Siga-nos

Perfil

Expresso

Catalunha: as vantagens da desobediência

O coro condenatório do independentismo catalão tem a oportunidade de aprender qualquer coisa com a desobediência civil. PP e PSOE podem começar agora a dar os primeiros passos para uma revisão constitucional que dê maior espaço às autonomias. Agradeçam aos “radicais” e “irresponsáveis” catalães. Foram eles que obrigaram Espanha a ver-se ao espelho

A declaração de independência assinada pelo presidente do governo regional da Catalunha, seguida de um pedido para que o parlamento a suspenda, tem uma leitura simples e não é, ao contrário do que é descrito por alguns, bizarra. Como se explicou aqui no Expresso, aconteceu na Eslovénia. O sinal é simples: a Catalunha está disponível para negociar uma solução pacífica. A reação da CUP, independentistas da esquerda radical, confirma, aliás, ser esse o propósito.

O referendo de dia 1 não pode espelhar a vontade de todos os catalães. Quando Madrid mandou sovar eleitores e que se tornasse impossível a normalidade, em vez de se limitar a não reconhecer a validade do escrutínio, queria tornar ilegítima qualquer leitura política. Mas o seu principal efeito foi outro: exibir a natureza agressiva do centralismo espanhol. A independência suspensa tem o mesmíssimo objetivo.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)