Anterior
Guerra entre Israel e Palestina "não é uma opção"
Seguinte
Caso dos submarinos entra em julgamento
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Brasil pede reunião do Conselho de Segurança da ONU

Brasil pede reunião do Conselho de Segurança da ONU

A pedido do Egito, a Presidente do Brasil pediu a convocação do Conselho de Segurança das Nações Unidas para tentar resolver o conflito entre Israel e a Palestina. Ki-moon já emitiu um comunicado pedindo o "cessar-fogo imediato".
|

A Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, pediu hoje ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, que convoque o Conselho de Segurança para se encontrar uma solução para o conflito entre Israel e a Palestina que se tem agudizado nos últimos dias.

Dilma Rousseff, que se encontra em Cádis a participar na cimeira Iberoamericana, falou ao telefone com Ban Ki-moon, a pedido do mediador do conflito, o Presidente do Egito, Mohamed Mursi, segundo o jornal brasileiro "O Globo".

"Em qualquer assunto, como foi no caso do Congo, o Conselho de Segurança da ONU se reuniu imediatamente. Mas quando se trata do Oriente Médio, nada. Não dá para continuar esta inércia no tratamento do Oriente Médio!", disse ao "O Globo" Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência brasileira, não eliminando a hipótese de o Brasil participar na mediação no conflito.

Mohamed Mursi falara ao telefone, pela manhã, com a sua homóloga brasileira "não para discutir ou propor mediação", mas sim para fazer uma "consulta" sobre a posição do Brasil, segundo Marco Aurélio Garcia que criticou "a inércia do Conselho de Segurança quando se trata de Israel e Palestina".

Ki-moon pede cessar-fogo imediato


Entretanto, em comunicado, o secretário-geral das Nações Unidas insta israelitas e palestinianos a acordarem um "cessar-fogo imediato" dos ataques aéreos de Israel contra a Faixa de Gaza e do lançamento de "rockets" contra Israel por grupos armados palestinianos.

"Isto tem que acabar", afirma Ban Ki-moon, lamentando a morte de dez membros de uma família em Gaza, incluindo cinco crianças, assim como condenou o lançamento de mais "rockets" a partir da Faixa de Gaza sobre Israel.

"Insto firmemente as partes a que cooperem com todos os esforços liderados pelo Egito para alcançar um cessar-fogo imediato", acrescenta.

No comunicado, Ban Ki-moon sublinha ainda que qualquer escalada da violência "aumentará inevitavelmente o sofrimento das populações civis".

O secretário-geral das Nações Unidas concluiu finalmente que se deslocará esta semana à região "para apelar pessoalmente ao fim da violência e contribuir para os esforços colocados em marcha nesse sentido". 


Opinião


Multimédia

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados
A HISTÓRIA CONFIRMA.
NÃO É POR ACASO QUE OS JUDEUS SÃO PERSEGUIDOS À SECULOS, MAS NÃO SÓ, O MEDIO ORIENTE É COMO A PREIA-MAR, A AGUA NÃO CORRE NEM PARA MONTANTES NEM PARA JUZANTE, É UM AUTENTICO CALDEIRÃO DE PORCARIA E NADA DE BOM TROUXE À HUMANIDADE.
Re: A HISTÓRIA CONFIRMA.
Re: A HISTÓRIA CONFIRMA.
A Primavera Árabe deveria dar lugar à Judaica
A Primavera Árabe deveria dar lugar à Primavera Judaica
As Primaveras são sempre bem vindas,
Nós já temos problemas de sobra, entendam-se e deixem-nos em paz!!!
Mas lá que Israel não quer uma representação do Estado Palestiniano na ONU, lá isso parece evidente .
mas também o que é que isso iria alterar , para nós Portugueses ??? , Agradeço nos informe quem perceber disto..
Obrigado!!!...
Não sou anissemita, só antisraelita
Como disse no título, não tenho nada contra os judeus, mas estou arto dos israelitas.
Um povo que viu a morte de frente na II Guerra Mundial está a tentar destruir outro e ainda por cima acusa-os de serem terroristas.
Depois de quarenta anos com o muro da vergonha, Israel resolveu lançar uns misseis e matar o primeiro ministro do Hamas. Grande feito! Depois, os palestinianos responderam, uns quantos rockets que mataram três ou quatro pessoas. Então, os israelitas (que foram muito agredidos!) resolveram mandar uns misseis, que não foram só de defesa, se virmos o número de palestinianos mortos. Agora querem-nos convencer que foram atacados. Vão à ... Neste caso, os palestinianos têm todo o direito de se defender.
No meio disto tudo, espero que se os israelitas fizerem uma ofensiva terrestre, esbarrem com os iranianos e que matem os 75000 soldados israelitas em fogo lento, um por um, no muro que eles construiram para matar os palestinianos.
No entanto, volto a afirmar, os judeus não são más pessoas, são mesmo só os israelitas.
Comentários 5 Comentar

Últimas


Pub