83
Anterior
Quatro detidos e um jornalista ferido
Seguinte
João Jardim não foi à 'manif' por "decoro institucional"
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Mais austeridade  >   CDS-PP rejeita crise política
COM VÍDEO

CDS-PP rejeita crise política

"Não bloqueei a decisão da Taxa Social Única porque conduziria ao caos, disse Paulo Portas em conferência de imprensa, salientando que o Governo deve ter uma "posição de abertura" para avaliar a situação com os parceiros sociais e instituições do país. 
|
Paulo Portas esclareceu as "tensões" no Governo
Paulo Portas esclareceu as "tensões" no Governo / Estela Silva/Lusa

Paulo Portas quebrou hoje o silêncio sobre a subida da Taxa Social Única (TSU). Em conferência de imprensa, o líder do CDS-PP e ministro dos Negócios Estrangeiros recusou a ideia de abrir uma "crise política", garantindo que o partido lhe transmitiu uma posição de "compromisso para quatro anos, para cumprir, porque Portugal precisa de um Governo estável".

"Soube, tive uma opinião diferente, alertei, defendi outros caminhos, mas não bloqueei a decisão [do aumento da TSU], porque conduziria a uma crise nas negociações externas, no governo e a um caos que iria desperdiçar o esforço já feito pelos portugueses", explicou.

Portas apontou a "atitude construtiva" e a "importância de preservar o diálogo social e cuidar do consenso político" como ideias síntese do seu partido, que ontem reuniu a comissão política e o conselho nacional para discutir as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo.

Desta forma, sai em defesa do caminho de que o Governo deve ter uma "posição de abertura para avaliar a situação com os parceiros sociais e instituições do país".    

"Não haverá dois governos"


Paulo Portas garantiu "não haverá dois governos", pois o Governo é um só, e os partidos que o apoiam é que são dois. O CDS está "firme" na coligação e não a entende como uma fusão.

O partido "está lembrado que tem o dever" para com os que mais sofrem, idosos e jovens que não encontram emprego ou os desempregados que "desesperam" por uma oportunidade, salientou.

Para Portas é normal existirem diferenças no seio de uma coligação, exemplificando com os casos da Alemanha e Reino Unido, em que o dia-a-dia passa por procurar compromissos numa "atitude essencial, "do equilíbrio", sem descurar de que "uns tiveram mais votos e outros menos votos".

Entre as prioridades do CDS-PP, Portas enumera por ordem decrescente de importância, o "interesse de Portugal", "as ideias em que acreditamos", "partido e legítimo interesse" e a "circunstância pessoal de cada político", sendo que a última "não precede nenhuma das outras".

Portugal sem condições de "independência"


"Portugal, não tem condições, por enquanto, para viver independente dos seus credores", garante Portas. E seria um "erro" pensar que um programa com mais dinheiro era a solução para o problema, pois traria "mais condicionalidade". "Não há almoços grátis, nem empréstimos grátis", ilustrou, traduzindo a ideia de que um novo programa "é sempre mais duro".

O líder do CDS-PP assegura que "se Portugal não tivesse tido uma avaliação positiva da troika e um governo estável estaria hoje bem mais perto da situação da Grécia". Por isso, "caminhar para um novo resgate significaria perder mais poder de compra e quem já é pobre ficaria mais pobre".

O próximo Orçamento de Estado é "um trabalho em curso", referiu Portas, salientando que já foi conseguida uma redução significativa do lado da despesa" e "há um esforço redobrado" para fazer até à aprovação final do documento. A "ética" do esforço tem de ser levado até ao fim com as parcerias público-privadas e empresas públicas e soluções justas nas parcelas da despesa.

O dirigente democrata-cristão terminou com a garantia de que "não dirá absolutamente nada que prejudique a margem de manobra do Governo": "Faremos tudo o que pudermos para o país não se dividir perigosamente. Farei tudo para que o sentido de responsabilidade permaneça".



Veja o vídeo:

Opinião


Multimédia

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 83 Comentar
ordenar por:
mais votados
Devem estar a gozar
Rejeita o quê?
Mas a crise política já se instalou há muito.
Este pateta deste Portas tem a mania que é mais estadista que o próprio estado.
Mas o que é isso de ser estadista.
É mesmo á facho.
Nós todos somos estadistas, porque lutamos por um estado digno e decente.
Por um estado social.
Por um estado justo e solidário. Onde todos tenham dignidade, direitos e deveres.
E não andamos de bandeirinha ao peito.
E porque luta o Portas?
Por um tacho.
Mais nada.
O que é o CDS?
Um partido de patetas ricos, armados em caridososinhos.
A darem o pratinho de sopinha aos pobrezinhos.
Uns idiotas, que renasceram a seguir ao 25 de Abril, com aquele saudosismo do passado.
Quiseram reviver o passado em Portugal, mas ninguém lhes dá trela.
Paulo Portas colocou a bandeirinha na lapela do fatinho Armani, e pensa naquela cabeçinha apertada, que a bandeirinha lhe dá patriotismo.
Poupe-nos.
Vá viajar mais um bocado a espairecer essas ideias fascizoides.
São os submarinos....
Re: Devem estar a gozar
Re: Devem estar a gozar
Re: Devem estar a gozar
Re: Devem estar a gozar
Re: Devem estar a gozar
Re: Devem estar a gozar
Re: Devem estar a gozar
Re: Devem estar a gozar
Mais uma vez a Banca fica de fora
Uma vez mais, Paulo Portas deixa de fora a Banca dos esforço que devem ser pedidos a todos. Pois é, sr. ministro, um contrato é um contrato e depois de assinado deve ser honrado. Como é que o seu governo permite, então, que os bancos mudem as regras dos contratos de crédito à habitação, quando o devedor não tem dinheiro parea llhe pagar? Então o empréstimo não foi inicialmente concedido APÓS UMA CRITERIOSA ANÁLISE FINANCEIRA? Como é que este governo permite que, em SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA NACIONAL, a banca continue a ter acesso a dinheiro à taxa do BCE de 0,75% e o esteja a utilizar em seu benefício próprio a taxas acima dos 3,5%? Não deveria a banca ser "FORTEMENTE ACONSELHADA" a colocar essas verbas ao serviço da economia, mediante empréstimos, como referiu Passos Coelho, a juros mais baixos; Se a TSU não ajuda a banca a criar emprego e se não é essa a solução, então a banca que baixe o custo dos seus empréstimos, ajudando a "populaça" a ter dinheiro para pôr a circular (talvez comprando mais comida ao Engº Belmiro de Azevedo).
São os submarinos do "estadista"
Re: Mais uma vez a Banca fica de fora
Paulo Portas outro Quisling português. Juntou-se a
PassosO ultra liberalismo é a face da traição à pátria.. Quando os alemaes invadiram a Noruega, não lhes foi difícil descobrir um homem que se prestou formar um governo fantoche, faltando ao respeito que devia ao seu pais e a solidariedade que devia aos seus compatriotas. Os dicionários de todas as línguas registam hoje o seu nome, na qualidade de substantivo comum, como sinónimo de colaborador, que ninguém terá duvidas em traduzir para traidor. Em todos os tempos e em todos os países houve sempre quem se prestasse a assumir funções e a tomar atitudes lesivas do interesse nacional e da sua própria dignidade. O nosso pais ao e excepção. Veja se o que se passa actualmente na vida política portuguesa. Lá diz o poeta que traidores houve algumas vezes. O quisling português chamou se Miguel vasconcelos. Mas não são os países que registam exemplos deploráveis de felonia e de traição. A pessoa humana esta súbdita a fraquezas e a recalcamentos que a levam muitas vezes a tomar atitudes dúplices e nem sempre compatíveis com a lealdade que deve aos seus pares e ao seu próprio pais como acontece actualmente na vida política portuguesa. Quem se pode gabar de não ter sido atraiçoado no âmbito das suas actividades por um quisling movido pelo interesse, pelo ódio, pela partidarite ou simplesmente por uma lamentável falta de carácter? Vivemos tempos obcuros. Torna se urgente um levantamento popular para repor a dignidade deste País e dos seus cidadãos, já que o povo caiu nas mãos desta gente..
Re: Paulo Portas outro Quisling português. Juntou-
Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao PCP
Paulo Portas mandou um balde de água fria a muito que já estavam a sonhar com eleições intercalares.

Foi um discurso inteligente, muito bem planeado.

Eu não confio cegamente em Paulo Portas, mas acredito na sua inteligência e sentido prático.

Com eleições intercalares, Portugal teria muito a perder;

Portugal esbanjaria meses e meses de sacrifício;

Teríamos a situação económica e financeira agravada;

Teríamos uma diminuição de confiança do estrangeiro;

E o CDS também podia perder o poder...
São os submarinos pá......
Re: São os submarinos pá......
Re: São os submarinos pá......
Re: São os submarinos pá......
Re: São os submarinos pá......
Eu gostava é que o meu caro desmenisse todos os
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
RO Cangalheiro tem 31 automoveis ao seu dispor...
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
Re: Paulo Portas, atirou um balde de água fria ao
O povo tem que tomar nas suas mãos os destinos
do País, porque com esta gente nada muda devido a: Submarinos, freeport, BNP, Coelha, BIC, etc.,etc.,porque nem toda a gente é ignorante. Pois é Paulo Portas cantas bem mas não me enganas...
Equívocos
O discurso e a posição de Portas não trazem novidade. Qualquer leitor atento já tinha previsto este tipo de atitude.

Há sempre a esperança de capitalizar a ignorância alheia.

Sobre o história de nós ou o caos, é utilizada em desespero, não corresponde à verdade, e o caos já aí está.Quando um governo se propõe roubar 7% a trabalhadores de 485 para dar a patrões de 2 mil milhões, de que caos estamos falando ??

A tarefa é correr com esta gente, guarda-avançada do mais rançoso liberalismo e arranjar um governo moderado e civilizado que não faça dos trabalhadores o seu inimigo.

E para tal não são necessárias eleições, tão só convencer o PSD a indicar outra personalidade para PM. Tarefa para o presidente. O apoio interno a Passos deve estar pelas ruas da amargura e será o PSD o indicado para o lançar borda fora.
A manutenção deste indivíduo é um perigo público, pode desembocar em atritos, tumultos e até ideias pouco democráticas, na cabeça de alguns.

Afastá-lo é uma medida de higiene publica.......
CDS-PP rejeita crise política
Por patriotismo dizem eles!
Patriotismo, é:
- Não roubar salários a quem os ganhou a trabalhar;
- Não roubar pensões a quem trabalhou toda a vida, e descontou para ter uma pensão;
- Tomar medidas para garantir o emprego!;
- Cortar na despeza ( PPP, Fundações, empresas municipais e mordomias dos politicos);
- Acabar com a boysada;
- É taxar quem mais tem, assim como o capital.

ESTE GOVERNO NA ´RÁTICA DEMONSTROU NÃO SER PATRÍÓTICO, PELO QUE DEVE SAIR QUANTO ANTES! HÁ ALTERNATIVAS! A SEGUIR NÃO VEM O DILÚVIO!
VIVA PORTUGAL!
1000% de acordo
Re: 1000% de acordo
Re: CDS-PP rejeita crise política
Re: CDS-PP rejeita crise política
Re: CDS-PP rejeita crise política
Pelo que vejo, Paulo Portas só garantiu que não criará uma crise política. Está simplesmente gerindo o "seu tempo" que, na etapa actual, se consumará com o "seu êxito" em relação ao OE 2012.
Portas chama a atenção quando afirma que "o partido lhe transmitiu uma posição de compromisso para quatro anos, para cumprir, porque Portugal precisa de um Governo estável". Isto traduz bem a luta principal (entre o lider e o próprio partido) antes da luta entre o político e a sociedade.
Política é a arte do possível que em tempos de profunda crise se torna quase impossível. Que o digam os gregos e que os portugueses digam se preferem seguir a Grécia ou a Irlanda.
Dispenso os caros concomentadores de responderem com exemplos que impliquem a saído de euro. Não preciso que me expliquem a felicidade de ter o vencimento aumentado em 10% num contexto de inflação de 30%. Já vivi isso e não quero repetir.
Re: CDS-PP rejeita crise política
A verdade da mentira.
Vamos esperar para ver, Paulo Portas irá entrar nas feiras com o mesmo chapeu??? E o que vai dizer aos feirantes??? Pensará ele que são todos mentecaptos???
Desejo que a espera não seja longa...
A mentira pode dar os seus frutos!!! Mas não é eterna...
Re: A verdade da mentira.
Re: A verdade da mentira.
O que vemos ? O que vemos?


O que vemos? O que vemos?

Já vimos e só lembrar as palavras do Rafael Bordalo Pinheiro ditas ainda no século XIX... Palavras sábias longevas:

"Cá pelo país está tudo diferente e tudo na mesma. As lutas pelo poder continuam. Os partidos sucedem-se...

A política é como uma “grande porca”...

É na política que todos mamam. E como não chega para todos, parecem bacorinhos que se empurram para ver o que consegue apanhar uma teta."
cds-pp-rejeita-crise-politica
Não bloqueou TSU para evitar crise no governo, mas pode muito bem não conseguir evitar a crise no povo. Pode estar a segurar-se ao governo como a lapa à rocha, mas sempre ouvi dizer que quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão. Este governo tem andado a brincar com o fogo, mas vai queimar-se pela certa. Diz o povo que tantas vezes o cântaro vai à fonte até que um dia lá fica.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/08/paulo-portas-e-os-submarinos_15.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/08/paulo-portas-socrates-submarinos-tgv.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/04/portas-acusa-socrates-nao-agir.html
cds-pp-rejeita-crise-politica
Não bloqueou TSU para evitar crise no governo, mas pode muito bem não conseguir evitar a crise no povo. Pode estar a segurar-se ao governo como a lapa à rocha, mas sempre ouvi dizer que quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão. Este governo tem andado a brincar com o fogo, mas vai queimar-se pela certa. Diz o povo que tantas vezes o cântaro vai à fonte até que um dia lá fica.

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/08/paulo-portas-e-os-submarinos_15.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/08/paulo-portas-socrates-submarinos-tgv.html

viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/04/portas-acusa-socrates-nao-agir.html
CDS de Portas
É um partido que está destinado a andar no fundo do lago derivado às suas origens e casos obscuros.
Portas não passa de um macaco sem galhos para andar e portanto o que pode arranjar é uma bengala retorcida.
Mas que rico governante que o país arranjou!!!!
Não concorda com a medida, tem a consciência de que é desastrosa, mas assina de cruz por baixo.
Amanhã PPC decide cortar 50% dos vencimentos da FP e acabar definitivamente com pensões de reforma, e o Portas - que Deus nos livre de uma crise política!!! - volta a assinar. É "inevitável" para que o país não caia no caos! Esta história da inevitabilidade já começa a enjoar...
É o "estadista" dos submarinos...........
São os submarinos do "estadista" da treta.....
Afinal Portas estava cá!
Temos de reconhecer que Portas é um animal politico e procura sobreviver a tudo e anda por todo o lado. Quando a situação não lhe interessa anda pelo estrangeiro "a fazer politica externa de economia", quando é altura eleitoral, vai às feiras e aos lares de idosos, quando a Troika lhe põe o papel à frente, assina e não discute, quando o povo contesta a TSU, diz que está contra. Enfim tem de sobreviver e garantir os interesses dos amigos Cristas,Pires de Lima, Oliveira e de muitos outros. Agora porque é que não esteve ao lado do povo nas ruas, porque não protestou contra a privatização da TV, porque não protesta contra o aumento dos combustiveis, como no tempo do Socrates etc... é um espertufo à boa maneira do "chico esperto" lá vai enganando o povão, é tempo de desmascararmos este vendilhão do templo, porque de aldrabões deste tipo Portugal está farto.
Comentários 83 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub