Anterior
Um europeu nascido na Somália volta a fazer dobradinha no fundo
Seguinte
Uma maratona até se saber quem é a Dream Team
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Jogos Olímpicos 2012  >   Bolt já pode festejar como se fosse a festa de aniversário

Bolt já pode festejar como se fosse a festa de aniversário

Os Jogos acabam da melhor forma para os 'Cool Runnings' da Jamaica: ouro e novo recorde do mundo na estafeta dos 4x100m, com Usain Bolt a dar o 'esticão' final na corrida. Agora vai comemorar como... uma lenda.
|
Bolt já pode festejar como se fosse a festa de aniversário
Usain Bolt e Yohan Blake festejam medalha de ouro
Usain Bolt e Yohan Blake festejam medalha de ouro / Julia Vynokurova/Getty Images

Usain Bolt voltou a inovar. Hoje, no aquecimento, já tinha gorro em vez de um chapéu virado ao contrário, treinou de calças e luvas, arranjou brincadeiras novas para fazer em frente às câmaras internas que estão colocadas nessa zona: primeiro a simular um jogo de críquete com os amigos, depois a erguer três dedos e a apontar para a cabeça. Era dia de repetir a vitória nos 4x100m de Pequim mas isso parecia não chegar. Vai daí, ajudou a Jamaica a bater o recorde do mundo que já lhe pertencia com uma corrida digna de uma lenda.

Antes da prova dos 200 metros, Bolt explicou o que tinha dito a uma voluntária que estava na pista. "O que se passa? Estás nervosa? Excitada com o momento?". A seguir acalmou-a, ia tudo correr bem. Porque esta lenda do atletismo, como o próprio se define, acalma os outros quando o normal seria os outros acalmarem-no. Para ele, tudo na vida é uma brincadeira. E foi assim também que deu um avanço enorme aos EUA nos últimos 80 metros: a brincar. Os americanos até bateram o recorde nacional mas são de outro campeonato bem distante do planeta Jamaica que conquistou o mundo.

36 segundos e 84 centésimos é o tempo que fica para a história. O 'Relâmpago' assumira que sentira algumas dores nas costas na partida dos 200 metros porque foi... demasiado rápido. Hoje, pela posição, era mais fácil. E foi o delírio no estádio Olímpico, até porque os jamaicanos são a única equipa que quase salta para as bancadas a cumprimentar os espetadores. "Não posso festejar porque ainda há os 4x100. A seguir, aí sim, é como se fosse o meu aniversário", disse na quinta-feira, quando se tornou o único velocista a fazer a dobradinha (100 e 200 metros) em dois Jogos seguidos. Hoje não há desculpas - vai haver festa rija. E com o testemunho na mão: no final da corrida foi pedir ao voluntário para ficar com essa recordação.

As lágrimas dos canadianos


A Jamaica ganhou o ouro, os EUA ficaram com a prata, o Canadá conquistou o bronze. Perdão, Trinidad e Tobago é que conquistou o bronze. E a festa dos canadianos em pista transformou-se num pranto de lágrimas porque a equipa foi desqualificada por uma má passagem do testemunho. De um lado ria-se (Jamaica), do outro chorava-se (Canadá): as provas de pista dos Jogos acabaram mesmo com os dois lados da mesma moeda. 


Opinião


Multimédia

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados
JO: Elogiamos o primeiro esquecendo dezenas deles
Claro que este atleta merece os elogios.

Mas não é egoísmo esquecer todos os outros, como se ele tivesse corrido sozinho?

A nossa sociedade está baseada na utilidade.

Os medalhados só são importantes porque correram com outros que não ganharam, que não são tão excepcionais, mas não quer dizer que devam ser esquecidos.

O desporto não devia ser egoísta...
Trés recordes do mundo em Londres 2012: - 800 m ho
Trés recordes do mundo em Londres 2012:
- 800 m homens por queniano Rudisha;
- 4 x 100 m mulheres, graças a uma das derradeiras atletas de excepção dos EUA, Allison Felix, provávelmente derradeiro recorde do mundo para sempre em corridas e saltos batido por um atleta que cresceu nos EUA.
Recordes do mundo em desporto natural no fim do tempo dos illuminati - dois fatos básicos:
- 4 x 100 m homens, graças a Blake e Bolt, homem mais rapido de sempre e para sempre.

Recordes do mundo em desporto natural no fim do tempo dos illuminati - dois fatos básicos:
-> 1. Ser humano chegou ao fim da "evolução".
-> em realidade na maior parte do mundo está já em regressão, o que illuminati tentam por todos os meios censurar, e gado humano é incapaz de ver.
-> 2. Para os atletas que cresceram nos países "ricos" (transgénicos, "medicamentos", pesticidas, herbicidas, fungicidas, hormonas, aditivos quimicos de E001 ao infinito em água, ar e terra) é agora impossível vencer em competições individuais, excluindo portanto possibilidade de baterem recordes do mundo.
-> Exemplo: comentador Luis Lopes na RTP2 depois da vitória do atleta das ilhas Granada nos 400, com grande avanço, em final onde pela 1ºa vez EUA não tiveram atletas: "não tarda que uiversidades americanas o fisguem".
-> mostra como carneiro Lopes vive do passado, incapaz de ver presente: atletas dos EUA inquinados estão em inferioridade com atletas das ilhas das Caraíbas (Jamaica, Bahamas, etc).

Comentários 2 Comentar

Últimas


Pub