizer que vão baixar impostos…DEMAGOGIA DE PORCOS! ABAIXO OS BANDIDOS E VIGARISTAS!! POVO ACORDA E LEVANTA-TE!!
Num país de burros
serao tomadas mais medidas para esfolar o povo serao, porque o povo é burro elevado a 12. Se o povo tivesse um pequenino nível de inteligencia já tinham limpado o cebo a todos os que passaram pela assembleia da républica desde o 25 de Abril de 1974. A patronaije e os accionistajes se fossem seres humanos dirigiam-se ao desgoverno e diziam-lhe:" Acabamos já com a austeridade e nós pagamos a dívida soberana portuguesa". Se o fizessem nao fariam nenhuma favor pois eles é que sao detentores do guito que saiu dos cofres do estado. Estes tipos quer mintam quer nao mintam com este método nao vao resolver nada. Para haver crescimento económico é necessário a malta ter trabalho e bem pago. Para isso é necessário investimento. Com estas medidas optadas por gatunos só posso dizer tchau bella.
Duvidas
Duvidas existem muitas, contudo ninguem duvida que o país chegou a bater no fundo. Esta situação é da responsabilidade de todos nós, onde teremos que incluir os sucessivos governos que todos em conjunto sempre fizeram uma vida que não podiam fazer.
Os exagerados gastos de todos nós, das familias do estado, etc, só poderiam dar o resultado que deram.
Sobre as medidas de austeridade, julgo que nunca deveriam ser tão austeras e deveriam incluir todos de um modo gradual e distribuidas consoante as capacidades de cada um.
Em relação aos politicos desonestos, corruptos e incompetentes deveria cair o maior peso da austeridade, mas infelizmente estes não a sofrem pois souberam governar-se á nossa conta.
Re: Duvidas Ver comentário
Re: Duvidas Ver comentário
Re: Duvidas Ver comentário
Re: Duvidas Ver comentário
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub