24 de abril de 2014 às 17:08
Página Inicial  ⁄  Blogues  ⁄  Do outro mundo  ⁄  'Caixas de bebés', onde se abandonam recém-nascidos, estão a crescer na Europa

'Caixas de bebés', onde se abandonam recém-nascidos, estão a crescer na Europa

Luis M. Faria
Um banco de bébés Um banco de bébés

Já havia os bancos de hospital, os bancos de tempo, os bancos propriamente ditos. Agora há os bancos de bebés, também alcunhados caixas. Uma espécie de incubadoras externas onde se depositam recém-nascidos para outras pessoas ficarem com eles.

Ao contrário dos outros bancos, aqui o depositante não se identifica; o seu objetivo é precisamente ficar anónima (quase sempre é uma ela).

Os bancos ficam geralmente num hospital, uma igreja ou outra instituição pública. A mãe deposita-os do lado de fora, soa um alarme, e alguém lá dentro vai logo recolhê-lo.   

Quando se tem um bebé mas faltam condições - financeiras, familiares, emocionais ou outras - para o criar e educar, este tipo de solução pode ser uma resposta.

Comité das Nações Unidas discorda


É a resposta que nos EUA e um pouco por toda a Europa, sobretudo a Leste, estão a dar grupos de natureza ainda não muito definida, mas que se julga terem ligações à Igreja, pelo menos nalguns casos.

Só na Alemanha já existem oitenta desses bancos. Na Bélgica, Hungria, Lituânia, Polónia (e até em Portugal, segundo Kevin Browne, da universidade de Nottingham) há mais uns quantos. Ao todo são já umas centenas. A crise tem-nos feito multiplicarem-se. Aliás, também do outro lado do Atlântico, nos EUA.

Parece prático. Mas há quem não concorde. E um dos desmancha-prazeres é um organismo das Nações Unidas: o comité para a proteção dos direitos da criança.

Lembra esse comité, brandindo a convenção internacional homónima, que as crianças têm direito à identidade. O que implica saber quem são o pai e a mãe.

"Com boa vontade, tudo se resolve" 


A lei varia conforme os países. Nalguns o abandono à nascença à crime, outros só se causar perigo à saúde da criança. 

Para os defensores dos bancos, o importante é que os bebés nasçam e fiquem em segurança. O resto vem depois. É bom conhecer os pais, mas poder nascer e viver uma vida inteira é mais importante. Os bancos de bebés são uma forma de lutar contra o aborto.

Conforme disse um eurodeputado da direita cristã ao Guardian, "o essencial é proteger a vida das crianças em situações extremas. Todos os outros problemas podem ser resolvidos com boa vontade, desde que a criança esteja viva".

"Não é um comité das Nações Unidas que vai decidir o que fazemos para ajudar os nascituros e os que já nasceram", acrescenta o eurodeputado.

Comentários 15 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Já tinha sido inventado.
É a roda dos expostos ou enjeitados que tinha sido legalizada por Pina Manique no Sec XVIII.
Sabedoria ancestral...
Re: Já tinha sido inventado. Ver comentário
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades
Os Ateus vociferam contra a Igreja, dando o exemplo da Roda dos Enjeitados, como uma atitude indigna.

Agora devem aplaudir de pé esta versão moderna e ateia da mesmíssima coisa!
Re: Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades Ver comentário
PENSEM
O DESCALABRO MORAL DA SOCIEDADE. QUEM REJEITA OS SEUS E NEM O APELIDO LHE DÁ NADA HÁ MAIS A ESPERAR SENÃO A PERDA DO RUMO E A NEGAÇÃO DO SER HUMANO E POR CONSEGUINTE DA HUMANIDADE. QUANDO MUITOS ANIMAIS SÃO MAIS BEM TRATADOS DO QUE O SERES HUMANOS, ESTÁ TUDO DITO. ISTO ACONTECE EM PAISES DESENVOLVIDOS E PESSOAS COM FORMAÇÃO. QUE SE DIRIA SE FOSSE NO 3º MUNDO. ISTO NÃO ACONTECE EM SOCIEDADES MUITO ATRASADAS.POIS OS FILHOS SÃO TUDO PARA ELES MESMO NO MAIS AFLITIVO MUNDO ACTUAL.
Re: PENSEM Ver comentário
Temo que seja apenas o começo
Apesar de não ser "expert" em Pedagogia, Psicologia ou outras especialidades académicas, sou mulher e revolta-me o sofrimento de inocentes. Estes bebés não pediram p ser feitos: numa sociedade caótica, hipersexualizada, onde o lucro e o gozo é que contam (já o tinha alertado Eça de Queirós), na voragem das ambições imediatistas, a humanidade está cada vez menos humana. Daqui a bocado, até uma cadela da rua tem mais instinto maternal p com as suas crias do q uma mulher p com um bebé q não pediu para nascer. Tenho pena q não haja uma reeducação p a sexualidade, que ande tudo obcecado c a ideia de copular a toda a hora e a todo o instante de forma irresponsável. O aumento de casos de DST, SIDA incluída, estão aí para o provar. No que toca às mulheres q queriam ser mães mas foram depauperadas de todo e qualquer meio p sustentarem as crianças está na altura da chamada direita cristã deixar de ser hipócrita e anti-cristã. Deve sair mais barato p as elites do costume uma mulher deixar o bebé numa roda ou numa caixa com o coração a sangrar e com a alma negra. Assim a adopção por famílias ricas é facilitada e ficam sempre com o "chique" de terem adoptado uma bebé abandonada, coitadinha. Longe vai o tempo, infelizmente, de boas mulheres (e alguns homens) de posses que, através de se tornarem madrinhas pelo baptistmo dessas crianças, as mantinham nas famílias e as ajudavam até à idade adulta. Esse sim era um gesto de solidariedade cristã.
(continuação)
estes pulhíticos hipócritas e os cínicos que pululam nas altas e baixas esferas da ICAR deviam era ir p o inferno. sabem pregar encíclicas a favor da justiça social, sabem fazer discursos bonitinhos sobre a caridade e a solidariedade, constroem teorias demagógicas e manipuladoras, e na prática alimentam um monstruoso círculo vicioso de perversidade "pobres-dependentes-dos-ricos-que-precisam-que-haja-pobres-para-eles-serem-ricos". e quando lhes descobrem a careca, levantam o fantasma das esquerdas e do comunismo, que supostamente comiam criancinhas ao pequeno-almoço (tem graça que a maioria dos pedófilos são de direita...) então só aqui em Portugal haveria muito "frade franciscano" ou "bispo" a ter de imitar verdadeiramente a Cristo, tivesse o senhor cardeal patriarca a coragem de os obrigar a entregarem todos os bens a favor de quem precisa...
esta sociedade tem de parar para pensar, e com urgência.
RACIONALIDADE
PARA O COMENTARIO YVONNES SYLVIA ´SO LHES LEMBRO COMO EXEMPLO O BANCO ALIMENTAR E ESTÁ TUDO DITO, AGORA QUEM NÃO QUERE TER FILHOS DEVE TER CUIDADO E TOMAR AS PRECAUÇÕES, PARA EVITA-LOS.PORQUE SE O SER HUMANO E UM IRRACIONAL SÓ PENSA NO PRAZER E QUEM VIER ATRAS QUE FECHE A PORTA,. ESSE SER É MENOS DO QUE IMA BESTA, POIS ESTA NUNCA ABANDONA OS FILHOS A NÃO SER A HIENA. OUTROS ARGUMENTOS É FALACIA.
Re: RACIONALIDADE Ver comentário
Re: RACIONALIDADE Ver comentário
Não se esqueça deste pormenor: Ver comentário
Re: Não se esqueça deste pormenor: Ver comentário
Ironias há muitas... Ver comentário
Roda funcional
Para os mais cultos, podem visitar o convento do Louriçal, perto de Pombal, também chamado Mosteiro do Santíssimo Sacramento das irmãs clarissas.

Pela porta principal, do lado direito, poderão ver uma roda em tamanho real, funcional, e pergunto-me eu, nos dias que correm, se de vez em quando não gira...

www.clarissaslourical.com/entrada.html
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub