30
Anterior
Atentado suicida no Afeganistão
Seguinte
França: Eurobonds na UE só dentro de "vários anos"
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Calçada portuguesa descurada no Porto
com fotogaleria

Calçada portuguesa descurada no Porto

Empresas de serviços desrespeitam desenhos da calçada portuguesa no Porto, ao recolocarem à toa tampas de acesso ao subsolo. Veja as fotografias.
|

No troço principal da Rua Santa Catarina, no Porto, diversas tampas de serviços que intervêm no subsolo foram recolocadas sem salvaguardar minimamente a esquadria dos desenhos da bela calçada portuguesa.

A flagrante falta de profissionalismo na reposição das tampas indignou o portuense Vítor Viegas, que não hesitou em enviar ao Expresso as fotografias que revelam a incúria dos técnicos de serviços, como os TLP, Águas do Porto ou Gás, na maior zona comercial a céu aberto da Invicta.

"Os ditos serviços colocam as tampas sem qualquer respeito pelo desenho da calçada portuguesa. Impõem-se a pergunta: o que custava olhar para a tampa e colocá-la na posição correta?", questiona Vítor Viegas.

"Que dirão os turistas mais atentos? É nestes pequenos pormenores que se vê o desleixo com que tratamos o nosso patromónio", refere o portuense, apelando aos responsáveis por estes serviços que sensibilizem os seus funcionários.

Direção Municipal rejeita responsabilidade


A Direção Municipal da Via Pública garante que não emitiu recentemente para o local "nenhuma autorização", tratando-se de intervenções "com acesso através dessas tampas "não participadas ao município.

Após deslocação ao local, a Direção Municipal constatou serem tampas "de mais do que uma entidade, as quais vão ser intimadas a corrigirem de imediato a respetiva posição".  



Opinião


Multimédia

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 30 Comentar
ordenar por:
mais votados
Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Haviam de tentar descer a Avenida da Liberdade em Lisboa, muitas ruas no Porto e em Coimbra e pelo país inteiro!

Só consegue andar em cima dessa porcaria quem estiver de ténis de sola grossa!

Um idoso, um diabético de pés sensíveis, uma mulher grávida, até o cidadão comum, todos são potenciais vítimas dessa herança da idade média!

Qual é a lógica de insistir numa armadilha escorregadia quando chove e dolorosa para quem a pisa diariamente? E já nem falo nos infelizes com dificuldades motoras ou nos invisuais...

Metam essa treta numa rua para turista ver e tratem mas é da mobilidade dos cidadãos!

Somos o único país da Europa com as cidades revestidas a calhaus que cortam os pés...porque é giro!

Re: Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Re: Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Re: Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Re: Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Re: Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Re: Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Re: Queixam-se só por isto? Pfff!!!
Só pode ser propositado
Pessoalmente penso que só pode ser propositado, pois até um chimpanzé perceberia a lógica de recolocar as tampas com respeito pelos desenhos.

Isto deve de ser uma espécie de "privatre joke" entre quem faz estes serviços.

Mas que demonstra um muito mau profissionalismo e dá uma péssima imagem a quem nos visita, disso não há dúvida.

É o país da bandalheira, da irresponsabilidade e pior que tudo da falta de responsabilização, de chefes ou lideres que só lá estão para receber o deles ao fim do mês, e que começa no ignorar do mau serviço de quem coloca as tampas dos pavimentos e acaba no ilibar dos políticos do centrão dos desvios de milhares de milhões de euros.
Rui Rio e a Fiscalização da Câmara
Re: Só pode ser propositado
Jornalista Murcona?
Acho que esta Isabel Paulo nunca deve ter passado a sul do Rio Douro.

Então só o Porto é que descura a calçada à Portuguesa?

Apesar de no Porto a calçada ser conhecida por Calçada Lisboeta, motivo porque ela foi retirada da Avenida dos Aliados, e substituída pelo cinzento monótono do granito "à lá Souto de Moura", isso não quer dizer que em Lisboa ela seja respeitada. Aliás, é difícil encontrar um desenho alinhado em Lisboa, sempre que encontramos uma tampa no passeio.
Á toa?
Não é à toa. É de propósito e acontece por todo o país. Como que uma tradição entre funcionários.
Re: Calçada portuguesa descurada no Porto
nunca mais acabam com a maldita calçada portuguesa... só gera pó, quem quer levar os miúdos a rua de carrinho arriscasse a que saltem todas as rodas do carrinho, as senhoras e os saltos altos o dinheirão que se gasta em manutenção...é só vantagens ;)
Há casos bem piores...
Na cidade de Penafiel retiraram toda, quando digo toda é de facto toda a calçada portuguesa que existia na cidade, substituindo por pedra, que confesso que não sei o tipo. Essa pedra até é agradável à vista quando colocada, mas ao fim de algumas semanas, de passagens, pastilhas elásticas e carros, ficam completamente pretas...

Não percebo o sentido de descaracterizar uma cidade, anular património Português espalhado por todo o mundo..

Apenas sei que envolve muito dinheiro, e estão em fim de mandato..
Enfim.

Pelo menos tem a certeza que ninguém coloca as tampas de forma errada e assim não são noticia...
Re: Há casos bem piores...
Re: Há casos bem piores...
Trabalho mal feito
É simples! Não lhes paguem enquanto não corrigirem a situação!
Re: Calçada portuguesa descurada no Porto
Só pode ser propositado.
A calçada portuense
exiladonomundo.blogspot.it/2010/03/calcada-portuguesa.html
Não é incúria, é mesmo Burrice!
É uma burrice muito fácil de resolver! A incúria é mesmo o estado lastimoso de toda a rua Sta. Catarina, que sendo uma das principais ruas comerciais da baixa, mais parece um "canelho" sujo e malcheiroso! Envergonha-me muito mais ver aqueles contentores verdes de tampa aberta a exalar um cheiro nauseabundo junto à esplanada o Majestic, do que a posição das tampas de acesso ao subsolo! O cheiro a urina e o lixo estão por todo o lado, que mais parece estarmos numa rua de uma capital africana!
Isto sim é incúria!
É bonita mas perde piada depois de cairmos N vezes
Afinal não sou só eu que desprezo esta aberração de calçada.
Para além de perigosa e escorregadia quer quando está seca quer quando molhada, acumula imensa sujidade entre as pedras, deforma-se muito facilmente com agua e raizes de arvores.

Com o tempo as pedras saltam muito facilmente e vai ficando esburacado, e quanto mais polidas vão ficando as pedras mais vão reflectindo a luz do sol.

É maravilhoso andar na rua de manhã, olhamos para cima e ficamos encadeados pelo sol a nascer, olhamos para baixo para não levar com o sol e levamos com o reflexo nestas pedras polidas.

Quando tenho que andar um pouco mais rapido ou dar uma corrida prefiro ir pela berma da estrada, sempre tenho menos hipóteses de cair/escorregar.

Mesmo que o povo português tivesse um mínimo de civismo para não mandar todo o tipo de lixo/escarretas/cigarros/fezes/papeis/pastilhas/etc e mesmo que as nossas Câmaras Municipais fossem minimamente responsáveis e fizessem alguma manutenção periódica as calçadas, continuaria a ser perigoso e uma péssima ideia.

Já agora, mais alguém teve a bela experiência de passar uns tempos no estrangeiro e depois voltar para Portugal e ter a sensação que o chão está sempre torto e irregular e ter que re-adaptar para andar sempre de cabeça baixa em alerta para buracos/pedras soltas/tampas de esgoto/fezes?
Re: É bonita mas perde piada depois de cairmos N v
Re: É bonita mas perde piada depois de cairmos N v
Re: É bonita mas perde piada depois de cairmos N v
Bom Senso
Bom Dia a todos.
Julgo que vale a pena pensar um pouco antes de criticar alguma coisa. Provavelmente existe alguma razão lógica para os factos relatados e à primeira vista parece-me que uma delas será a mais rápida e fácil identificação das caixas aquando da necessidades de as utilizar. Muitos dirão que existirão outras formas de o fazer e terão a sua razão, mas este será mais um exemplo entre as diferenças de abordagem entre técnicos e meros curiosos ou entre engenheiros e arquitectos. São diferenças menores e de salutar e julgo que não valerá a pena criar uma guerra por isto.
Continuação de um bom dia.
funcionarios publicos!!!
Isso só confirma a realidade: Só vai para funcionário publico os coxos da cabeça e os retardados mentais. Se fossem bons estavam nos privados, mas como os privados fazem testes e selecionam os melhores!!!! Agoram façam comentários a isto para ver quem é funcionario publico por aqui (provavelmente retardado!!!)
Tanta parvoíce
Ler estas porcarias até doi.

Misturar a incúria e falta de civismo das pessoas com a calçada portuguesa só lembra mesmos aos eternos complexados do Porto... já nascem assim. É de Lisboa, logo não presta.

Comecem por apanhar as fezes dos cães, não cuspir e deitar papeis para o chão, manter os contentores fechados e todo o aspecto melhorará. Mas isso depende dos cidadãos.
 
Quanto à também eterna história de que lá fora é melhor... é só o costume de falar mal daquilo que é nosso. Já percorri quase todas as capitais da Europa e não só (poucas faltam) e não vi todas essas maravilhas que alguns, que se pretendem muito conhecedores e viajados, vêem. Lá fora em muitos, muitos casos, é igual ou pior. O povo é que é diferente!

Tratem mas é de ajudar a valorizar o património português e façam como lá fora, isso sim, chamem a atenção de quem tem um comportamento incorrecto como, por exemplo, deitar a ponta do cigarro para o chão.

Antigamente ainda poderiam ter a desculpa de que não existiam contentores, mas essa já não desculpa ninguém. Só têm de dar mais dez passos e assim ajudar a manter as cidades limpas. Contar só com os serviços das Câmaras é contar com uma solução impossível. Passa o cantoneiro e limpa e imediatamente atrás vem um cavalheiro que deita para o chão os papaeis que vinha a ler.

Não é o património que é mau, maus são os cidadãos que não o preservam.

É natural que alguém caia... na calçada portuguesa ou em qualquer outra.
Bela desculpa,
para mais umas lavagens de dinheiro. "Ah vamos contactar as entidades competetes, ponham lá aí no balanço 3 milhões de euros em mails/cartas/faxes e telegramas cantados" Mas é preciso contactar alguém? Não podem dar ordens aos varredores de rua/jardineiros/polícias para que coloquem as tampas direitas? Oh perdão, isso não faz parte das suas competências.
Comentários 30 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub