Siga-nos

Perfil

Expresso

O aldrabão do líder errado

Quando chegou a secretário de Estado de Passos Coelho, em 2011, Barreiras Duarte já tinha mentido no seu currículo e já teria aldrabado na sua residência. O que é isto só nos tenha sido dado a conhecer quando deixou de poder embaraçar Passos e passou a poder embaraçar Rio

Depois do currículo académico martelado, Feliciano Barreiras Duarte foi de novo envolvido numa polémica. Mais uma vez, um clássico: deu a morada de Bombarral quando vivia, com a sua família, bem perto de São Bento e assim terá recebido as ajudas de custa. Está feito o perfil do secretário geral do PSD com o mais breve mandato de que me lembro: um Miguel Relvas, que foi, aliás, seu ministro.

Isto é a parte óbvia e, com os dois casos, só poderia acabar em demissão. Ficar-me-ia por aqui. Mas há algumas perguntas que gostava de fazer antes do “Observador” começar a publicar coisas sobre o novo secretário-geral do PSD. Feliciano Barreiras Duarte já ocupou um lugar mais importante do que o atual. Foi secretário de Estado do governo anterior. Entrou em funções em 2011 e ali ficou até 2013, quando o seu ministro se demitiu, também por complicações quanto à sua carreira académica. O caso do currículo martelado remonta a 2009 e até antes disso. A declaração da residência no Bombarral aconteceu entre 1999 e 2009, com um intervalo entre 2002 e 2005, quando esteve no governo de Durão Barroso.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)