Siga-nos

Perfil

Expresso

A derrota perpétua do SPD

O reforço do SPD no governo de Merkel não representa uma vitória da social-democracia. Pelo contrário, é a continuação de uma capitulação perpétua que adia qualquer tipo de clarificação política da esquerda europeia

SPD e CDU chegaram finalmente a acordo e agora tudo depende da vontade dos militantes social-democratas. O preço para violar a promessa eleitoral de pôr fim a este entendimento, que levou o SPD à sua mais deprimente dimensão, foi dar-lhe os seis ministérios, entre os quais os dos Negócios Estrangeiros, Finanças e Trabalho. Uma vitória que custará ao SPD mais quatro anos de decadência. Nas sondagens, já estão nos 18%.

A irritação na CDU com a perda de lugares, sobretudo depois da despedida Wolfgang Schäuble, é estritamente partidária. Politicamente, só têm razões para celebrar. Continuar com o SPD no bolso é um bom prémio para a perda de lugares.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)