23
Anterior
Chips facultativos nas matrículas entram amanhã em vigor
Seguinte
Lula da Silva tornou país num protagonista global
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Cada aluno custa €5200 por ano

Cada aluno custa €5200 por ano

Portugal gastou cerca de 5200 euros com cada aluno no setor público, em 2007, ficando no 16.º na lista da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).
Lusa |
Em 2007, cada aluno do setor público custou 5200 euros
Em 2007, cada aluno do setor público custou 5200 euros / António Pedro Ferreira
Em 2007 Portugal gastou cerca de 5200 euros com cada aluno no setor público, ficando no 16.º lugar entre 33 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), segundo um estudo divulgado hoje.

No relatório do estudo "Education at a glance" deste ano, Portugal sobe seis lugares na tabela em relação ao relatório do 2008 (que usava dados de 2005), registando-se um aumento de cerca de 1000 euros por aluno, mas mantém-se abaixo da média da OCDE, que se situa nos 6400 euros anuais por aluno.

EUA lideram ranking


Os Estados Unidos lideram a tabela, com um gasto estimado de cerca de 11 100 euros por aluno, embora os dados se refiram ao ensino público e privado. No segundo lugar encontra-se a Áustria, onde são gastos cerca de 8500 euros por aluno e em terceiro a Suíça, que segundo o relatório gasta cerca de 10 100 euros por aluno, mas apenas no que se refere ao sector público.

Quanto aos países que menos gastam, destacam-se México (cerca de 2000 euros anuais por aluno) e a China (cerca de 1090 euros).

Segundo o estudo, Portugal está abaixo da média dos países da OCDE nos gastos com a educação: o relatório situa o investimento de Portugal na educação acima dos 5,5% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, mas ainda assim abaixo da média de 6,2% dos 27 países membros da OCDE.

No trio da frente encontram-se a Islândia, com 7,8% do seu PIB, os Estados Unidos, com 7,6%, e Israel, que gasta 7,4%. Na lista comparativa entre 33 países, Portugal situa-se na 15.ª posição na percentagem do PIB gasta na educação.


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 23 Comentar
ordenar por:
mais votados
contas de sumir......
5200 € a dividir por 10 da uma mensalidade de 520€ por mes.......quantos colegios cobram propinas tão elevadas ?....nem as propinas da Catolica são tão altas e é ensino universitario.......se o Ministerio da educação não consegue fazer a festa com 5200€ passe um cheque ensino do mesmo valor e deixe os pais escolher a escola dos seus filhos....e o bigodinho de olhos esbogalhadoas que va trabalhar ...se ainda souber o que isso é ....
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
Re: contas de sumir......
custo vs. performance
O problema é que usando a mesma fonte, OCDE, verificamos que o a performance dos sistema de ensino é bastante inferior aos gastos por aluno.

Portugal é o 16º país da OCDE em gastos mas o 27º em performance....

Abaixo de Portugal na performance, só Mexico, Turquia que gastam muito menos por aluno e a Grécia para o qual não ha dados de despesa.

Ajuda ...
Não conheço os pormenores do relatório, mas se alguém já o tiver lido ( não falo de meras citações na comunicação social) seria interessante saber a decomposição da verba dos 5.200 Euros/ano por aluno.

Quanto para instalações ?
Quanto para formação de professores ?
Quanto para salários ?
Quanto para ajuda social a alunos carenciados ?
etc. etc.

Alguém pode ajudar ?
Re: Ajuda ...
Re: Ajuda ...
Re: Ajuda ...
OS CUSTOS DA REPROVAÇÃO

Cerca de 15 a 20% destes alunos são repetentes. Alunos que em algum momento do seu percurso escolar chumbaram. Como a reprovação traz mais reprovação estes alunos, para fazerem a antiga escolaridade básica de nove anos, quando a concluíam, levavam em média mais dois ou três anos, trazendo um custo acrescido. Este estudo também refere que o número de alunos por professor, em Portugal, é dos mais baixos dos países da OCDE. Como a taxa de insucesso é das mais elevadas é possível reduzir os custos quer aumentando o número de alunos por turma, quer permitindo a passagem daqueles 15% dando-lhes no final um certificado de frequência, quer encaminhando-os para cursos profissionais. Outro aspecto onde é possível poupar algum dinheiro daqueles 5200 euros tem a ver com os manuais escolares. Já há vários anos que os manuais nas escolas são escolhidos para vigorarem durante seis anos. Se o Ministério adquirisse os manuais escolares e ficassem propriedade da escola, cada manual poderia ser utilizado por seis alunos, em vez de apenas um, sendo devolvido no final de cada ano lectivo.
Re: OS CUSTOS DA REPROVAÇÃO
Acho estranho...
Acho estranho que Portugal, sendo um país laico (pelo menos em teoria) na foto vê-se um crucifixo pendurado na parede. Como o artigo do Expresso refere-se ao "setor público" a foto presumivelmente foi tirada numa escola pública.... estranho! Ou será mais uma confirmação de que Portugal é o país do "parece mas não é" ?!
5200 euros...
... é quanto nos custa um deputado por semana (ou dia?) e ninguém se queixa!!!
A única coisa que me interessa
é saber como é que perante estes números que energúmeno que nos governa tem o descaramento de me recusar a dedução das despesas de educação com os meus filhos que andam no ensino privado e CUSTAM MENOS!
Seria interessante...
Há dois estudos interessantes que faltam nesta notícia: O primeiro é comparar este número, os € 5 200 , com o custo por aluno no sector privado. O segundo é saber quantas famílias portuguesas pagam menos de € 5200 por ano em IRS.

Seria interessante saber quantas famílias e quantos alunos (+/- dependentes dos dados das finanças) ficariam de fora do ensino se não existisse um sistema público e «tendencialmente gratuito» para educar todos os residentes em Portugal.
GASTAR OU INVESTIR ?
Caros Colegas.
Eu, não aplicaria a palavra Gastar mas sim Investir; todos nós sabemos que o Ensino é a FORÇA MOTORA DE UM PAÍS porque quanto mais se souber melhores possibilidades de vida teremos.

Acho que este valor é DEMASIADO BAIXO ou DEMASIADO ALTO dependendo somente do aproveitamento de cada Aluno. Sabemos todos que aqueles que estudam merecem bem o Sacrifício que todos fazemos; mas cada vez mais somos confrontados com números elevadíssimos de "Chumbos" sobretudo nas Áreas da Matemática e Português e nesse caso este Valor é ANORMALMENTE ALTO.
Entendo que o Ensino Obrigatório seja necessário mas NUNCA ENTENDI NEM ENTENDEREI que Alunos estejam a "Estudar" anos e anos para fazerem o 9º. ano (não falo já do 12º. ano).
Não joquemos com números, posições comparativas com outros Países, enfim tudo aquilo que vi mas sim falemos de uma Verdade: O Aluno Estuda ? Vale o Investimento;
                                                    O Aluno não Estuda ? não pode ser custeado pelo Estado que somos todos nós.
Encontre-se um termo intermédio e paralelamente permitam que os Professores tenham a autonomiaa necessária para Ensinar para que os Alunos passem de ano e não exiijam metas porque essas somente são válidas para Bruxelas e nós continuaremos sem Alunos Sabedores.

Cumprimentos

Horiuzonte e Mar
estou de volta
expulsaram-me do comentador do expresso, mas estou de volta..e em força..palhaços que nao aceitam comentários opostos ao deles e que tem cunha neste jornal forçaram a minha expulsao..mas estou de volta
Comentários 23 Comentar

Últimas

Pobres de nós

O facto da pobreza ser fundamentalmente relacional ...

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub