Anterior
Comboios da CP já circulam
Seguinte
Livros de Salazar em leilão
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  Cada vez mais adultos procuram catequese (vídeo)

Cada vez mais adultos procuram catequese (vídeo)

Há muitos adultos a frequentar a catequese, movidos pela procura de bem-estar espiritual ou para a realização de sacramentos nunca iniciados ou interrompidos.
Lusa |

Semanalmente, 12 adultos ocupam uma sala da Igreja Paroquial da Marinha Grande para frequentar a catequese, movidos pela procura de bem-estar espiritual ou para a realização de sacramentos nunca iniciados ou, por qualquer razão, interrompidos.

"Desde que eu perdi o meu pai agarrei-me mais um pouco a Deus, custa-me ainda muito, ainda sofro muito com isso, mas sinto-me mais aliviada e quando estou mais perto fico um bocadinho melhor", disse à agência Lusa Suzel Pedrosa, de 35 anos.

À necessidade de aproximação a Deus a jovem soma o desejo de fazer o sacramento da confirmação, habitualmente designado por crisma, que espera concretizar este ano com a frequência na catequese de adultos, experiência que, confessa, está a "gostar muito", depois de uma ligação primeiro estável e, depois, intermitente com a Igreja.

"Costumava vir à missa durante a semana, ao sábado, e quero ver se vou voltar, porque agora, neste momento, estou a sentir mais a necessidade de estar com Deus", acrescentou Suzel Pedrosa.

"Acharam estranho eu vir porque nunca fui ligado à Igreja"


Hugo Alexandre, de 27 anos, não escondeu que foi a vontade de ser batizado e, depois, casar pela Igreja Católica, que o levou à catequese de adultos.

Quando comunicou à família a decisão, o jovem constatou surpresa: "Acharam estranho eu vir porque nunca fui ligado à Igreja", contou.
Na Marinha Grande, a catequese de adultos nasceu em 1999 "porque se sentiu a necessidade de responder à sede de Deus que muitas pessoas manifestavam", quer para começar a caminhada na vida cristã, retomá-la ou completar os sacramentos de iniciação cristã, explicou Fernando Brites, o seu responsável.

"Há gente que não volta, há casos de pessoas que vêm com muita regularidade"


Sobre os resultados da catequese de adultos, Fernando Brites adiantou: "Há gente que não volta, há casos de pessoas que vêm com muita regularidade e outras que passaram a ter uma vida paroquial mais ativa noutras iniciativas, como nos escuteiros ou em ações ação sócio-caritativas".

Com o ano letivo a marcar o tempo, a catequese de adultos na paróquia da Marinha Grande contempla sessões temáticas da doutrina da Igreja, mas também momentos de reflexão ou oração, da responsabilidade de sacerdotes, religiosas ou leigos.

A fé, Jesus Cristo, os sacramentos, a eucaristia ou o matrimónio são alguns dos variados temas apresentados no decurso dos encontros.
Num deles, Guadalupe Rivera, religiosa mexicana das Filhas de Santa Maria de Guadalupe, abordou a unção dos doentes, mas também o sofrimento, a paz de espírito ou a coragem.

"As crianças, muitas vezes, estão por estar e falta-lhes ainda saber aplicar os conhecimentos na sua vida"


Foram duas horas em que na sala, grande, grande também foi a atenção com que o grupo, que chegou com a Bíblia na mão ou na mala, ouviu a freira falar.

À Lusa, Guadalupe Rivera, que também dá catequese a crianças, apontou as diferenças: "As crianças, muitas vezes, estão por estar e falta-lhes ainda saber aplicar os conhecimentos na sua vida (...). Os adultos estão cá por conta própria porque foi uma iniciativa pessoal e sentiram essa necessidade de estar aqui".

Ainda assim, qualquer que seja o motivo, a religiosa crê que "Deus se vale de todos".

Questionada se estas pessoas serão melhores adultos na sociedade por frequentarem a catequese, afiançou: "Não posso dizer que serão os melhores, não posso dizer isso, mas encontrarão uma forma diferente de encarar a vida".

Número de adultos na catequese a aumentar


O número de adultos a frequentar a catequese tem aumentado, disse à agência Lusa o vogal da Comissão Episcopal da Educação Cristã, considerando que o crescimento encontra explicação na realização de sacramentos ou no aprofundamento da fé.

"Aparece gente que já está empenhada em ministérios da Igreja e quer aprofundar - catequistas, ministros da comunhão -, aparece gente que vai por motivos ocasionais -- ser padrinhos - e aparece gente que não está em nada destas coisas, mas quer aprofundar a sua própria fé", afirmou António Marcelino.

Sem números deste crescimento que assenta, também, no sentimento de que, cada vez mais, "a fé tradicional não resiste a um mundo como ao de hoje", o bispo emérito de Aveiro adiantou que a catequese de adultos, disseminada por todas as dioceses, mas não por todas as paróquias, assume duas formas, a sistemática e a ocasional.

"Há mais iniciativas de encontros, de seminários, do que uma catequese sistemática", apontou o responsável, reconhecendo que, "na maior parte das dioceses do Interior, não é possível fazer muito mais que isso".


Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 39 Comentar
ordenar por:
mais votados
Bem sei que qualquer pessoa pode encontrar
a fé, como tábua protetora, em qualquer lugar ou coisa. Mas como procurar ajuda numa Igreja que, em 150 anos, fartamente documentados, se gabou de ter queimado aproximadamente trinta mil mulheres - todas vítimas inocentes de uma fantasia, tal como uma doença. aprovada pelo cristianismo católico do papado... Uma religião que coloca a mulher um degrau abaixo, que tem hostilidade pelo ato sexual, considerando que o olho da mulher toca e perturba a alma masculina, e não só o olho da mulher descontrolada, mas o da decente igualmente (João Crisóstomo, Pai da Igreja, no começo do séc.V). Ou, "A revelação se encerrou com Jesus Cristo", como declara Ratzinger sem rodeios, deixando claro que a verdade é a da Igreja e desafia a terceiro descobrir uma outra, válida. A Inquisição é hoje a Congregação para a Doutrina da Fé, uma polícia de fronteiras e limites, para ocultar a verdade, a qualquer preço. Então, como é possível encontrar ajuda num antro desses? Só mesmo no Ocidente... Rio Grande
A crença que não tenho; talvez graças a Deus
Entrei uma vez numa igreja (excepção para monumentos) e, levado ao colo, disseram-me: para ser baptizado. Sempre vivi afastado da igreja, sem inquietações religiosas e, porém, compreendo quem pense o contrário…

Há quem sinta necessidade de “apoio” espiritual; pois deve procurá-lo e a essa procura não se pode exigir uma escolha racional.

A quem sinta necessidade de estar “próximo” da divindade, será que a amoralidade do padre diminuirá a sua Fé?

Não tenho conhecimentos, nem capacidade para discutir problemas teológicos, limito-me a compreender os outros. Porque a sua crença não me prejudica, nem, que eu saiba, prejudica seja quem for.

Se a Fé tranquilizar e tornar feliz a quem ela recorre, indirectamente, eu sou beneficiado. Na medida em que a concórdia na sociedade é benéfica para todos.

PS. Das vezes que entrei em Templos, para observar a arquitectura e/ou as pinturas, sempre senti uma paz interior: porque a beleza e a arte me sensibiliza e o silêncio me acalma.
Re: A crença que não tenho; talvez graças a Deus
VIVO MUITO BEM COM A "IURD" EM CASA
A minha empregada doméstica é da IURD. A vida é cheia de contradições, e numa casa de ateu convivo muitíssimo bem com uma competente e simpatiquíssima senhora devota do bispo Macedo.

Isso inclui a TV da cozinha ligada na Record, ou o rádio sintonizado numa emissora da seita q desconheço o nome.

Sim, muitas vezes tomo o pequeno almoço ao som da pregação dos bispos da IURD.

Sem problemas, vivemos numa democracia.
Re: VIVO MUITO BEM COM A
Re: VIVO MUITO BEM COM A
cito Anselmo Borges
A crise do nosso tempo é uma crise económica, financeira, de valores, uma crise moral, crise política, local e global... Mas, se se reflectir sempre mais fundo, a raiz dessa crise é uma crise filosófica. Mais do que de respostas, do que o nosso mundo precisa é de não obturar a pergunta, a pergunta insconstruível, porque radicada e referida ao Ser. Sem essa pergunta, assistimos à morte do próprio homem.
Para contrabalançar com os casamentos Gays

É uma notícia que acalma toda a gente desesperada e traumatizada com os casamentos gays.

Embora a Igreja seja a campeã, dos abusos sexuais (especialmente do mesmo sexo), não deixa se ser tranquilizador que o moralismo regresse às mentes desses crédulos.

Como não ficar feliz com a notícia: "O número de adultos a frequentar a catequese tem aumentado, disse à agência Lusa o vogal da Comissão Episcopal da Educação Cristã".

Estou em crer que muitos padres pedófilos estarão a fazer uma reeducação.

A Igreja tem razão: Há que moralizar a sociedade!
Re: Para contrabalançar com os casamentos Gays
Re: Para contrabalançar com os casamentos Gays
Re: Para contrabalançar com os casamentos Gays
Há drogas e drogas
Esta é mais uma!

É o vício nas fantasias mirabolantes e na crença na existência de mundos sobrenaturais povoados, habitados e infestados por anjos e demónios, por forças do mal e do bem, por santinhos e por alminhas.

Puáh!
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Re: Há drogas e drogas
Testemunhos pertinentes
Uma história bonita, uns testemunhos de vida interessantes. Cada vez há mais gente a querer acreditar. No Reino Unido o processo de concessões a Santa Igreja e uma realidade crescente. O relativismo, a despersonalizacao da sociedade, a crescente falta de referencias e exemplos conduzem as pessoas a procurar a protecção da Igreja. Como bem dizem as Escrituras : benaventurados aqueles que acreditam sem nunca terem visto.
Ler Richard Dawkins
A Desilusão de Deus ou o Espectáculo da Vida são dois livros obrigatórios de Richard Dawkins.
António Damásio, famoso cientista português diz que as religiões são construções humanas e tem razão.
Um outro cientista disse que se não fossem as religiões o Homem já viajaria entre as estrelas tal o atraso que provocou à ciência durante séculos.
Re: Ler Richard Dawkins
Re: Ler Richard Dawkins
Re: Ler Richard Dawkins
Re: Ler Richard Dawkins
Re: Ler Richard Dawkins
Re: Ler Richard Dawkins
Controlem-se...
Richard Dawkins é extremamente parecido aos pastores de certas seitas (IURD, etc). (O homem tem fé que não tem fé!!)
A teoria da evolução neste momento passou á fase da luta pela sobrevivência a tal ponto são cada vez mais os argumentos-e factos- absolutamente devastadores que muitos cientistas apontam contra essa teoria de embalar meninos. Para mim neste momento, essa teoria está ao nível dos Duendes das florestas (também há quem acredite nisso!)
Por amor de Deus, tenham juízo...
Re: Controlem-se...
Religião é lixo!
Religião, independentimente qual seja, não deve ser levada a sèrio. Se alguem quiser questionar algo referente a isso, deve leva-la ao banco dos rèus, sendo julgada por todos os crimes que sempre cometeram e continuam a praticar em nome de um deus que nem eles mesmo jà o viram e nem conseguem provar sua existência inracional.
www.nascimentofotos.blogspot.com
Uma vez
Há praticamente um ano deixei de ler e, claro, de comentar neste Forum. Alguns dos que aqui estão sabem porquê. E eu recordo apenas um aspecto, o mais importante: o comportamento abusador, anti-democrático, fascistóide e humanamente impróprio de uma das pessoas que frequenta este espaço. Ora dado ver que o mesmo sobrevive, que não mudou uma única ideia das que tinha e que, afinal, Portugal, como ontem se viu, é uma Democracia, eu aproveito este interregno para dizer a todos, incluindo ao indivíduo que me agrediu, que, afinal, Portugal merece toda a pena, até porque, como se vê pela notícia, Portugal tem e terá muitos adultos que, por vezes sem saber o porquê, sabem que o melhor verbo que temos é o que nos faz procurar o sentido das coisas, como acontece quando alguém se apaixona pelos dados da Fé, os aprofunda e, sobretudo, os assume como coisa própria, como algo que lhe diz respeito. Felizmente, em Portugal temos pessoas como a Religiosa Mexicana de que se fala na notícia: homens e mulheres disponíveis para partilhar o melhor que sabem e têm para ajudar outros a encontrar o que sabem mais precisam: sentido e esperança, coragem e capacidade de afrontar os desafios da vida com serena tranquilidade e espírito confiante. Isto mesmo, de resto, é tudo o que de melhor a Igreja Católica tem para fazer, em Portugal e no mundo: ajudar as pessoas a encontrarem-se com Deus, consigo mesmas e, claro, com os outros também. Cumprimentos e (algumas) audades de tempos antigos!
Re: Uma vez
Re: Uma vez
Re: Uma vez
Factos:
Re: Uma vez
Re: Uma vez
Comentários 39 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub