24 de abril de 2014 às 5:48
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Desporto  ⁄  Jogos Olímpicos 2012  ⁄  Bolt já pode festejar como se fosse a festa de aniversário

Bolt já pode festejar como se fosse a festa de aniversário

Os Jogos acabam da melhor forma para os 'Cool Runnings' da Jamaica: ouro e novo recorde do mundo na estafeta dos 4x100m, com Usain Bolt a dar o 'esticão' final na corrida. Agora vai comemorar como... uma lenda.
Bruno Roseiro (www.expresso.pt)
Bolt já pode festejar como se fosse a festa de aniversário
Usain Bolt e Yohan Blake festejam medalha de ouro Julia Vynokurova/Getty Images Usain Bolt e Yohan Blake festejam medalha de ouro

Usain Bolt voltou a inovar. Hoje, no aquecimento, já tinha gorro em vez de um chapéu virado ao contrário, treinou de calças e luvas, arranjou brincadeiras novas para fazer em frente às câmaras internas que estão colocadas nessa zona: primeiro a simular um jogo de críquete com os amigos, depois a erguer três dedos e a apontar para a cabeça. Era dia de repetir a vitória nos 4x100m de Pequim mas isso parecia não chegar. Vai daí, ajudou a Jamaica a bater o recorde do mundo que já lhe pertencia com uma corrida digna de uma lenda.

Antes da prova dos 200 metros, Bolt explicou o que tinha dito a uma voluntária que estava na pista. "O que se passa? Estás nervosa? Excitada com o momento?". A seguir acalmou-a, ia tudo correr bem. Porque esta lenda do atletismo, como o próprio se define, acalma os outros quando o normal seria os outros acalmarem-no. Para ele, tudo na vida é uma brincadeira. E foi assim também que deu um avanço enorme aos EUA nos últimos 80 metros: a brincar. Os americanos até bateram o recorde nacional mas são de outro campeonato bem distante do planeta Jamaica que conquistou o mundo.

36 segundos e 84 centésimos é o tempo que fica para a história. O 'Relâmpago' assumira que sentira algumas dores nas costas na partida dos 200 metros porque foi... demasiado rápido. Hoje, pela posição, era mais fácil. E foi o delírio no estádio Olímpico, até porque os jamaicanos são a única equipa que quase salta para as bancadas a cumprimentar os espetadores. "Não posso festejar porque ainda há os 4x100. A seguir, aí sim, é como se fosse o meu aniversário", disse na quinta-feira, quando se tornou o único velocista a fazer a dobradinha (100 e 200 metros) em dois Jogos seguidos. Hoje não há desculpas - vai haver festa rija. E com o testemunho na mão: no final da corrida foi pedir ao voluntário para ficar com essa recordação.

As lágrimas dos canadianos


A Jamaica ganhou o ouro, os EUA ficaram com a prata, o Canadá conquistou o bronze. Perdão, Trinidad e Tobago é que conquistou o bronze. E a festa dos canadianos em pista transformou-se num pranto de lágrimas porque a equipa foi desqualificada por uma má passagem do testemunho. De um lado ria-se (Jamaica), do outro chorava-se (Canadá): as provas de pista dos Jogos acabaram mesmo com os dois lados da mesma moeda. 

Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
JO: Elogiamos o primeiro esquecendo dezenas deles
Claro que este atleta merece os elogios.

Mas não é egoísmo esquecer todos os outros, como se ele tivesse corrido sozinho?

A nossa sociedade está baseada na utilidade.

Os medalhados só são importantes porque correram com outros que não ganharam, que não são tão excepcionais, mas não quer dizer que devam ser esquecidos.

O desporto não devia ser egoísta...
Trés recordes do mundo em Londres 2012: - 800 m ho
Trés recordes do mundo em Londres 2012:
- 800 m homens por queniano Rudisha;
- 4 x 100 m mulheres, graças a uma das derradeiras atletas de excepção dos EUA, Allison Felix, provávelmente derradeiro recorde do mundo para sempre em corridas e saltos batido por um atleta que cresceu nos EUA.
Recordes do mundo em desporto natural no fim do tempo dos illuminati - dois fatos básicos:
- 4 x 100 m homens, graças a Blake e Bolt, homem mais rapido de sempre e para sempre.

Recordes do mundo em desporto natural no fim do tempo dos illuminati - dois fatos básicos:
-> 1. Ser humano chegou ao fim da "evolução".
-> em realidade na maior parte do mundo está já em regressão, o que illuminati tentam por todos os meios censurar, e gado humano é incapaz de ver.
-> 2. Para os atletas que cresceram nos países "ricos" (transgénicos, "medicamentos", pesticidas, herbicidas, fungicidas, hormonas, aditivos quimicos de E001 ao infinito em água, ar e terra) é agora impossível vencer em competições individuais, excluindo portanto possibilidade de baterem recordes do mundo.
-> Exemplo: comentador Luis Lopes na RTP2 depois da vitória do atleta das ilhas Granada nos 400, com grande avanço, em final onde pela 1ºa vez EUA não tiveram atletas: "não tarda que uiversidades americanas o fisguem".
-> mostra como carneiro Lopes vive do passado, incapaz de ver presente: atletas dos EUA inquinados estão em inferioridade com atletas das ilhas das Caraíbas (Jamaica, Bahamas, etc).

PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub