Siga-nos

Perfil

Expresso

As rendas da EDP são remendos na ideologia

Como não quero que o debate político substitua o julgamento judicial, deixo a parte criminal dos CMEC para a Justiça. Com as mesmas reservas e as mesmas esperanças que tenho expressado noutros casos em que a justiça portuguesa tem de se relacionar com casos potencialmente mediáticos. Apesar de ter opiniões formadas sobre António Mexia, também neste caso não contribuo para julgamentos populares.

Mas se não quero que a política substitua a política, também recuso que a ação judicial substitua o debate político. É sempre mais fácil explicar o mundo pelo pecado humano do que pelo erro político. E essa facilidade impede-nos de procurar nas decisões da comunidade, tomadas através dos nossos eleitos, as razões profundas para os erros cometidos.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)