16 de abril de 2014 às 23:53
Página Inicial  ⁄  Desporto  ⁄  Bola de Ouro: Pep Guardiola, obviamente

Bola de Ouro: Pep Guardiola, obviamente

Parece certo que Pep Guardiola vai ser o sucessor de José Mourinho como Treinador do Ano da FIFA.
Lusa
Guardiola deve ganhar mais uma "batalha" frente a José Mourinho Getty Images Guardiola deve ganhar mais uma "batalha" frente a José Mourinho

O treinador catalão Pep Guardiola vai suceder ao português José Mourinho e conquistar segunda-feira o prémio de treinador do ano da FIFA, depois de mais um ano mágico ao comando do FC Barcelona.

Em 2011, Guardiola não tem, simplesmente, rival, depois de ter levado o "Barça" à conquista de cinco títulos (Liga dos Campeões, Liga espanhola, Mundial de clubes, Supertaça Europeia e Supertaça espanhola), aumentando o seu reportório para 13... em 16 competições disputadas.

Desde que chegou ao comando da formação principal do FC Barcelona, vindo da equipa B, o jovem técnico só falhou o triunfo na Liga dos Campeões de 2009/2010 e nas duas últimas edições da Taça do Rei.

Na presente temporada, o "onze" catalão já venceu o Mundial de clubes, a Supertaça Europeia e a Supertaça espanhola, está nos "oitavos" da "Champions", bem encaminhado para os "quartos" da Taça do Rei e em segundo na Liga espanhola, a apenas três pontos do Real Madrid.

Sem antídoto


As sucessivas conquistas demonstram o extraordinário trabalho de Guardiola, mas não mostram tudo, o domínio intenso que o "Barça" exibe jogo após jogo, semana após semana, sobre qualquer adversário.

O segredo está na circulação e posse de bola e, sem esta, na capacidade de a recuperar imediatamente, com uma pressão muito alta, que faz com que o esférico esteja quase sempre nos pés dos seus jogadores e no meio-campo contrário.

O FC Barcelona não é uma formação invencível, mas, volvidos mais de três anos e meio, ainda nenhum treinador ou equipa arranjou antídoto para contrariar o seu futebol.

As derrotas acontecem, mas não são mais do que momentos raros, que fazem com que, e cada vez mais, se comece a falar deste "Barça" como a melhor equipa da história, acima, entre outros, do Brasil de 1970 ou do AC Milan dos anos 80.

"3-4-3"


A discussão, que nunca acabará, promete continuar ao ritmo dos triunfos do conjunto de Guardiola, que esta época, não satisfeito com o domínio que a sua equipa vinha exercendo, ainda a colocou à prova, com uma defesa a três.

Em muitos jogos esta temporada, o FC Barcelona apresentou-se em "3-4-3", ou, como disse o treinador do Santos, em "3-7", imagem que ilustra uma equipa com um meio-campo muito povoado e a inexistência de um ponta-de-lança fixo.

Com este esquema ou o habitual "4-3-3", os catalães continuam a dominar, quase sempre por asfixia, e Pep Guardiola tem muito a ver com isso, apesar da presença de ímpares executantes, como Messi, Xavi, Iniesta ou Cesc.

O português José Mourinho (Real Madrid) e o escocês Alex Ferguson (Manchester United) também são candidatos, mas, claramente batidos nos duelos com o "Barça" e Guardiola, não têm qualquer hipótese de vencer em 2011 um prémio que o catalão justifica plenamente. 

Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Um Homem com H grande!
A probabilidade de Mourinho este ano ser campeão pelo Real Madrid é grande!
O F C Barcelona que nos últimos anos conquistou seguidos 3 Ligas Espanholas e duas Taças do Rei, bem como a nível internacional, duas Ligas dos Campeões e 2 Taças do Mundo, está a iniciar um processo de algum desgaste face ao sucesso anteriormente alcançado, o melhor período continuado da sua História, desde a sua fundação.
Mourinho, com o seu feitio quezilento, teve o azar de apanhar na sua trajectória desportiva um homem da estirpe de Pepe Guardiola e uma equipa mágica e de sonho como foi e ainda é este Barça.
Quis armar guerra com um clube que representa o espírito nacionalista de um povo, o Catalão, com um homem que é um paz de alma ao pé do seu temperamento ardiloso, mas perdeu quase sempre, com excepção do Inter. Mesmo a única Taça do Rei que apanhou a Pepe Guardiola, foi ganha aos solavancos, sem grande domínio do adversário.
Este ano deixou um pouco de lado as querelas com o Barcelona, deixou o Pepe Guardiola em paz, dedicou-se ao clube que lhe paga olhando cada adversário per si, cada jogo do seu plantel, e a coisa parece estar a correr-lhe melhor.
Como Português, gostaria que Mourinho ganhasse mas só e apenas por isso. Como Português gostaria que Ronaldo ganhasse, mas não só por isso. Ronaldo é um puto maravilha e merece o nosso carinho.
Mourinho, é ele e a sua vaidade!
Pena minha, é que Pepe Guardiola não seja Português e Mourinho Espanhol!
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub