Anterior
Petróleo: AEI revê em alta previsão de consumo mundial
Seguinte
Ongoing garante "apoio total" a Granadeiro e Zeinal
Página Inicial   >  Economia  >   BPP: Estado tem "interesse financeiro e patrimonial" acautelado

BPP: Estado tem "interesse financeiro e patrimonial" acautelado

O Ministério das Finanças garantiu que o Estado "tem o seu interesse financeiro e patrimonial acautelado" no caso das contra garantias ao empréstimo ao BPP. Clique para visitar o dossiê Caso BPP
Lusa |
O Ministério das Finanças garante que o valor das contra garantias ao empréstimo do BPP supera o da garantia concedida
O Ministério das Finanças garante que o valor das contra garantias ao empréstimo do BPP supera o da garantia concedida  / Alberto Frias

O Ministério das Finanças garantiu hoje que o Estado "tem o seu interesse financeiro e patrimonial acautelado" no caso das contra garantias ao empréstimo ao BPP, e que o valor destas "supera" o da garantia concedida. 

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ CASO BANCO PRIVADO (BPP)
 
"O Estado tem o seu interesse financeiro e patrimonial acautelado. Os riscos associados à execução estão minimizados, pois por um lado o Estado é um credor privilegiado, e por outro não se antecipam riscos de mercado ou outros que possam por em causa o valor das contra garantias recebidas", diz o Ministério. 
 
A explicação surge na sequência de uma resposta do Banco de Portugal a um requerimento do Bloco de Esquerda, em que o regulador diz que não é certa a recuperação do valor em caso de execução dos ativos do BPP, dados como garantia ao empréstimo de 450 milhões de cinco bancos que teve uma garantia do Estado.

Contra garantias valem €672 milhões 


O Banco de Portugal explica que as garantias dadas têm um valor estimado de 672 milhões de euros (superior ao do valor do empréstimo) mas que estes ativos poderão vir a ter numa eventual execução está sujeito a muitas incertezas, nomeadamente da evolução da economia e dos mercados financeiros. 
 
O Ministério das Finanças destaca ainda que o próprio Banco de Portugal reconhece que a avaliação das contra garantias é superior ao valor da garantia concedida pelo Estado, e que mesmo assim "o Estado tudo fará por todos os meios legais para garantir a referida execução das contra garantias levando os respetivos processos e apurando responsabilidades até às últimas consequências".


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
TRAPACEIRO!
"O Banco de Portugal explica que as garantias dadas têm um valor estimado de 672 milhões de euros (superior ao do valor do empréstimo) mas que estes ativos poderão vir a ter numa eventual execução está sujeito a muitas incertezas, nomeadamente da evolução da economia e dos mercados financeiros"
Em quem é que devemos acreditar?. O Ministro das Finanças já deu provas de que mente com todos os dentes que tem na Boca. O antigo Governador do Banco de Portugal, actuava como se capacho. E O ACTUAL? Neste caso em particular diz, preto no branco, que as famosas garantias, podem constituir meras fantasias.
TANTA FALTA DE HONESTIDADE E DECORO, NÃO SÓ METE NOJO, COMO DÁ VONTADE DE CHAMAR NOMES A TUDO E A TODOS....DESONESTOS E TRAPACEIROS..É O MÍNIMO
 
BPP
Porque será que não acredito em uma palavra deste ministro aldrabão, mentiroso, pinóquio que mais de uma vez já mentiu ao país.
Que garantias!?
Ao que se sabe o Banco de Portugal guarda mamarrachos tomados do BPP como Obras de Arte, que os senhores do Banco adquiriram aos amigos como se de Arte se tratasse, e que eles próprios avaliaram nos tais 672 milhões!!!

O dinheiro que recebem do Estado (do Povinho pelintra) foi para pagar aqueles mamarrachos aos "filhos", "sobrinhos" e alguns "enteados" dos senhores do BPP.

Que garantias são essas!!!?

Seria interessante explicar como
...
As contas, os interesses, as garantias...

Só assim sem mais "dá outra ideia".
Comentários 4 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub